Ep 11 Podcast Moda Pé no Chão: Do que você tem medo?

  • O que te impede de usar o que gosta?

Quais são os seus medos quando você pensa em vestir algo que gostaria muito de usar, de assumir a cor de cabelo que sempre quis, de expor seu corpo da forma que sempre desejou, de experimentar ideias com roupas e acessórios?

Fiz essa pergunta no instagram e no twitter, e a quantidade de respostas foi assustadora: muita, mas muuuuuuuuita gente se desclarou desencorajada o tempo todo de fazer o que quer por receio do julgamento alheio e de assédio.

083EB966-E7B4-4D3E-93DD-8E55EE5C9B6A
Voltei a ter “coragem” de usar biquini esse ano

Esse episódio foi denso, confesso. Provocar essa reflexão, não só de quem acredita que precisa de coragem para, como para quem está o tempo todo impondo suas questões sobre os outros, foi transformador para mim também.

Ou seja: todas nós. É um ciclo que aprisiona tanto quem está sendo julgado, quanto quem julga.

De nada adianta dar dicas para usar o que temos e de looks se não provocarmos essa mudança interna. De iniciarmos esse movimento em pró da liberdade e de respeitarmos mais as escolhas de cada um.

Espero que gostem e que incentive vocês a tirarem a poeira do que está guardado por conta desse pensamento. Vambora brilhar!

O episódio – assim como os anteriores – já está disponível nos aplicativos de podcast pra IOS e Android, como Soundcloud, Castbox, Overcast, We Cast e muito mais. E, novidadeeeee: CHEGAMOS NO SPOTIFYYYYY!!! UHUUUUUUU!

Aqui já tem o link direto para ouvir todos os episódios e baixar no Itunes!

 

PARA OUVIR OS OUTROS EPISÓDIOS, BASTA OUVIR NO PLAYER QUE TEMOS AQUI NO BLOG, AÍ DO LADO! 🙂

Moda pé no chão – com Ana Soares #11: Do que você tem medo?

Momento reflexivo aqui! O que você deixou de usar por medo do que o outro vai achar? No que o julgamento alheio te limitou?
Atribuem a coragem sermos quem nós somos e usarmos o que queremos. Mas, numa sociedade que está sempre pronta para apontar o dedo, vivemos com receio de assédio, de que coloquem em xeque nossa capacidade profissional, de olhares atravessados na rua, de sermos ridicularizadas apenas por não seguirmos o que nos é imposto como caminho único. Em um mundo sortido, somos ensinadas a nos desqualificarmos o tempo todo, reverberando essa frustração e nos aprisionando. Deixamos de usar cores, estampas, modelagens diferentes e acessórios por esse medo constante.

Compartilhe nas redes sociais
pinterest: pinterest
tumblr:
google plus:

Comente pelo Facebook

Comentários pelo blog

6 comentários

  1. Maria Elena comentou:

    Oi Ana! Te acompanho tem um bom tempo mas ainda não tinha escutado o podcast. Escutei o #11 e só ouvi verdades. Vivemos com base em padrões. Lembro quando cortei meu cabelo bem curtinho e a primeira coisa que eu ouvi foi “Mulher bonita tem cabelo comprido” e eu respondi “Mulher de cabelo curto é poderosa e manda na própria vida!”. Outra coisa que eu praticamente aboli foi o salto alto, tenho 1,58m, sou baixinha e ngm tem nada a ver com isso! Uso muito tênis, sapatilha e rasteirinha. Já fui a eventos como shows e formaturas sem salto e me senti super bem, pois dancei pulei e não fiquei com dor nos pés!
    Ainda tenho um pouco de “neura” com saias, tenho várias, a maioria midi, mas ainda não me encontrei nelas. Vou fazer o que vc propôs, criar looks e ir testando, sair do padrão!
    Ana, você é inspiradora demais! Segue firme nessa luta porque você não tem ideia do bem que faz a todas nós! Gratidão!

  2. Mariane comentou:

    Muito legal o episódio do podcast, Ana. Tenho ouvido há algum tempo e tem sido muito legal para repensar minha relação com minhas escolhas em relação a muitas coisas na vida. A verdade é que gosto de me vestir com um pequeno toque de ousadia, sempre tênue para não chamar muito atenção, é o meu jeito. E percebo que toda vez que coloco uma roupa que eu considero bem legal, tem essa pessoa que conheço que faz questão de dizer: “Nossa, você tá com uma cara cansada hoje…” Em outro tempos me sentiria super mal com essa colocação, que é feita exatamente para me deixar pra baixo. Mas hoje em dia aperto o “foda-se” (desculpa o palavrão) e penso assim: se essa pessoa está se dando ao trabalho de falar pra mim isso é, primeiro, porque alguma coisa em mim lhe chamou atenção e, segundo, porque ELA se sente insegura com sua autoimagem e precisa descarregar em mim, que me sinto bem. Pensar assim tem sido libertador…

  3. anne comentou:

    Nem fale, Ana. Eu também tenho alguns medos e to cada vez mais me policiando para não deixar que eles me impeçam de usar algo que gosto e acho bonito. O principal é: acho tão bonito em tal pessoa, mas pra mim acho que não combina. E por que não? Que bobeira isso! Principalmente quando são coisas fora da minha zona de conforto, que é basicamente jeans, camiseta e tênis. Outro medo é sair sem sutiã. Tem peças que não tem jeito, não dá pra usar, o sutiã fica marcando, fica aparecendo, enfim, muito melhor sem. Mas bate um desconforto ainda, sabe? Uma insegurança. Mesmo assim, vou na fé, e tento não me incomodar. E percebo que na verdade, o julgamento tá mais em mim mesma do que nos outros.
    É um passinho de cada vez, mas olha, é libertador mesmo!

  4. Ilana comentou:

    Que episódio incrível!
    Eu tinha muito medo de usar tênis e roupas amplas, pois sou baixinha e magrinha. Até que há 4 anos fui pela primeira vez em Paris. Essa viagem mudou minha vida e me deu coragem de vestir o que eu queria. Vi mulheres de batom vermelho durante o dia no meio da rua, de tênis, de salto, com cabelo natural… me senti tão livre! Me inspirou e hoje uso batom vermelho a qualquer hora e já tenho cinco tênis no closet!

  5. ELLEN KARINE MORAES FONTANA comentou:

    Achei maravilhoso! Há algumas semanas decidi sