A banalização dos R$100

Recebi o email abaixo essa semana e achei super bacana para iniciar uma discussão e reflexão aqui no blog:

” Oi Ana,

Moro no Rio e acompanho seu blog, daí pensei que você seria a pessoa mais indicada para uma reflexão sobre o assunto…

Este final de semana estive, literalmente, do Saara ao Shopping Leblon batendo perna, procurando presentes e olhando umas roupinhas para os eventos de final de ano e trabalho e terminei mais confusa do que nunca…

Primeiro comecei a achar as roupas dos shoppings muito caras. Os vestidos, por exemplo, começam com preços de R$200 a R$300 e chegam facilmente a R$700, sem terem nada de muito especial ou diferente.

Não sei se é impressão minha, mas os R$100 foram banalizados. É quase impossível achar alguma peça bem feita e com um tecido decente a preços menores do que isso, incluindo lojas de departamentos ou até mesmo no Saara.

Numa destas, provei na Zara um vestido lindo e fofo de quase R$ 200. Ele vestiu bem, mas ao olhar a etiqueta percebi que era 100% poliéster, uma verdadeira estufa para quem tem que enfrentar o calor do Rio. Com a escala e o poder de barganha com fornecedores que essa rede tem (e outras também possuem), os preços poderiam ser melhores…

Fui também na Babilônia Feira Hype na esperança de ver um monte de coisa bonita a preços mais acessíveis. Foram pouquíssimas as peças que achei abaixo de R$100 – e ou eram camisetas de malha ou peças que não gostei. E para ser sincera, com todo o respeito às marcas iniciantes, fiquei meio decepcionada com os valores próximos aos de lojas já conhecidas e renomadas no Rio e no Brasil como Maria Filó, Farm e Dress To, por exemplo.

Sei da dificuldade de se manter uma pequena empresa no Brasil, dos impostos, da concorrência chinesa e tudo o que lemos diariamente nos jornais e vemos na TV. Mas se pararmos para pensar, estas grandes lojas têm encargos que as menores não possuem: aluguel em shopping, marketing e ecommerce, que demandam uma grana bem alta. E daí, por um momento, me vi achando que uma saia banal a R$260 não era um preço tão horrível assim. Mas isso não está certo.

Sei também que você vai falar sobre os achadinhos, liquidações, bazares e etc. Mas mesmo assim os preços ainda estão muito altos. Sem contar que na liquidação as lojas ainda ganham dinheiro, não ganham? E também quero poder não esperar para ter uma roupinha nova, poxa!

Não sei estou sendo exigente ou ingênua demais, perdi totalmente a noção.”

Eu achei o email da Juliana Porto tão pertinente, que pedi autorização a ela para publicá-lo na íntegra. Eu tenho a mesma sensação que a Ju: o dinheiro que eu me mato pra conquistar todo mês, não rende. Definitivamente, não rende!

Na semana passada tivemos uma missão no curso de Consultoria, que era garimpar um look de acordo com o estilo e tipo físico da nossa cliente por 60 reais (sem sapato e bolsa). Muita gente no curso aumentou o limite do valor, mas eu fiz questão de manter o desafio. Consegui um vestido remarcado da Andrea Marques para C&A por 49,90 (que eu já vi nos Achadinhos das meninas de outras cidades por 29,90… #chatiada) e um cardigan com amarração por 19,90. Passei um pouco do valor, mas valorizei a proposta. Se eu tivesse tido tempo de ir ao Saara, quem sabe eu acharia coisas mais baratas?

Mas infelizmente esse tipo de pechincha anda escasso. Ou se tem tempo de vasculhar araras abarrotadas de remarcações, ou paga-se caro por um produto muitas vezes de pouca qualidade. E infelizmente, não vejo solução para a questão da Juliana. Tudo está realmente caro demais!

Cada vez mais tento enfiar na cabeça o objetivo ter poucas e boas roupas no armário. É um processo difícil, de desapego, de auto controle, mas os preços praticados tem me deixado cada vez mais compelida a adotar essa filosofia. Menos roupa, menos gastos, mais espaço no armário, menos opções para me deixar enlouquecida todas as manhãs.

Porque cem reais não são pouco dinheiro. Com cem reais economizados por mês, em um ano eu viajo para um lugar pitoresco. Compro coisas novas para a minha casa. Faço um curso. É parte das parcelas de um armário novo. Pode ser uma câmera fotográfica. É a ajuda a uma instituição. Sei lá, pode ser tanta coisa!

Cada uma de nós precisa fazer a sua matemática e ter a consciência do quanto vale nosso dinheiro. E investi-lo com sapiência tem sido, a cada dia, o maior dos meus desafios.

Para enriquecer a questão: relembrando o post do cálculo do custo X benefício na hora das compras.

Compartilhe nas redes sociais
pinterest: pinterest
tumblr:
google plus:

Comente pelo Facebook

Comentários pelo blog

144 comentários

  1. Eu brinco sempre, digo: será que tá abusivo ou eu tô pobre? Mas ultimamente tá tudo caro sim, as lojas não estão vendendo e ai tem que chorar no governo para baixar imposto. A nossa carga tributária é alta, mas que lucro é este? Gente, ninguém chega no alto cobrando um rim por vestido. E eu não to falando de marca grande não, to falando de marquinha mesmo, pequena que tá começando agora e perdeu a noção da vida.

    beijos

  2. bruna de souza comentou:

    O que resta é ir para bazar!! Ou brechós , porque lá ainda se encontra peças boas com um preço massa. Sou de Recife, e acompanho vários blogs de moda, e vejo que muitas meninas estão se juntando para fazer bazar, pôs todos saem ganhando de alguma forma. E eu acho isso massa, estou rezando para que aqui em Recife façam mais!! hehe Beijão

    1. Letícia respondeu bruna de souza

      Bruna, também moro no Recife e aqui no trabalho a gente faz de 2 a 3 bazares por ano. Cada uma leva suas peças e vende ou troca e compra também, claro. E ainda pode pechinchar e até pagar parcelado. Comprei uma blusinha pra noite linda por 20 reais esses dias e um par de brincos por 5 reais. Vale a pena. Abs.

      1. Ana Carolina respondeu Letícia

        Gente, que ótima solução! Adorei saber que isso acontece nas empresas de vocês!

        1. Laís respondeu Ana Carolina

          Também achei massa essa proposta de bazar com as amigas. Aqui em Salvador não conheço nenhum brechó, mas sou louca para ir num. Sorte de vcs meninas. Um beijo!

  3. Viviane Moreira comentou:

    Concordo que tudo esta muito caro e não é só roupa não, é praticamente tudo que se possa comprar esta caro demais, TUDO! O dinheiro não rende mesmo, tudo sobe de preço, o salário não. Se você é autônomo e o seu serviço sobe de preço (tipo valorizando ele) as pessoas reclamam e não querem pagar por ele. O curioso é que outras coisas, tipo roupa e acessório, tem gente, muitas pelo que pude observar, não reclamam e pagam pelo abuso! 200,00 em um vestido de poliéster? Aaahhh gente é barato é da Farm (dando um exemplo apenas, não entro nessa loja, sei que é mais caro).
    Tentar gastar até 100,00 em qualquer situação, veja mercado ou uma saída em um bar é quase impraticável!
    É Ju, é Ana o negócio tá difícil e não é de hoje! Mas em quanto tiver pessoas (com conta recheada) pagando e achando barato isso vai continuar, e pra nós que não temos tanto assim disponível e temos que nos virar e tentar render o dinheiro até o final do mês, com contas de casa, mercado e afins…. precisamos rebolar legal ou esperar eternamente pela liquidação.
    É fato.
    Bjss
    Vi

    1. Ana Carolina respondeu Viviane Moreira

      Vivi, sou autônoma, não tenho 13 salário, nem férias remuneradas e para aumentar o valor de um projeto é quase impossível. Tá dificil demais…

      1. Lica respondeu Ana Carolina

        Ai de mim se quiser aumentar meus preços!!!
        Pessoas que compram horrores…só em salão gastam uma nota preta…vão pra Europa de boa…EUA…tudo no mesmo ano….e várias outros gastos…não aceitam que autônomos aumentem seus preços.

        1. Paula respondeu Lica

          Gastam 400 reais em um sapato e reclamam de pagar 100 numa consulta médica. Mas é que o sapato vc pode sair exibindo prasamigainvejosa e a consulta não.

        2. Lica respondeu Lica

          Paula, é isso mesmo!!!
          Passo por algo assim…as pessoas são muito materialistas…aparência é mais importante que o “ser” e, até mesmo, a saúde.
          Mas isso vai mudar.
          Ainda vai demorar um pouco, mas vai mudar.

  4. ju comentou:

    Oi Meninas!

    Sou mega pão dura, sempre achei as coisas caras…. desde muito tempo, hoje em dia então!!!

    Estou com a Ana, roupas boas e poucas são melhores que um monte de coisa ruim.

    Eu faço assim: adoro comprar em bazar e brechó, vou sempre a uns pequenos aqui na Lapa (são paulo), dou uma passada e se vejo algo bom a um preço bom levo. Assim renovo algumas peças a preços mais acessíveis.

    Em quanto isso vou juntando um $ e quando quero algo novo e que está fazendo falta no meu armário já tenho o $ reservado e posso gastar sem muita dó.

    Foi isso com o meu scarpin azul da arezzo, entrei na loja certa do que iria levar e já sabendo qto poderia gastar.

    E como a Ana sempre revejo o que tenho no armário, pra ver se o que fica ou vai embora…. isso ajuda a ser objetiva nas compras novas!

    bju

    1. Ana Carolina respondeu ju

      Menos é mais, sempre! 🙂

  5. Dani comentou:

    Concordo com cada palavra. Há algum tempo percebi essa inflação nas roupas e desde então me recuso a pagar preços mais altos quando percebo que a qualidade da roupa não corresponde ao seu preço, ou quando percebo que existe a possibilidade de que eu não a use tanto. Uma coisa é você pagar caro por uma roupa de qualidade, com boa modelagem e um tecido confortável e de boa duração, outra é pagar caro por roupas que não têm isso, mas são de uma marca famosa – aí é jogar dinheiro fora.

    A Zara, por exemplo, está perdendo a noção. Mais de uma vez comprei peças lá nada baratas para pouco tempo depois me surpreender com elas cheias daquelas bolinhas, com a costura esgarçada ou simplesmente rasgadas do nada.

    Depois que tomei consciência disso, tenho me dedicado ao garimpo, e o blog tem me ajudado bastante nessa missão (obrigada, Ana!). A gente custa tanto a ganhar nosso dinheirinho que devemos dar valor a ele, seja muito ou pouco!

    Beijos!

    1. Ana Carolina respondeu Dani

      Sempre que eu vou na Zara acho tudo caro e de modelagem estranha! Juro que me esforcei em gostar das coisas de la, mas nunca me vestem bem!

      Que bom poder ajudar! Beijão!

  6. Bia Maia comentou:

    Acho que todo mundo compartilha esse sentimento de “estou perdendo a noção”. Eu sempre me recusei a pagar mais de 60 reais em uma blusa básica, mas daí eu fico sem blusa básica e pago 200 e pouco em um vestidinho. Gente, fui comprar calcinha, e não encontrava nenhuma boa por menos de 20 reais! rs
    Só tenho comprado coisas em promoção, e tenho algumas peças compradas na pressa, pra uma situação específica, ou que mamãe me dá de aniversário.
    Tá difícil!!!

    1. Carla respondeu Bia Maia

      Calcinha e sutião, tá difícil.

      1. Sabrina respondeu Carla

        Fui comprar minha calcinha de reveillon amarela para atrair bastante dinheiro (rs) hoje na Valisere de Salvador e fiquei chocada com o preço.. R$ 48,00! Mas tudo é uma questão de procurar mais… rodando o Shopping encontrei uma calcinha muito parecida (fazia o mesmo efeito) por R$ 12,00 na Renner.
        Por falar na Renner, a coleção de roupas de dormir está maravilhosa..

    2. Ana Carolina respondeu Bia Maia

      Bia, vc disse tudo! To tendo que guardar dinheiro pra comprar calcinha e sutiã, estão muito caros!

  7. Michelle comentou:

    Eu vendo roupas, e fica difícil não vender por menos de R$ 100,00 até pq as roupas que compro para vender custa quase R$100,00 , mas como gosto de vender minha margem fica muito baixa , mas vendo mais por prazer mesmo. Amo roupa, moda e estar perto disso me deixa mt feliz. Quem quiser ver entre no

    http://Www.facebook.com/santamariafashion1. Roupas de algodão, nenhuma de poliéster.

    Tenho tb um brechó super bacana que é o

    http://Www.garimpandooarmario.com.br.

    Fica a dica para quem quiser conhecer. Nos dois sites aceito cartão. Bjs

  8. Christine comentou:

    A solução (ou paliativo, digamos) que encontrei foi realizar periodicamente um bazar de trocas de roupas e acessórios com amigas. Na verdade, o bazar acaba reunindo bem mais do que gente conhecida, e acho que isso é o bacana, pois quanto mais gente participar melhor. No final, você tem o gostinho bom de renovar o armário sem ter gasto um centavo.

    1. Ana Carolina respondeu Christine

      Eu adoro fazer trocas com as amigas! Preciso fazer mais! Acabei de receber uma sacola cheia de roupa da amiga que enjoou delas e dei um monte pra outra amiga com grana mais curta! Ciclo do amor.

  9. Renata comentou:

    Ontem mesmo falava sobre a banalização dos preços com algumas amigas. A questão em debate era o valor de uma saia que estava R$200, na minha visão um valor extremamente fora da realidade (pelo menos do meu suado dindin). E o material não era o melhor… E pela visão das meninas vi que isso não era anormal e que muitas marcas estão praticando esses precinhos nada camaradas.

    Mesmo as lojas de departamento, fontes de vários achadinhos, tem remarcações que transformam preços irreais em preços próximos da realidade.

    Os precinhos sobem cada dia mais e nossos salarinhos não conseguem dar conta…

    bjss

    1. Ana Carolina respondeu Renata

      Rê, as pessoas vão se acostumando a ver valores altos em tudo e quando veem algo um pouco abaixo desse valor, já acham que compensa. Olha só a psicologia reversa!

      1. Renata respondeu Ana Carolina

        Pois é. A ilusão do preço é tanta que os preços estão sem lógica… E o chato é que todas as marcas estão de se achando no direito de cobrar valores beeem acima do que valem as peças que tem.

  10. Juliana, RS comentou:

    Queridas, que transimento de pensassão!!
    Ontem fui checar a minha lista de presentes de Natal e choquei com o fato de ter comprado lembranças (porque chamar de presentes é meio over) pra 23 pessoas com menos de R$ 600, quando o vestido que do qual em mais gostei numa loja do shopping custa a exorbitância de R$ 350,00!!! Cuméquié??
    Eu uso toda a minha criatividade (e ainda vou fazer pessoalmente cupcakes pra “mimar” recepcionistas, secretárias, colegas de dança, etc) pra baratear a vida e o povo pira num pedaço de pano???
    Então fico realmente feliz com esse pequeno movimento em busca do consumo consciente e do senso crítico. Estamos juntas!! Beijos meus!

  11. Aryane comentou:

    Concordo com Juliane e com vc Ana… Antigamente pagava-se caro por coisas de ÓTIMA qualidade. Geralmente que duravam anos e passava-se de avó pra neta… Eu me recuso a comprar roupas ou objetos cujos preços não condizem com sua qualidade, por mais fofo que eu os ache!
    Parece que os lojistas querem ficar ricos com um cliente só! ¬¬

    Bom, por estar bastante cética à redução de preços, que penso seriamente em fazer um curso de corte e costura – também porque gosto de inventar.
    Assim posso fazer minhas próprias roupas lindas e exclusivas gastando no máximo 40 reais num vestido com tecido de ótima qualidade!
    Que sonho né?! haha

    Pois é… Quem sabe vira até uma loja! rs
    Mas com certeza faria roupa pra ser comprada e não sonhada…. rs

    1. lu respondeu Aryane

      Tb já pensei em fazer um curso de corte e costura. Mas até a máquina de costura tá bem carinha!!

    2. Ana Carolina respondeu Aryane

      Aryane, hoje a gente tem que se virar como pode mesmo! E quem sabe essa solução seja a melhor pra vc? 🙂

  12. Solange comentou:

    pessoal, minha sugestão,
    – nas lojas peça pela as araras de coleções anteriores
    – visite as lojas OFF do nova america, a Folic/checklist, sempre tem algo nesse valor de R$100, 000 e estão dando 15% de desconto…

    OUTRA SUGESTÃO QUE ADOTO:
    – compre não pela data, compre e guarde, quando encontrar algo que valha a pena….te dico FUNCIONA. Voce nao se desespera e paga…e ainda tem tempo de ajustar, e procurar os acessorios e sapato com mais calma…constroi o look com tempo, as vezes levo meses construindo um look, ai quando aparece a data…CATAPLOFT…eu tenho um!!!

    Fica a dica!

    1. Paula respondeu Solange

      Concordo tbm, isso funciona muito com roupa, bolsa, coisas de usar em festa. Se deixar pra comprar tudo na hora que aparecer a festa vai ser na correria e vc acaba pagando mais caro, pela pressa, por não poder pesquisar, e nem leva o mais bonito que pode achar.

    2. Verônica respondeu Solange

      Também concordo!!! Costumo fazer isto com presentes de aniversários, dia das crianças e fim de ano. Quando vejo algo bom e barato para presentear filho e afilhados compro independente de estar ou não perto destas datas.

      bjs

    3. lu respondeu Solange

      Funciona msm. Tem quase um ano (março) fui a São Pulo (sou de são luis-ma) e comprei 2 vestidos bem alinhados na num outlet na Zé Paulino, custaram 50 reais cada. Esse mês usei um deles no casamento de uma miga, ou seja ficaram lá guardados mas eu sabia q os usaria. Não me arrependo, se fosse me descabelar para comprar aqui próximo a data do casório pagaria mt mais caro

    4. Marcia respondeu Solange

      Concordo com vc Solange, sou frequentadora do Nova América, consigo peças super em conta, vale a pena.

    5. Ana respondeu Solange

      Ia dizer A mesma coisa. Lojas off e liquidações têm preços bem mais próximos da realidade. Com a história de comprar roupa pra festa disso festa daquilo, o povo pira e perde a noção gastando o 13º! Estava desgostosa pensando nisso qdo passei perto da loja off da Maria Bonita e Extra no Largo dos Leões. Achei um vestido por 100 reais que levando uma peça de inverno saiu a CINQUENTA reais. A melhor dica: nem entre em loja com preços abusivos!

      1. Essa dica da Maria Bonita Extra do Largo dos Leões eu não tava sabendo… tem muito tempo ?

        1. Ana Carolina respondeu Ana Rodrigues

          Ana, aqui no blog tem o link com todos os roteiros de lojas OFF, clica lá em cima!

  13. Carol - SSA comentou:

    Gente, lendo este post me tranquilizei…ainda bem que não tô louca…rsrss tem tempo que tenho esta sensação, mas vejo as pessoas ao meu redor, amigas, colegas de trabalho e muitas delas não compartilham da minha opinião, cheguei a me perguntar até se eu tava ficando muito “casquinha”…mas sigo firme que, sim, gastar mais de 100 reais sempre numa peça de roupa não é normal. Claro, boas peças valem o investimento as vezes, não sou ingenua, mas sempre, em toda as lojas é difícil mesmo achar algo por menos de 100 reais…esta semana fui atrás de uma regata preta de “sedinha” e a mais barata que achei foi na Sartore do Shop Salvador por 109,00. De Poliéster, é claro…
    Também me pergunto se eu tivesse ganhando mais se eu reclamaria da mesma forma…mas eu acho que sim, porque o valor do dinheiro e do trabalho devem permanecer o mesmo…
    E, Ana, seu blog me ajudou muito a saber procurar boas peças, obrigada.
    Este posto foi um alívio de que eu devo mesmo continuar a me negar a ceder aos valores absurdos que tem por aí…
    Bjs, Carol.

    1. Anonimo respondeu Carol - SSA

      Carol, eu ganho 18.000 e acho absurdo uma regata de poliéster por 109. Eu não dou.

      1. Ana Carolina respondeu Anonimo

        pois é, não é questão de quanto se ganha, mas de saber valorizar o que se tem!

  14. Oi Ana,

    O debate é realmente bom. Principalmente quando se compara os preços do Brasil com os preços lá de fora. Mas outro dia fui na Marcas e Cia e encontrei um vestido branco (100% algodão) lindo de viver por R$ 131,00. Outro dia fui na Novamente e comprei um Fause Haten verde, com pedras na gola por R$ 113,00 (como desci pra pegar o $$ no banco ainda ganhei mais 10% de desconto em cima do valor). Meu ponto é: deixa pra fazer compras em cima das festas realmente é um pouco mais complicado. Mas acredito q dê pra achar algumas coisas interessantes, mas tem que procurar.
    Só um adendo, dei uma passada na Marcas e Cia do Centro, pq resolvi olhar a coleção da Daslu pra Riachuelo. E fiquei chocada com o custo benefício. Muito melhor comprar na Marcas e Cia do que na Riachuelo. Achei as peças mal feitas e caras. O short estampado mega fofo, era de um tecido grosseiro e custava algo em torno de R$ 95,00. Os shorts incríveis da ponta de estoque estavam na faixa de R$ 100,00.

    Outra boa opção são os brechós, pra quem curte. Uma amiga estava ontem com um vestido lindo da Isabela Capeto que comprou por R$ 35,00 em um brechó.

    Então o que eu acredito é em compras conscientes. Compras que não vão virar desapegos em 1 ano. Minhas roupas ficam comigo pelo menos 10 anos. Tenho roupas desde a época do colégio (já tenho 42 anos). Uso meus hoodies feliz até hoje. Meus armários são cheios, abarrotados. Mas admito que minhas roupas só saem do meus armários ou pq cresci (pros lados atualmente) ou pq acabaram. Quando fico cansada da roupa deixo ela longe das minhas vistas por um tempo e depois ela reaparece gloriosa direto pra rua. Moda vai e vem, meu gosto é sujeito as influencias externas. Então o que não estou mais curtindo muit hoje pode ser minha nova paixão da semana que vem.

    Mais uma vez parabéns e obrigada por estimular debates tão bacanas !

    Bjs

    1. Ana Carolina respondeu Ana Rodrigues

      Aninha, sempre defendi que vale mais a pena entrarmos nessas lojas OFF do que em fast fashion! Pagamos um pouco a mais de nada e saímos com verdadeiros achados!

      E olha que já me mandaram email falando q eu não poderia usar maria bonita extra aqui no blog pq não era marca OFF (!!!!!!!!!) sendo que eu paguei mais barato numa blusa do que na própria C&A!

      1. Pois é isso tá um surto. O único jeito de conseguir comprar peças bacanas por preços justos é batendo muito perna e não fechando a cara pra nada. Tem q entrar em todas as lojas. Já pensei em mandar fazer roupas. Mas ainda não encontrei uma boa costureira por um preço justo. Acaba saindo mais barato comprar pronto.

        ps: sou super mega fã do seu blog.

        1. Ana Carolina respondeu Ana Rodrigues

          Ohn, obrigada, Aninha! Ajustes e reformas – outra grande solução que a gente quase nunca pensa sobre!

  15. thais comentou:

    Oi ana
    gosto bastante daqui mas e a primeira vez que eu comento
    bom ha muito tempo eu percebo isso que os preços ao nosso redor aumentam, necessidades são criadas, mas o nosso salario permanece estagnado, é um horror.
    foi quando botei um objetivo e desde então tenho vivido desta maneira porque eu considero um desrepeito ao povo brasileiro o valor praticado pelos estabelecimentos comerciais, isso que estamos focados na esfera pessoal, alguém ja se deu conta do valor dos remédios? sinceramente eu me questiono sempre como as pessoas menos favorecidas conseguem se curar em nosso país considerando o valor dos medicamentos completamente abusicos e lembrando que nem sempre há genéricos/similares disponiveis nos postos de saúde.
    bom voltando as minhas ideias eu resolvi me estruturar, me organizar e estabelecer quais as minhas necessidades, só assim conseguimos realmente pensar o que vale comprar e o que nao vale. tipo se eu consigo viver sem é porque nao preciso comprar naquele exato momento, nao é fácil mas eu acho que se voce passa a comprar e engolir aqueles valores abusivos, eles permanecerão nas alturas para sempre.
    tambem estabeleci que seria interessante ampliar os horizontes e ver os genéricos, similares, compras na internet etc somente quando está cm desconto, saldão, lembrando que faço uma leve busca e tenho em mente o valor que aquilo vale.
    gente, é basicamente isso. eu divido meus achados no meu blog e minhas ideias sobre por que não foi algo que aconteceu rapidamente foi realmente durante o sufoco que aprendi como melhor valorizar o meu dinheiro,

    um abraço

  16. Sandra comentou:

    Achei bacana o assunto. Só queria falar sobre a questão das roupas vendidas em feirinhas vs. as roupas de lojas. Nem sempre uma roupa (ou qualquer produto artesanal) vai custar mais barato que as grandes lojas. Apesar de não pagarem com custos de lojas, esses “artesãos” produzem numa escala menor e muitas vezes os produtos são únicos. Você paga pelo artesanal, pela singularidade da peça. Não que eu esteja justificando o preço da feira hippie, já que eu não vi as peças pra saber. Mas só queria colocar que esse pensamento de que porque é artesanal e não é de marca tem que ser mais barato acho equivocado.

    Também queria falar que não acho que devemos nos guiar pelo valor a ser pago pela peça, mas sim pela quantidade de vezes que usamos ela, ou seja, a relação custo benefício. Por exemplo, se você paga R$300,00 num vestido que te caiu bem, é do seu gosto e você sabe que vai usar umas 30x, não acho caro. Mas se você compra um vestido por R$19,99 e usa só um par de vezes, eu acho caro! Da mesma forma como existem pessoas que vão comprando um monte de roupa porque elas custam na faixa de até R$50,00 e abarrotam o armário, sem nem saber quais peças tem, as roupas ficam lá paradas, esperando a vez para serem usadas. Digo, toda essa questão vai além da banalização dos R$100,00!

    Beijos

    1. Ana Carolina respondeu Sandra

      Oi Sandra! Já falei sobre a relação do custo X benefício e cálculo de quanto realmente vale a peça; a mais cara é aquela q vc não usa, mesmo tendo pago baratinho nela, certeza.

      Como descrevi acima, um armário menos abarrotado e com poucas, porém boas peças, é mais útil, certamente. A questão em si vai na esfera dos valores de tudo. Tudo encareceu assustadoramente, lojas dobraram os preços de uma hora pra outra. Tem vezes que fica dificil mesmo buscar algo na questão preço x qualidade X custo-benefício. Beijos

    2. Gabriela de Curitiba respondeu Sandra

      Concordo muito com o seu comentário e penso igual.
      Opto por qualidade sempre! Verifico a composição dos tecidos e vejo se vale a pena o investimento.
      Tb acho que roupa tem que durar bastante, assim como sapatos e bolsas, e por isso me submeto a pagar mais caro algumas vezes, sempre de olho na tríade cutoxbenefícioxutilidade.

  17. Naiara Costa comentou:

    Todo mundo concordando e eu num vou ser diferente. Sou só uma mera estagiária, e infelizmente (ou felizmente) meus pais num me bancam mais em quase nada. Quer dizer, eu preciso pagar todas as minhas contas e isso me faz pensar muito antes de gastar rios de dinheiro em uma roupa.
    Daí que eu acabei virando adepta das compras pela internet, o que é meio triste pq isso num ajuda as lojas brasileiras e tal. Mas o que eu posso fazer?
    Outra coisa, eu sempre soube que eu num era o público alvo de marcas como a farm, por exemplo, que cobram 300 reais num vestidinho. Eu via as peças e achava lindas, mas se eu gasto isso num vestido, lá se vai dentista, saídas de fim de semana, remédios, livros… num dá, ne. Mas o que me impressiona é que as lojas que eu me considerava público mudaram o posicionamento de mercado e subiram os preços absurdamente. To falando de lojas de departamento mesmo. E agora, quem atende o público classe média baixa?

    Adoro brechós e concordo com as meninas, mas o problema é que brechó se faz de achados, ne. Não dá pra ir com uma idéia fixa, as vezes vc quer um vestido de tal jeito e lá num vai ter necessariamente… só sei que a vida tá cara demais.

    1. thais respondeu Naiara Costa

      eu super concordo contigo (vide minha resposta acima) e faltou dizer que a minha vida mudou justamente por conta da “vida de estagiária que se sustenta”, foi quando eu mudei tudo, passei a ter objetivos estabelecidas e, necessidades claras, consumo consciente acima de tudo. E eu faço o cálculo de quantas vezes irei usar, mas nem sempre é bem justificada acho,.. Ainda assim, eu mantenho as coisas em rédeas curtas: tudo muito bem calculado para não dizer apertada! 🙂

  18. juliana comentou:

    Ana… adoro seu blog e seu estilo super feminino! A-do-ro.
    Enfim… botar a culpa nas lojas é muit fácil, mas temos de lembrar que, se eles colocam preços absurdos, é pq tem gente que paga. Infelizmente.

    1. Ana Carolina respondeu juliana

      sim, a banalização chegou na cabeça do consumidor.

  19. Priscila de Curitiba comentou:

    Ai Ana, concordo plenamente tudo está muuuuito caro, as vezes me surpreendo com alguns preços, e depois que passei a me preocupar com a qualidade dos tecidos e caimento, cada vez acho as coisas mais caras, pois a qualidade não acomapanha o preço!!!!!

    Adoro entrar em lojas para garimpar, então entro nas lojas caras e baratas, afinal vivo procurando peças em promoção!!!!!!

    E sempre que acho legal e barato arremato, mesmo que não tenha nenhuma ocasião para usar, afinal detesto comprar roupas em cima da hora, então em Outubro já estava preocupada com que eu ia usar no Natal, e digo com orgulho que a roupa de Natal achei dentro do meu proprio guarda roupa, um vestido lindo que havia usado apenas uma vez, então diminui o comprimento e ficou perfeito!!!! Só comprei uma sandalia nova, acessorio vou usar os meus!!!!! Então estou tranquila a mais de um mês!!!!!! Isso para mim é compra consciente, com tempo e pesquisa!!!!!

    E seu blog tem me ajudado muuuuito!!!!! Obrigada!!!! Bjos

  20. Dani comentou:

    Pois é… adorei essa matéria e é isso mesmo… aqui no Rio os preços estão super absurdos… Outro dia fui a Renner do Rio Sul e passei 3h lá pra levar só duas peças pq o que levei para o provador já estava beirando a R$600 e sinceramente não estava disposta a pagar esse preço! E isso não é só preço de roupas aqui no Rio… é aluguel, escola pra filho, passagens, supermercado…. o que precisa é que as pessoas comecem a coibir esse tipo de abuso, mal comparando com o que aconteceu nos recentes shows que aconteceram da Gaga e da Madonna!!! Ingressos nas alturas… Compro minhas roupas em lojas de departamento e roupas nessa loja estão sendo vendidas a R$200, R$300… agora vou passar a comprar em bazares e promoções… tá tudo muito difícil… adorei a matéria… deveria ser de jornal. Bjs

  21. Paula comentou:

    Mas é aquela coisa, se o povo paga, pra que vão abaixar? Sim, desculpaí, mas roupa e acessórios aqui no Brasil são absurdamente caros e inflacionados PORQUE O POVO PAGA. Não tem imposto que justifique. Pessoas classe B, C, comprando direto sapato de 400 reais daquela marca famosa. Reclama do preço mas tá lá pagando pra poder dizer que tem. Eu, mesmo ganhando muito bem, me recuso a dar 400 reais em um sapato, ou 300 num vestidinho todo de poliéster. A solução que eu encontrei pra comprar roupa boa num preço acessível é comprar naqueles sites tipo privalia/brandsclub/coquelux. Já garimpei verdadeiras pérolas lá, roupa de linho, lã, seda, por preços menores que os similares em poliéster. Tbm só compro em promoção.
    E concorrência da China é motivo pras lojas ABAIXAREM os preços, não aumentarem, isso é noção básica de economia.

    1. Larissa respondeu Paula

      Fui comprar uma bermunda na riachuelo, e na hora de tirar a etiquta com o prço, pois era um presente , pamem, percebi que a peça tava remarcada: 7 reais a mais que o preço anterior. Honestidade cade vc???

  22. márcia boiko comentou:

    e roupas de criança então que nunca vão pra promoção e são sempre $$$. eu tenho dois filhos e rebolo pra manter um guarda-roupas minimamente decente pros dois. o apelo dessas lojas de departamento pras marcas com personagens é um abuso. eu nunca os levo pra comprar roupa porque será certo um pedido de super herói e princesa.

    eu fico boba de ver crianças com suas próprias sacolas nas lojas comprando o que querem como mini adultos enquanto as mães seguem enlouquecidas parcelando tudo em mil vezes.

    eu acho que ok as lojas parcelarem, mas cadê o desconto a vista? eu também procuro por bazares, brechós feiras etc mas acho que essa época do ano essas compras devem e precisam ser evitadas, não só pelo stress como também o dinheiro que vai e já temos a certeza que em janeiro tudo segue liquidando absurdamente.
    ví o depoimento de um lojista dizendo que mesmo liquidando em 50%, depois do natal, seu lucro era bem gordinho.

    como outras falaram acima, vale a pena deixar uma roupa curinga guardadinha pra ocasiões de festas de final de ano.

    beijo

    1. Letícia Garcia respondeu márcia boiko

      Também tenho 2 filhos, ainda são pequenos e não estão na fase de pedir e escolher, mas fico boba como só por ser do Patati-Patatá, Galinha Pintadinha, Ben 10, Homem-Aranha, o preço encarece absurdamente. Comprei Ipanemas Babies pra eles por 12 reais, se fosse de um desses acima o preço subia pra entre 18 e 22 reais. O mesmo acontece com brinquedos.

  23. Maria Fernanda comentou:

    Oi Ana!
    Apesar de visitar o seu blog frequentemente – e adorar – essa será a minha primeira participação por aqui! 🙂
    Como você, moro no Rio, o calor está dos infernos e estou tentando colocar mais vestidos no meu armário, muito pela praticidade e pelo conforto. Mas como sabemos essa não é a melhor época para fazer compras pois nada está em promoção. Por isso resolvi ir no off da Leeloo no Vertical. Já comprei roupas lá e apesar de não achar os preços em conta acho justos pela qualidade das roupas. Só que dessa vez achei um absurdo pois os vestidos da parte OFF estavam em torno de R$200/R$250. Fiquei passada e sai de lá sem vontade de voltar. Eu estava imaginando chegar lá e, como das outras vezes, encontrar vestidos de R$100 ou um pouco mais. Frustação… de OFF não vi nada.

    Aproveitando, queria deixar os parabéns pelos posts e por estimular e compartilhar pensamentos para um consumo mais consciente!
    Beijos

    1. Ana Carolina respondeu Maria Fernanda

      Que coisa, Maria! Mas não vamos desistir, hehe! Beijão pra vc!

  24. Samanta comentou:

    Oi, Ana. Tudo bem?
    Achei o seu post de hoje superpertinente…
    Sou de São Paulo e estamos passando por um calor por aqui como acho que nunca antes senti, rsrsrs… Assim, andei batendo muita perna para conseguir comprar umas roupas de verão para ir ao trabalho (saias e vestidos, principalmente). É isso mesmo, os preços estão assustadores e a qualidade horrorosa. Chega a ser uma falta de respeito para com o consumidor. Enfim, eu estou à caça ainda, porque meu guarda-roupa de alto verão era praticamente inesistente… sempre consegui me virar bem com roupas de meia-estação porque os verões por aqui eram amenos… mas, isso é passado! Algo que me impressionou em minhas buscas foi a quantidade de roupas feitas com tecido poliester! Como assim? Rsrsrs… Eu aprendi a olhar na etiqueta porque não uso poliester no calor de jeito nenhum! Mas tem muita gente que não sabe disso e anda comprando gato por lebre… É preciso ter muito cuidado.
    Eu tenho comprado peças de algodão, viscose e viscoelastano, sobretudo, que são as “mais em conta”.
    Acho um absurdo pagar mais do que 100 reais por um vestido, mas cheguei a pagar 120, fazer o que… Ou é assim, ou é morrer assada!
    Eu consegui achar peças legais na Renner, na Collins e na feirinha do Shopping Center 3 na Paulista, que rola todo domingo. Consegui comprar uns vestidinhos de 70, 80 reais e até peguei uma “promo” na Collins de vestidos de 30,00 e 40,00. Fica a dica então!
    Beijos, querida! Adoro seu blog.

    1. Ana Carolina respondeu Samanta

      Samanta, eu estive em SP na segunda e MEU DEUS, morri de calor!! parecia que eu estava no Rio! 🙁 Tive que comprar de emergencia uma blusa fesquinha, mas quase tive um treco…tudo caro demais. 🙁

      1. Samanta respondeu Ana Carolina

        Não tá fácil esse calor, Ana… rsrsrs… Quando baixa o desespero então, a gente vai lá e paga o preço!
        Fiquei sabendo pelo blog que vc esteve aqui no shopping Tatuapé, do lado da minha casa e eu estava lá no mesmo dia! Rsrsrs… Que pena que não te vi, adoraria esbarrar com vc por aí, rsrsrs.
        Estive no Rio em agosto (na época q saiu a coleção da Andrea Marques para a C&A) e pensava: será que vou encontrar a Ana por aí? Rsrsrs…
        Sou sua fã, leio seu blog “todu dia”!
        Beijos, querida! Esse post causou, no bom sentido, e estou lendo os comentários também…

  25. Liliane Nascimento comentou:

    E eu que moro em uma cidade do interior onde os lojistas saem daqui para comprar nos grandes centros? O preços acabam sendo abusivos principalmente levando em conta o baixo poder aquisitivo de boa parte da população. Desde a adolescência compro em uma lojinha cujos preços eram bem razoáveis e as peças apesar de não serem de marcas famosas eram de boa qualidade. Hoje quase não compro mais lá, os preços foram para a estratosfera e a qualidade pro ralo. Estive lá essa semana e olhando umas blusas simples a R$ 60,00 e calças jeans infantil a R$110,00 decidi esperar pela feirinha local que acontece aos sábados e procurando encontra-se muita coisa boa a preços mais acessíveis e detalhe já vi muitas peças dessa feirinha vendidas também em lojas a preços exorbitantes e gente pagando por ser de “loja”. Infelizmente enquanto houver quem pague caro por crer de preço equivaler a qualidade a coisa continuará desse jeito.

  26. Alinne Andrade comentou:

    Existem outras pessoas que pensam como eu!
    A qualidade tá lá embaixo e o preço tá lá em cima. Agora pras festa de final do ano, eu analisei o que eu tinha em casa e comprei o que realmente estava precisando e ainda cacei promoção e achei. Não vou gastar horrores agora para em janeiro sentir a mesma dor de outros anos, o shopping inteeeeeiro na promo, roupas compradas 1 mês antes com até 50% de desconto. Queria muito uma sandália da Arezzo, mas aqui em SP em janeiro já tem liquidação e não vou pagar mais caro agora.
    O negócio é guardar dinheiro e deixar pra comprar sempre nas liquidações, peças atemporais, de boa qualidade e que vão durar horrores. Modinha eu compro em lojas com preço mais amigo, pq vou deixar de usar logo então não vou gastar fortunas.
    Tá difícil fazer render o dinheiro hoje em dia, R$ 100,00 virou R$ 10,00.

  27. Clara comentou:

    Ufa, que bom saber que mais gente se sente assim! Precisei comprar um vestido pra uma festa de final de ano e não encontrei nenhum decente por um preço razoável. Nenhum! Pensei a mesma coisa que a Juliana: até os caros são de poliéster, só tecido ruim. Minha gente, assim não dá. Cortes horríveis, cara de roupa chinfrim… Fui em bazares, mas todas as roupas tinham cara de que encalharam nas lojas, e as que não tinham ainda estavam caríssimas.

    Uma loja que tem um preço mais acessível e acho que investe em tecidos melhores, bom acabamento e detalhes (como botões) é a Hering. Eles usam mais algodão e viscose, por exemplo, acho que não vi nenhuma peça de poliéster nessa coleção. Uma pena que não façam vestidos mais de festa! 🙁

  28. Maira comentou:

    Sempre venho aqui e nunca comento…não estranhe, tenho essa mania e a vida corrida não me deixa…rs
    Hoje, achei bem pertinente sua postagem.

    Venho comentando em casa com o maridão sobre como as coisas estão caras, e ele sempre brinca e responde que sou eu que ganho pouco…rs…fato esse que sou obrigada a discordar, pq se eu for comparar com a média salarial do nosso país, ganho até razoavelmente bem. Acho que na verdade as coisas que andam caras d+, já virou banal entrar num site e achar uma rasteirinha por R$260,00; como assim? R$260,00? Short de tecido bem meia boca com cara de almofada de chita a R$100,00? Blusinha de malha bem furreca com a cara de sei lá quem estampada que hj chamam de tshirt a R$140,00, só pq tá na moda?
    Eu ralo muito por mes pra ganhar essa quantia e fico indignada com esses preços abusivos.

    Antigamente, não muito tempo atrás, diga-se de passagem, podíamos ir a essas ljs de departamentos tão famosas e achar roupa legal, com preço bom, bem feitas, mas hj sinto dizer que cada vez menos isso vem acontecendo, pelo contrário, hj em dia achamos tudo muito caro, modelagem péssima, e a costura, nem se fala.

    Gostaria de entrar numa lj e pagar o preço justo numa peça bem feita, com um tecido dígno e que não esteja pelo menos fora de moda, rasgada ou manchada.

    Fica a minha indignação um pouco mal humorada mas esperançosa…quem sabe essa realidade de hj possa ser diferente amanhã!

    Bjocas e parabéns pelo blog.

    1. Paula respondeu Maira

      Tem essa, se vc diz que não paga tanto numa roupa, que tá caro, falam/pensam que vc que ganha mal, vc é “pobre”. Parece que todo mundo que tem dinheiro paga sem reclamar (e umas pessoas que não têm dinheiro tbm pagam, pra fingir que têm).

      1. Maria Carolina respondeu Paula

        Concordo com tudo o que foi escrito e acho que esse tema é mais do que pertinente. Sabe quem sustenta o comércio brasileiro em geral? É a achatada classe média (da qual eu faço parte). Funciona assim: a classe A viaja sempre e portanto monta o closet no exterior, deixando pra adquirir poucas coisas por aqui. As pessoas de menor poder aquisitivo, por não poderem viajar com tanta frequência e almejarem ter produtos bons e com alguma qualidade, acabam tendo que se sujeitar a comprar por aqui. Aí é um tal de parcelar em não sei quantas vezes (com juros embutidos, claro…) e muitas vezes comprar o que você não precisa, com um dinheiro que você não tem, para parecer algo que você não é! E como se não bastasse, você se mata pra comprar roupas caras e de EXTREMA má qualidade. E nós é que somos pobres ou ganhamos mal? De jeito nenhum! Estamos é acostumados a ser explorados, enganados, e ainda damos risada. Triste, mas é a realidade. Eu ando mudando muito minha forma de consumir, antes tarde do que nunca!

    2. Veronica Castilho respondeu Maira

      Também concordo com você Maira, até as lojas de departamentos estão deixando a desejar, roupas mal costuradas, tecidos ruins. Vemos lojas com blusinhas que não tem nada demais, por R$ 80,00/ R$ 100,00 / R$ 150,00. Também estou indignada com esses valores absurdos e a qualidade das peças. Eu não vejo tanta essa dificuldade para os homens, mas acho que as lojas femininas abusam dos preços porque sabe que as mulheres (não todas) são mais preocupadas com moda, de não repetir peças (não é meu caso…rsrrsrs), de gostar de novidades e com isso aumentam preços e diminuem a qualidade, as peças não tem durado tanto quanto gostaria e deveria. Mas como tem gente que paga, as outras que sabem o valor do suado dinheiro sofrem!!!

  29. Patrícia comentou:

    Oi meninas,

    Sobre lojas de roupas baratas, eu achei recentemente esta posthaus.com.br/. Comprei 3 vestidos, um longo e dois curtos e me saíram por 114, 00 incluindo 12 reais de frete. Os vestidos me cairam colo uma luva e outra, quem olha, acha que é vestido caro. Estou dando uma dica sincera.

  30. Natália comentou:

    Oie gente,nunca comentei sobre nenhum post aqui,mas sou leitora assídua do blog,adoro muito pelo fato de mostrar como podemos estar bem vestidas sem gastar muito. Vocês moram ainda em grandes cidades, a maioria pelo menos,e o blog mostra roupas , que na maioria das vezes, as lojas são grandes redes. Eu moro no interior do estado de rondônia,pensa! Aqui tudo chega super hiper mega caro,e eu acho um absurdo pq sei que a pessoa foi lá em são paulo,ou goiânia e pagou muito menos que o dobro pela peça. é um absurdo! Não sou uma pessoa que compra roupas de ‘marca’, não ligo pra isso,mas os preços desses produtos que estou dizendo são de roupas que não tem essa tal ‘marca’, que a gente vai na outra loja ali do lado e vai ter uma ‘parecida’. Então assim,eu quase nunca compro mais coisas aqui! Ou peço da internet, ou quando vou à capital,vou no shopping e compro em CeA e Renner,por exemplo. Eu acho caro pagar em uma blusa 200 e poucos reais, acho caro pagar em uma camisa quase 300! Acho caro porque quem paga sou eu,e acho que nesses valores eu posso fazer uma utilização melhor desse dinheiro do que gastar com roupas. Ah,e não é porque que é caro que é bonito,ou que eu não uso roupas de marca que sou brega. Muitas amigas elogiam minhas roupas,pelo fato de saber escolher peças,essa é a diferença,tem que ter paciência pra isso..ainda bem que eu tenho..hahahaa. Bom gente,é isso..beijos e adoro o blog!

  31. Licia comentou:

    Ana, impossível não te admirar!!
    É preciso muita coragem para no meio de uma blogosfera inundada por “precinhos” de 200, 300 reais por apenas uma camiseta (ou saia, short etc..) dizer a realidade da maioria das leitoras. Muito obrigada pela lucidez e transparência!
    Também sou autônoma, sem 13, sem bolsa-família e 100 reais é muito dinheiro sim. Nessa época de Natal e Ano novo, que todo mundo quer roupa nova, eu optei por gastar em acessórios e na costureira para ajustar, encurtar, modificar as roupas antigas =)

    1. Paula respondeu Licia

      Com certeza quem ganha bolsa família tá numa situação bem melhor que a sua né Licia?

  32. Paula Carolina comentou:

    Para eu gastar R$100 em uma peça é pq amei muito e quase não tenho nada nesse valor ou acima no meu armário, tudo bem que sou pobrinha!! rs
    Sempre tento pegar promoções para comprar peças boas com um preço melhor, antes comprava só pelo preço e o barato saia caro depois, mas acredito que só aprendemos isso depois de tomar muito na cabeça..não é?
    Sou de Americana-SP e fui esses dias para o outlet Premium, comprei apenas uma peça pra mim na loja da hering, na parte por kilo uma blusinha bem fininha de poliéster do tipo mais arrumadinha para uma viagem de trabalho (quase não tenho peças assim) ficou R$6 da marca dzarm, tentei ver se achava de outra cor mas era a filha única mesmo!!!
    Do mais não achei mais nd que valesse a pena para mim naquele momento, vi vestidinhos lindos na khelf por 129, mas como eu disse não era o que estava precisando!

    Acho que o que devemos fazer é sempre garimpar, aguardar promoções e sempre avaliar quais peças valem a pena no nosso armário mesmo pagando um pouco mais caro.

    Aprendo muito com o seu blog!
    beijos

  33. Camila comentou:

    Oi, Ana,

    Concordo que o mais lógico seria comprarmos peças de mais qualidade, para durarem mais. Mas eu pergunto: se até mesmo as de qualidade duvidosa (Zara, por exemplo) são caras, como fazemos para comprar as que possuem caimento e tecidos melhores? Essas então são inacessíveis…Se formos economizar um pouco todo o mês para comprarmos roupas melhores (e mais caras, portanto), em quanto tempo poderemos comprar um vestido que vai durar muito tempo? Enquanto isso, como andamos bem vestidas em todas as situações (trabalho e vida social)?

    Aff!!

    Bjs e parabéns pelo blog, sempre inteligente!

    1. Ana Carolina respondeu Camila

      Camila, é uma equação mais complicada, mas possível. De pouco em pouco, eu consegui alguns investimentos no meu armário que vão me acompanhar em qualquer ocasião! Foi como falaram lá em cima, tem que ter foco e garimpar fora das épocas como natal ou em cima da hora de alguma festa.

      Muitas não são inacessíveis, não! A gente que não está acostumada em entrar em loja mais cara, fica com receio, mas algumas tem épocas boas de se comprar, como liquis e bazares. Já fui numa liqui da Animale e quase comprei uma camisa branca, linda, por 85,00. Possível, né? beijos

  34. Ana Miranda comentou:

    Gente do céu, vamos nos unir, vamos boicotar o sistema comerciário brasileiro, vamos juntas, ninguém compra nada até 2014!
    Hahaha aquelas que ta revoltadissima e ve que não tá sozinha.
    Essa semana eu estive na Riachuelo. Podem me condenar mas nunca achei a Riachuelo uma C&A ou uma Renner. Eu sei, é tudo fast fashion mas pode ser implicancia minha, preconceito, etc… nunca achei a Riachuelo grandes coisas 9eu adoro roupas da C&A e Renner), roupas simplesinhas, cortes normais, tecidos (horriveis) ok, etc… Ta, fui lá procurar um chemise branca (to louca atrás de uma há mto tempo). Achei, quanto? R$100!!!!!! Juro!!! Dai que achei tão absurdo que fui ver se tinham outras coisas que prestassem, pq por esse preço achei que era nova coleção, era feita com fios de ouro, sei lá… Nada, tudo roupa basiquíssima. Camisa social, não achei UMA por menos de 69,90, e essas camisas simplezinhas que rasgam só de tu forçar um pouco o tecido.
    Eu tenho uma filosofia de vida, passou dos 100,00 eu já penso 3 vezes se eu quero a tal peça. é assim que me baseio.
    Mas que da vontade de largar tudo e ir morar fora do Brasil, dá.

    Muita gente me diz assim “ah Ana, o que tu ta reclamando ai? La fora tb ta caro”. Ta caro pra nós que somos brasileiros, ganhamos em real e vamos comprar em dólar ou euro (e já saímos do país perdendo dinheiro). Eles ganham em dólar, em libras.., pra eles os 50 dólares num vestido (l-i-n-d-o e muitas vezes digno de casamentos) da forever 21 é 50 dólares mesmo, diferente de nós que o vestido de 50 obamas é na verdade 100 e pouco reais.
    Nossa tributação é absurda. Eu sei tb que tem mta coisa embutida como, o aluguel da loja do shopping ou o trabalho do artesão que a fez. Mas desconsiderando todas essas questões e levando-se em conta somente a questão do consumidor, os preços estão abusivos sim em comparação aos salários ganhos.
    Minha amiga (artesã, faz coisas absurdamente lindas, decoram desde a minha casa ao meu guarda-roupa) cobra um valor consideravel (a.k.a carissimo) por suas peças, mas qndo saimos as duas pra comprar (em qualquer lugar) eu vejo ela indignadissima com os preços assim como nós.
    É aquela máxima de sempre, não tá facil para ninguém mas nós consumidores temos que ‘entender’ eabsorver os preços altos do comércio, ninguém entende o lado de cá!!!

  35. Ana Miranda comentou:

    Ps: Compro mto em chinês, muito. Gostaria de comprar no Brasil, no meu país, iria chegar mais rápido, eu poderia provar as peças, pegar nelas, mas não há escolha, nem se comparam os preços entre as duas, então é o que temos e ainda bem que existem os chineses nas nossas vidas.

    Desculpa a bíblia aí de cima Ana, é muito bom quando a gente encontra um assunto legal assim, compartilhado por todas nós, em que é possivel debater sobre.
    Acho que todo mundo tem isso engasgado e espera uma oportunidade pra poder ‘soltar os cachorros’ e lamentar esse abuso que sofremos ao comprar.
    Queria dizer (mais uma vez) que eu adoro seu blog, que eu adoro o jeito que tu trata os assuntos, o jeito que tu trata às pessoas, respondendo à elas e enfim….
    Tb queria elogiar o assunto abordado. é muito legal a gente poder discutir coisas pertinentes como essas, exprimir sua opinião a respeito e poder aler as diversas opiniões, semelhantes ou não às suas.
    Um beijo, parabéns e obrigada.

  36. Ótimo o email da Juliana, concordo com tudo e SEMPRE tive essa visão! Sabe o que penso? Com R$200,00 você compra um microondas. E tem loja que vende blusa por esse preço. Chamo de lógica do microondas, hahahah. Se dá pra comprar um bem durável (não que roupas não sejam, mas dá pra entender meu ponto de vista né?), não gasto com roupas – e sapatos!

    1. Rose respondeu Eduarda Wandekoken

      kkkkkkkss Eduarda flor concordo com vc realmente é isso mesmo e sí vc ver que tem gente que da 3.000 em uma bolsa que no ano seguinte já não tem valor,sendo que eu comprei com esse dinheiro uma geladeira que provavelmente estará inteira daqui a 15,20 anos é de enlouquecer mesmo kkksss bjs..

      1. Gabriela respondeu Rose

        Gente, e existe geladeira ou microondas que durem tanto tempo assim? hahaha Minha geladeira com menos de cinco anos pifou. Acho que nada hoje em dia é feito para durar. Carro então..Antigamente as coisas duravam mais…Não se fazem mais carros, roupas e eletrodomésticos como antigamente

        1. Ana Carolina respondeu Gabriela

          O meu micro-ondas durou 4 anos 🙁

    2. Anônima indignada respondeu Eduarda Wandekoken

      Eduarda, pensamos iguais, a diferença é que uso as joias como referência.
      Inacreditável, tem sapato que custa o valor de uma corrente de ouro 18k!
      OURO, que nunca perde seu valor, pelo contrário!
      Toda vez que quero comprar algo como roupa/sapato, finalizo a compra numa joalheria.
      E concordo com outra leitora sobre a ostentação. Muita gente compra só pra aparecer, veja o Iphone, por exemplo.
      Há muitos aparelhos tão bons quanto, mas não tem a maçã impressa.
      Bom, viajo com frequência para o exterior e me RECUSO a pagar os preços do Brasil. E não me acho esnobe por pensar assim.
      A questão não se resume em poder pagar ou não, mas em comprar de forma inteligente.
      Ando pelos shoppings e me sinto feita de idiota pelos logistas. Como assim, mais de 100 reais por uma camiseta de malha?
      Aqui só levo pra casa nas liquidações e fora delas, depois de analisar tudo. Tecido, costuras, acabamento, e se é um modelo clássico, que vai durar vários anos, então eu vejo se compro ou não.
      E ultimamente tenho rejeitado muitas peças.
      Não estou preocupada em comprar para me mostrar, entro onde vejo coisas bonitas, incluindo Renner e C&A . E apesar de não ter um baixo salário, eu prezo pela qualidade, não pela etiqueta.
      Como já disseram, enquanto houver quem pague, haverá quem pratique preços exorbitantes.

      1. Ana Rodrigues respondeu Anônima indignada

        Eu acho assim: comprar diamente por preço de diamante é ok. O que não é ok é comprar caco de vidro com preço de diamante.

        Dito isso: não acho absurdo pagar por um tailler Channel acho que ela vale cada centavo. Mas acho um absurdo pagar o preço de uma blusa mequetrefe de poliéster que acha que fashion.

        Simples assim

        1. anônima respondeu Ana Rodrigues

          Ana Rodrigues,

          Como disse antes, a etiqueta não é a chave para eu ser conquistada por uma peça. Não tenho roupas da Chanel, só perfumes, mas por gostar da essência, não pela grife. E garanto, já tive um do Boticário que fixava melhor que um dos meus da Chanel!
          Conheço pessoas que só compram peças caras por pura ostentação. Talvez por isso não lhes sobre dinheiro pra mais nada a não ser pagar as prestações adquiridas.
          Confesso que tenho aversão a gente assim, que precisa se autoafirmar a todo instante.
          Concordo com você sobre pagar o preço justo, mas não vejo “justiça” cobrar valores abusivos apenas pelo status agregado à etiqueta.
          Quer um exemplo?
          Veja os preços dos solitários na Vivara e veja em outra joalheria sem marca, porém confiável. Sim, você paga mais caro lá pelo mesmo diamante e peso do ouro.
          E é com isso que muitas pessoas se preocupam. Eu não!
          Sou bastante consumista mas sei avaliar o custo e qualidade de um produto. E por admirar a Ana, que prova que bom gosto não tem nada a ver com pagar caro, que fico indignada com esse consumismo de aparência.

    3. Ana Carolina respondeu Eduarda Wandekoken

      Xi, Eduarda, nem os bens duráveis estão sendo feitos pra durar…meu microondas durou apenas 4 anos! 🙁 Mas gostei da lógica, rs!

    1. Paula respondeu Lica

      Acontece com tudo que é supérfluo e é usado com o fim de ostentação, de glamour. Cobram caro porque pagam caro.

  37. Bom, eu concordo muito com o post no sentido da banalização do consumo e da alta absurda dos preços. Já tinha comentado lá no blog (LoucadeBatom) e acho que até aqui também, que pra mim a inflação já voltou com tudo e a gente só não foi avisado oficialmente.
    Li vários comentários aqui em cima e concordo que, com tudo isso, é importante avaliar o tecido, os detalhes diferenciais da roupa e a quantidade de vezes que iremos usá-la para saber se vale a pena.
    Mas também penso que…
    1- Nessa época de Natal tudo é mais caro. Os shoppings estão lotados, as pessoas e os lojistas enlouquecidos, não acho uma boa época para a gente tomar de parâmetro. Então a minha sugestão é aguardar aquele período de liqui que antigamente chegava em março, antecipou-se para fevereiro e agora já costuma começar em janeiro! Dá pra fazer compras muito melhores com o mesmo dinheiro.
    2- Eu sei que é exceção, mas ainda dá pra comprar por menos de 100 reais. Comprei recentemente dois vestidos, ou melhor, comprei um e ganhei o outro, respectivamente da CeA e da Renner, por 59,90 e 79,90. Achei os dois muito bonitos. A própria Ana encontrou um remarcado por 49,90. Então também acho que a gente precisa é procurar. Sempre.
    Beijos em todas e continuemos a reflexão, que é super importante mesmo nesses tempos… 😉

  38. Paulavmb comentou:

    Ta tudo caro demais mesmo!

    Tenho uma mega duvida e queria saber a opiniao de vcs!!! Vcs concordam que tem poliester melhor que esquenta bem menos que os outros? Pq todo mundo fala mal do poliester, mas eu tenho a impressao que tem uns bem bonzinhos…

    1. Silvinha.ba respondeu Paulavmb

      claro q tem, poliester é um bom tecido, mas tem q ver pra o q vc quer e qual poliester vai escolher!!

    2. Paula respondeu Paulavmb

      Sim, com certeza, tem “escala de pobreza” de poliéster, tem aquele mega chinfrim tipo tecido de abadá, e vai subindo até chegar em uns que parecem mesmo seda ou um tecido bom. Mas no tema “esquentar” eu já não sei.

    3. Denise respondeu Paulavmb

      Ontem, eu pensei nisso: usei uma blusa da coleção Carina Duek para C&A, de poliéster que acho bem fresquinha. E olha que no Rio estava um forno!
      Tem poliéster de todo jeito por aí.
      bjs

    4. Ana Carolina respondeu Paulavmb

      Paula, tb acho o mesmo que as meninas: tem poliester e poliester. Deve ser o tipo de fibra, fabricação, matéria-prima…eu tb tenho uma blusinha de poliéster que não esquenta tanto!

  39. Rose comentou:

    Meninas rindo e concordando com vcs esta tudo muito caro sim !!! Compra consciente é necessário. As lojas fast fashion já não são mas as mesmas estão caríssimas ao meu ver,e no meu caso acho que é pior.Sou gorda e a roupa para gorda é mais cara acho que se usa a logica de se usar mais tecido tem que ser mais cara quando encontro algo por 100,00 é roupa de maria mijona ai não dar né ? Acabo me rendendo a preços abusivos por não achar meu tamanho com facilidade, é meninas não é fácil mas acho valido uma boa reflexão ante de se comprar…

    1. Ana Carolina respondeu Rose

      Complicado, né, Rose! 🙁

  40. Noélia comentou:

    Concordo mto com este post. Hj fui comprar um presente de amigo secreto no valor máximo de 50 reais. Estou com dor de cabeça até agora procurando! Achei uma blusinha por 79 reais, mas a pesquisa foi tão desgastante que terminei querendo levar mesmo passando do valor. Resolvi pedir para a vendedora outra peça do estoque pq aquela tinha uns fios soltos. Para a minha surpresa, a blusa q voltou do estoque estava por 49 reais. Paguei 49 reais nela! felicidade para mim e para a loja também, pois se eles pensavam q valia 49, remarcaram a 79 pq? É quase o dobro do valor!!! Triste q estas coisas aconteçam…

    1. antigamente tinha cada blusa linda de 35 na cea e nao era promocao!!

  41. Paula comentou:

    Sabe aquela piada que a saída do Brasil é o aeroporto? Bom, minha sugestão é quase essa: IMPORTAR, pessoalmente ou online.

    Existe um site chamado shipito.com que faz encaminhamento e consolidacão do que vc comprar nos EUA para seu endereço no Brasil e o serviço deles é barato. Vale a pena, mesmo com o risco de ser taxada eventualmente.

    Moro fora atualmente e realmente fico assustada em voltar p o nosso país e pagar isso. Vou com certeza usar o servico dessa empresa. Pagar esse abuso no Brasil não dá…. Ontem mesmo fui na H&M e com 31 euros levei 5 peças da promocão!!!Sabe o que é pagar 3 euros por uma regata? entao… Isso que a gente está falando de roupas e do resto? Produtos para casa? RIDICULAMENTE caros no BR! Gente, só mesmo comprando pelo site das lojas e reencaminhando p o Brasil. Fica a dica. Beijos!

    PS- To quase abrindo uma lojinha p vender essas peças da promocao…

    1. Ana Carolina respondeu Paula

      Paula, tb fiquei chocada com os preços mais em conta da H&M na Europa. Tinha pra todos os bolsos.

  42. Concordo e mais uma vez eu digo: vc disse tudo!

    Pra ganhar 100 reais da trabalho!

    Eu sou dentista e digo, num consultorio, qdo a gente cobra 100, pode ter certeza q mais de 40 nao fica pra mim!! tem tributo, energia, funcionario,c ondominio, aluguel de sala, material de consumo…tudo é muito caro, gente!!!

    Agora por outro lado, ja vi esse Brasil pior, Ana, somos da mema idade, o q era aquela inflacao…pra ver o preço, tinha q colocar praticamente um taximetro na gondola…de um dia pra outro aumentava 30, 40%…

    A vida nao ta facil pra ninguem!Acho cem reais muito dinheiro, pra gastar é um tapa, mas p ganhar é uma surra!!!

  43. Letícia Garcia comentou:

    Lembro daquela música do Pedro Luís e a Parede, 1 real aê é 1 real… Já era esse tempo… Até água no sinal não se compra por menos de 2 reais. O banalizado agora são os 10 reais, qualquer salgado ou docinho, 10 reais. Fazer um lanche com esse valor? Quase impossível. Vai em qualquer lanchonete pra ver…
    Quando vou ao supermercado fazer compras fico deprimida, imagina então quando os meus meninos começarem a querer iogurtes e biscoitos?
    Roupa então? Tá caro, tudo muito caro. E muitas vezes deixo de adquirir peças que ficariam um arraso no meu corpo porque me recuso a pagar 70 reais numa blusa de poliéster morando num calor dos infernos e andando de ônibus. E como respondi lá em cima pra Bruna, tem que usar a máxima de Lavoisier: “Nada se perde, nada se cria, tudo se transforma”.

    1. Silvinha.ba respondeu Letícia Garcia

      ana podia aderir a moda da customizacao!!!

  44. Maíra comentou:

    Nooosssa!! Exatamente o q

  45. Gente, se eu já sou mão de vaca com $10, imagina com $100 ! Minha mãe já teve loja, eu sei o quanto é dificil para pequenas empresas, o quanto os impostos e custos diretos e indiretos são altíssimos. Mas tem alguma coisa muito esquisita na nossa emergente cultura de consumo, na ascensão recente de consumo da classe C, tem algo de muito podre aí no ar …. É lógico que queremos ter, possuir, consumir coisas boas, temos esse direito. Mas será que precisamos desta quantidade, desta velocidade, e pagando estes preços ?

  46. Maíra comentou:

    Noossa! Exatamente o que venho falando a anos!! E a impressão que eu tinha, é que só eu percebia isso!!
    100 reais é o novo 10 reais!!
    Eu fico absurdada ao entrarem zara/renner/c&a e não achar nada descente por menos de 80 reais! 80 reais já é caro pra uma roupa que vai durar 2 meses!! Já fiquei quase um ano sem comprar roupa, não por propósitos mas simplesmente pq me sinto roubada! Se as que eu tenho estão boas, pq gastar um absurdo só pra ter mais? Não compro! Felizmente tenho auto controle e consciência do meu dinheiro e de que não preciso de um oitavo vestido no armário e nem uma quarta calça jeans! 🙂

  47. Erica comentou:

    Ai ai… E pra quem tem filho então? Tenho duas meninas, de 2 e 1 ano, e as roupas duram 3 meses. É assim: um dia vc tenta colocar o sapato e o pé não cabe mais! E é assim com as roupas também . Já viram quanto custa uma blusinha de malha pra criança?
    Faço como a amiga disse aí em cima: na liquidação , compro pra ser usado daqui a seis meses quando a criança estiver maior.
    Tenho um irmão que sempre diz: ” É a necessidade que faz o sapo pular ” .

  48. Lídia comentou:

    Concordo TOTALMENTE com a Juliana!!!e o pior de tudo é que a gente vai acostumando com os novos preços e acha natural comprar uma blusinha suuuuper básica por 150.00 por exemplo..pelo menos é o que vem acontecendo comigo..se eu acho uma blusinha de 80.00 acho que ela está uma pechincha..qdo na verdade não é..poderia ser muito menos..aí vejo uma de 150.00 e acho q ela está com preço bom..gente, há um tempo atrás vc comprava 3 ou 4 blusinhas com 150.00!!!!!

  49. Tâmara comentou:

    Olá meninas, tudo bem?

    Há muito tempo venho acompanhado os preços de roupas e fico muito triste tb. A gente trabalha muito, e eu quero sim ter uma boa aparência. Creio que é da mulher ter um cabelo bonito, uma pele bem cuidade.. Dentes branquinhos, uma boa bolsa.

    Eu achei umas bolsas chinesas, sem marca nenhuma, mas de couro na 25 por 50, 65 e a mais cara inspirada na Alexa por 80. Lindas.. A de 65 é laranja, e tem feito um enorme sucesso.

    A Maria Filó que é a marca do meu coração vende bolsas a 600, sapatos a 200 e mais.

    Tudo que tenho da loja, salvo um allstar, eu comprei no mercado livre e em brechós online.

    Esse email disse tudo, entrei na Zara com uma amiga e os preços de lá não estão diferentes da Renner e da CeA.

    Comprei 2 blusinhas brancas de malha que descosturaram na barrinha… Uma vez comprei uma calça social na CeA por 20, e um belo dia ela desmanchou no meu corpo. O que me salvou foi que era inverno e eu estava de meia calça preta.

    Visitei um cliente com a calça rasgada!!!!!! =/

    Uma loja que gosto muito em Sao Paulo é a Luigi Bertolli, recomendo. A gente sempre acha algo bom, bonito e barato. Tenho calças sociais há 5 anos e estão impecáveis, meu terninho então!!!

    Só recomendo a irem sempre e olharem os preços, pois já vi peças em liquidaçao com o mesmo preço, só colocaram uma etiqueta vermelha. E também já vi peças em liquidação pelo 1/3 do valor original.

    A cada dia fica pior. Quando eu comecei a ler blogs de moda, eu até gostava do Lala Rudge, mas eu comecei a achar tão fútil que deixei. É muito fútil a gente só pensar em aparência, pois nos motiva a gastar e a gastar mais.

    Cuidarmos da aparência é ótimo, mas viver só em função dela nos leva à depressão, gastos desnecessários, sofrimento e doenças.

    O photoshop que nos diga, queremos a pele da capa de revista, queremos a cintura da capa, o corpo da angel da Victoria, o nariz da Jolie, os cabelos da Gisele… E nós, não tá bom termos o nosso nariz e o nosso proprio cabelo?

    O nariz da Joana, o cabelo da Antônia… Quem criou o padrão de beleza? Quem criou a regra de que só loiras são bonitas? Quem enfiou na nossa cabeça que o manequim perfeito é o 38? Que o peso ideal é 50kg? Que a altura perfeita é 1,75m?

    Gente, o mundo só é lindo por causa das diferenças… Se todo mundo fosse Gisele seria muito chato!!!!

    O Belo está nos olhos de quem vê!!!

    Como disse a mocinha fofa (Michelle Phan) que não se encaixa no padrão “photoshop de beleza”: Tudo tem sua beleza, mas nem todo mundo vê.

    É isso!!!

    bjosss e sejamos felizes comendo nosso cheesecake de frutas vermelhas cercadas de amigas rindo, falando sobre o Johnny Depp… kkkkkkkkkkkkkkkk

    1. Paula respondeu Tâmara

      Perfeito seu post! Também adoro a Luigi Bertolli! Vou muito aqui em BH!

  50. Marcelle comentou:

    Ana e Ju,

    O post caiu como uma luva pro meu momento. Estou em economia de guerra pra uns objetivos pessoais, e ai nas festas de final de ano, encontros, confraternirzação de empresa, eu não tinha nada pra usar! Ou pensei que não… Mas, resolvi que meus objetivos valem mais a pena do que dar a pinta de bonita! E encontrei sim no meu armário peças que posso montar looks diferentes e sem precisar gastar R$ 1!

    E estou de verdade feliz por minha decisão e principalmente por ter me mantido firme a febre de consumo do final de ano!

    Beijos em todas!

    1. debora respondeu Marcelle

      Parabens! Mantenha o foco.

    2. Ana Carolina respondeu Marcelle

      Muito bom, Marcelle!

  51. Olá.

    Sou Ana Paula Freitas, administradora de um recente brechó virtual, bazar de roupas e acessórios femininos, masculinos e infantil.

    Quero convidar a você e seus leitores para acessar e conferir os meus produtos.

    Teremos muito prazer em recebê-los.

    http://sualojausednovo.wix.com/home

    Atenciosamente,
    Equipe USE D&NOVO

  52. Natália comentou:

    esse post tem que ser compartilhado em todas as redes! caiu como uma luva, porque é um sentimento generalizado. não posso falar por outras cidades, mas essa banalização está acontecendo de forma grotesca com o o custo de vida no rio de janeiro. trabalho no centro, e se você quiser comer uma comida a quilo que você não tenha medo de passar mal, o quilo é R$50 a R$ 60; no fim de semana, um almoço ou jantar a dois não sai por menos de R$100; tenho família grande, com muitas crianças, e já vi que o orçamento para presentes vai passar dos R$ 500, isso só dando lembrancinha mixuruca.

    essa questão dos preços elevados passa por várias coisas: passa pelas dificuldades de se manter um negócio, sim, mas também pela ganância dos lojistas e por essa ideia que se estabeleceu que caro é sinônimo de bom, então as lojas colocam o preço lá em cima. aí todo mundo se acha rico (ou seja, viva, não é pobre!) porque está pagando 400 reais na maria filó ou qualquer outra grife (gente, quase um salário mínimo! tem gente que vive mês inteiro com pouco mais que isso!!). pelo menos nos cariocas eu sinto uma vibe de gostar de área vip, de se achar exclusivo, e isso se reflete nos preços dos bens de consumo e dos serviços, que são pura afetação e normalmente de meia tigela!

    acabei de voltar de uma viagem a nova york, e lá tem preços para todos os bolsos, dos mais exclusivos aos mais baratos. mas fiquei boba de ver como roupa é acessível. vc entra numa h&m, numa forever 21, numa gap e encontra blusa de algodão por 10, 15 dólares; comprei uma bolsa de couro fake por 25 dólares, uma saia por 29. sabe, coisas que não são mega duráveis, mas que são equivalentes ao que a gente encontra aqui e que sei lá, na eclectic a blusa que eu paguei 25 reais eu ia pagar 90, pela mesma qualidade! só pra vc ter uma ideia eu paguei 45 reais numa legging na renner pra levar na viagem, cheguei lá e comprei uma legging na forever 21 por CINCO dólares! é muito absurdo.

    o jeito é aproveitar liquidações, comprar no ebay e em sites de lojas desconhecidas e mais baratas e ser cada vez mais criteriosa na hora de comprar. sustentar esse ciclo vicioso de afetação e de consumo desenfreado é que eu não vou mais.

    adorei, ana! seu blog é sempre um alívio no meio das blogueiras patrocinadas descoladas da realidade que acham roupa de 300 reais uma pechincha. beijos!

    1. larissa respondeu Natália

      haha acabei de falar das fastfashion de ny tb. isso sim é acessível!

    2. Silvinha.ba respondeu Natália

      se vc olhar um site de revendas da zara, esses tipo mercado livre, vc vai ver q ainda é mais barato q os produtos dentro da loja zara do brasil….frustrante

  53. larissa comentou:

    Gente, que bom que não estamos sozinhas.
    Agora as lembrancinhas são no mínimo 50 reais.
    Eu sou de uma época em que chegava no natal e você fazia a festa no Boticário, comprava perfume pra todo mundo. Hoje você entra lá e um perfume é no mínimo 75 reais. E pra comprar pra 5, 6 pessoas? Não rola.

    Quanto as fastfashion, me desculpe, mas isso aqui não existe. Fast fashion de verdade é H&M, Forever21, Uniqlo, etc. Estive agora há pouco em NY e isso sim é fast fashion. Blusinhas básicas por 20 dolares, vestidinhos por 30 dolares, enfim. Comprei algumas coisas, não muito também, mas isso pra mim é “loja barata”. Você entrar na Forever 21 e achar legging por 6 doláres, bijus por 3, 4 doláres, isso sim é barato. Aqui não tem isso, a não ser no Saara. Sofri este final de semana passado porque cismei que queria um maxicolar verde. Até que achei por 12 reais. Mas os preços estavam beirando os 50, 70 reais. Gente, meu dinheirinho é muito suado.

    A Renner eu acho muito cara pro que é, e a C&A acho que tem ficado tão feiosa, não sei. Pra mim as únicas ainda “baratas”, se é que se pode dizer isso são a Mercatto e a Marisa, mas nem sempre as roupas são de qualidade. A Mercatto fica muito característico, porque as estampas são bem marcantes, então você sai na rua e vê e pensa: “comprou na mercatto”. A Marisa eu acho que você tem que entrar e olhar arara por arara até achar uma coisa que preste.

    Enfim, é a minha opinião.

    Beijos à todas!

    1. tb tenho dificuldades na marisa…mas eu vejo nos blogs e corro la!! rs

  54. Concordo plenamente, como nunca tive dinheiro sobrando para roupas aprendi a me virar e sempre procurar pelo mais barato, mas está cada dia mais difícil, as lojas de departamento, que é onde deveríamos encontrar as peças mais baratas estão cada dia mais caras! A solução é procurar mesmo, liquidações, lojas bem populares e partir para a Saara, ahaha!!
    A gente tem que se virar, mas realmente não dá pra pagar 100 reais numa peça de roupa, ainda mais quando temos nossas contas pra pagar!! beijos Ana!

  55. Veronica Castilho comentou:

    Ana esse post foi muito bom, está cada dia mais difícil comprar roupas, vestidinhos que custam menos que R$ 100,00. A banalização desse valor não é só para roupas, mas para tudo, você vai no mercado e compra meia dúzia de coisas e quando vê já foi os cem reais. Outro dia fui ver um camelo que vende bolsas, vi muitas coisas boas, quando fui perguntar o preço R$ 200,00 / R$ 240,00, eu não acreditei, questionei esse valor, porque não era uma loja e tal, e o dono disse que ele tinha que lucrar e valorizar o produto dele, mas ele não paga impostos, locação de loja, não tem funcionários igual uma loja. Mas tem gente que compra, tem gente que paga e por isso que continua esses valores absurdos. Tenho ficado muito triste e preocupada com esses preços e também com o consumismo exagerado das pessoas. Eu amo a Maria Filó, mas fico chocada com os preços, mas tenho amigas que saem com bolsas de roupas cheias, compram e não tem culpa na consciência pelo preço que estão pagando. Até essas lojas de departamento como Renner, C&A, metem a mão nos preços, uma blusinha melhorzinha custa R$ 89,90, um vestidinho R$130,00, tem que pechinchar mesmo, garimpar, o blog tem me ajudado muito. Uma coisa que acho que as pessoas não tem noção, tem uma amiga que comprou uma bolsa linda da Victor Hugo, custou uns R$ 2.000,00, mas ela falou eu parcelei, mas por mais que você parcele esse valor, ele sempre continuara sendo R$ 2.000,00. As pessoas tem que acordar, muitos preferem se endividar, pagar caro em roupas, sapatos, bolsas, e não vão se dando conta que as coisas estão caras, que estão aumentando e nem sempre o que é caro, é o melhor, ou que possui mais qualidade. Ana e as leitoras do RJ, alguém já foi nessa Cidade da Moda, na Via Dutra? Estão falando que são grandes marcas com preços baixos, se alguém tiver ido me fala, porque gostaria de conhecer e saber se realmente é verdade. Beijinhos!!!

    1. Paula respondeu Veronica Castilho

      Essa ilusão de parcelar as coisas… como se ficasse mais barato por causa disso. As pessoas não entendem que vc tá gastando o *mesmo* dinheiro.

      1. Paula respondeu Paula

        Pior que o povo acredita mesmo que está pagando menos! Fico chocada!

        1. Veronica Castilho respondeu Paula

          Eu também fico Paula, como falei mesmo que você parcele, sempre será o valor que é, é ficam com essa ilusão que fica mais barato.

        2. eu sempre falo isso : nossa, o preço ta salgado…e a vendedora: mas pode parcelar ate 10x (por exemplo), aí eu respondo, mas o preço vai continuar caro!!! q coisa, o povo é besta viu?! se consegue pagar, mete pes e aos em dividas!

  56. Jacqueline comentou:

    Ana, eu gosto DEMAIS do seu site. Adoro as suas opiniões e as discussões suscitadas aqui. São um grande diferencial do seu blog, mas, me desculpe, digo isso com o coração limpo: todas nós ainda consumimos MUITO (estou me incluindo)! Fico impressionada com a quantidade de roupas e acessórios q vc exibe aqui diariamente.

    Se os preços caíssem? Se eles passassem a ser justos? Será que aí mesmo é que não enfiaríamos o pé na jaca?! Sim, porque mesmo com todo mundo reclamando dos altissimos preços (estão mesmo!), a gente não para de comprar, de olhar os looks do dia diferentes TODO DIA! De ver a roupa da blogueira e tentar comprar uma igual ou parecida com a dela… uma roda viva de cobiça e desejo.

    Trabalho todo dia pra frear em mim essa loucura de consumir, lembrando, como ja disseram aqui, o que realmente tem importancia: viajar, cuidar da saúde, priorizar bens mais duraveis e que trazem, de fato, melhoria pra nossa casa e, portanto, pro nosso dia a dia.
    Fora que vai dando um cansaço… um cansaço de ver mulheres falando tanto em roupa, unha, cabelo… cansaço de ver tanta coisa amarrotando, sem uso, no guarda roupa, cansaço de ver tanta gente igualzinho na rua, nas festas… todo mundo se copiando, tentando antecipar a proxima tendencia pra ser a mais rápida a começar a usar…
    Mas é isso aí… o importante é a reflexão, sempre! Pelo menos assim a gente tenta conversar sobre mais coisas além de roupa, cabelo e acessorios.
    Um bj carinhoso

    1. Ana Carolina respondeu Jacqueline

      Oi Jacqueline! Claro, em nenhum momento me excluí dessa roda. Como eu escrevi no post, estou em um processo de minimizar as compras e quantidade de roupas. Mas só quero esclarecer uma parte: eu ganho muita roupa das marcas, já outras eu tenho há mais de 3, 5 anos. Mas claro que tb andei comprando bem. O vestido que usei essa semana, por exemplo, tem uns 6 anos. Se eu não guardasse bem minhas roupas ou ganhasse, esse blog seria uma mesmice. Atualizo tb as novidades das lojas em q compro, muita gente gosta de ver isso. Assim como blogueira de make tem q mostrar as novidades, acho importante pro approach do meu blog mostrar as novidades das lojas e fast fashion. Mas essa é a minha visão.

      De qq maneira, ando cansada de ver tanta roupa no meu armário, como vc mesma escreveu, e me desapeguei de muita coisa. Um alívio. Esse aprendizado é muito importante para nos questionarmos, sempre!

      Beijos

      1. Oi Ana, como falei num comentário lá em cima, eu tenho um monte de roupa, mas em vez de me desapegar o que eu faço quando canso da roupa e ela é boa e ainda cabe é esconder de mim mesma. Assim depois de um tempo vou fuxicar no arquivo morto e sempre tenho ótimas surpresas. Nos dias de hoje está realmente bem dificil encontrar roupa boa por um preço ok. Então pq vou trocar algo de qualidade que á tenho por algo de qualidade inferior ? Outra boa opção tb é dar uma reformada. As vezes basta trocar o botão, ou fazer uma bainha e a roupa ganha outra cara e folego pra mais alguns anos. Tenho uma pessoa que faz esse tipo de conserto por preços ok (não achei ainda costureira pra fazer uma roupa, mas pra pequenos consertos já encontrei )

        Bjs

        1. Ana Carolina respondeu Ana Rodrigues

          Tb faço isso, Ana! Mas as que eu desapeguei foram peças que eu me conscientizei que não combinavam com meu estilo e tipo físico, ou estava enjoada mesmo. O vestido PB dessa semana estava guardado/escondido há séculos e quando o reencontrei, foi uma alegria! hahaha! Sensação de roupa nova sem gastar!

        2. Silvinha.ba respondeu Ana Rodrigues

          hahahaha sempre faço isso!!! deixo escondido!

    2. Paula respondeu Jacqueline

      Xará, a Ana perto de outras blogueiras de moda é bem pouco consumista. E nem to falando das Lala Rudges da vida não. Falo das normais mesmo, que se dizem “gente como a gente”, que toda hora postam no twitter/facebook/blog as novas aquisições. E é toda hora MESMO. Compra tudo o que vê.

      1. Ana Carolina respondeu Paula

        Também fico chocada, Paula. Se o pessoal visse quantas roupas comprei na Europa…acho que se comprei 7 peças, foi muito. Tenho muita conta pra pagar, dinheiro pra investir, infelizmente essa vida de gastar não é a minha…

  57. Cláudia comentou:

    Oi Ana tudo bem?
    De fato, nosso dinheiro está totalmente desvalorizado e aliado à isso, está a falta de noção das pessoas para colocarem seus custos nos produtos, além de uma carga tributária abusiva aplicada a tudo, desde vestuário à alimentação e itens básicos. Mas isso é aceito pela população pois não há movimentação alguma em cobrar do governo reforma tributária, já que está abusiva demais esta arrecadação… Enfim… Agora quanto à vestuário que é o tópico do blog, bom, faz anos que não entro numa loja pra comprar uma roupa nova, ou sapatos. Minha opção têm sido os bazares beneficentes, onde com R$ 100,00 eu faço uma “Festa Louca”, volto abarrotada de sacolas com roupas de qualidade, calçados e acessórios para mim e para o “namorido”. Não tenho coragem de pagar R$ 200,00 ou muito mais num blazer , sendo que num desses bazares, um blazer novo (pouco uso) não fica acima de R$ 7,00, e olha que sou gordinha e sempre encontro opções muito interessantes. Procuro sempre pesquisar as tendências de moda e com as informações, o negócio é usar o “feeling” pra pegar peças bacanas e montar produções atuais.

    Bjs

  58. Isa comentou:

    Muito boa a reflexão! tem amiga minha que viajou pra Europa (eu ainda não tive a oportunidade), e que não tem coragem de comprar mais roupa no Brasil, tamanho o abuso. Esses dias fui na Marisa e vi um short branco super fofo. Provei, não era transparente como as roupas brancas costumam ser e queria levar (R$ 59.90). Notei que o que eu provei estava com a costura torta, ou seja, acabamento ruim. Os outros no meu número ou estavam com o mesmo problema ou cheio de fios soltos. Se estava assim na loja, imagina depois de usado, lavado e etc?

  59. Marcela comentou:

    Nossa, eu estava pensando sobre isso hoje. Estava andando pela Tijuca e, em qualquer lojinha, um vestidinho normal, sem nada de especial, custava acima de 150 reais.
    Uma loja que eu amava e que agora está com preços impraticáveis é a Maria Filó. Vestidos de 400, 500 reais. Blusas e camisas de 250. E a qualidade? Aumentou? Não. Tenho várias roupas de lá que tiveram que ir pra análise, pois deram algum tipo de problema.
    Ótimo e-mail, ótimo post!

  60. Fabiana Pato comentou:

    Gente o pior é pra quem como eu veste manequim 46, as peças de promoção nunca têm o nosso tamanho e pra mim é sempre muito difícil encontrar roupa bacana com preço camarada Plus Size…Coitado do meu bolso….rsrsrs

  61. ANNA CAROLINA BARD comentou:

    CONCORDO COM TUDO O QUE A JU, VC E AS LEITORAS ESCREVERAM, ESTÁ TUDO MUITO CARO, PRA QUEM MORA NO RIO ENTÃO, O CUSTO DE VIDA AUMENTOU UM ABSURDO, TUDO É CARO, DESDE COMIDA A ROUPAS.
    FICO FELIZ DE SABER QUE PENSAMOS IGUAIS!!
    JÁ APARECI AQUI EM UM LOOK DA LEITORA E BEM O QUE EU FAÇO É, COMPRAR NA PROMOÇÃO NA GRANDE MAIORIA DAS VEZES NÉ? RSRSRS PQ DAR MAIS DE 100 REAIS NUMA PEÇA N ROLA…
    *COMPRO PELO BRANDSCLUB OU PRIVALIA, AS MARCAS QUE CONHEÇO E QUANDO OS PREÇOS ESTÃO BONS, PQ NEM SEMPRE…..NAS PROMOÇÕES…
    *SOU CLIENTE A ANOS DO CANTÃO, SÓ COMPRO NA PROMO, OU NAS LOJAS FÍSICAS OU ON LINE PELO BAZAR. VC TEM PEÇAS DE QUALIDADE E PAGA BEM POR ISSO.
    *QUANDO VOU PRA SP, ACHO COISAS LINDAS NO BRÁS, JOSÉ PAULINO…E POR AI VAI…OU AQUI NO RIO MESMO, NO FEIRÃO DAS MALHAS, MAIS TEM Q PESQUISAR BASTANTE É CLARO.
    *DAS FAST FASHONS BRASILEIRA EU GOSTO, MAIS TEM QUE PESQUISAR BASTANTE….
    *COMPRO COISAS FORA DA DATA TBM, PQ AI DEPOIS NÃO FICO CORRENDO ATRÁS QUE NEM UMA LOUCA….E TAMBÉM NÃO COMPRO MUITO NESSA ÉPOCA DE NATAL, PQ DEPOIS AS LOJAS VÃO ENTRAR EM PROMOÇÃO E VOU PODER COMPRAR, ISSO QUANDO A PROMOÇÃO É BOA. E CLARO, APESAR DO PREÇO TEMOS QUE TER CONSUMO CONSICENTE, NÃO É SAIR COMPRANDO TUDO PORQUE TÁ BARATO!!!
    É ISSO…BEIJOOOOS!

  62. ANNA CAROLINA BARD comentou:

    Desculpa o Caps Lock e o texto grande… mais essa é a verdadee!!!rs

    *consciente!!!

  63. O post é tão bom que só tenho a completar: cabe a Belo Horizonte também.

  64. Posso até concordar com a banalização dos R$100,00 mas quando fazemos a comparação de uma empresa pequena com uma de grande porte isso se torna muito mais difícil. E digo isso com conhecimento pois tenho um negócio também e vejo que o povo só quer qualidade se isso for barato, só que isso não sai barato para quem vende também. E olha que no meu caso diminuo o máximo que posso a minha margem de lucro e mesmo assim a pessoa prefere pagar R$100,00 numa bolsa de couro sintético por exemplo, e dividir isso em 3x, do que pagar R$249,00 numa de couro que vai durar o triplo da outra.
    Hoje o mercado consumidor está movido pela rapidez e pela barganha infelizmente, e com a China, a qualidade está se tornando meio que um artigo de luxo…
    Como empreendedora também tenho que me render a esse tipo de fornecedor, mas pelo menos tento oferecer as duas opções, a bolsa que vai durar mais e a que vai durar menos, mas vejo que em geral ninguém quer realmente qualidade, a maioria quer é pagar barato e ter o produto da moda!

    No mais, fica o endereço da minha loja: https://www.facebook.com/storemeonline?sk=app_239759689377180

  65. Simone Carvalho comentou:

    Parabéns pelo post, Ana! É exatamente isso! Concordo plenamente! As coisas estão cada vez mais caras e cabe a nós, consumidores, avaliarmos se, quando e o que de fato merece nosso investimento. Cem reais é dinheiro, sim! Já está mais do que na hora de aprendermos a valorizar nosso dinheiro que ganhamos com tanto esforço, né? Bjs!

  66. Lorena comentou:

    Eu não compro mais em lojas de departamento. Acho um nojo só levar para o provador cinco ou seis peças de uma vez e o preço raramento compensa. Com os R$100,00 que a C&A anda cobrando em um shortinho de caimento duvidoso, eu compro um lindo na Siberiam durante a liquidação. Também não compro nada em dezembro. Uso o que já tenho e roupas novas só nas liquidações de janeiro.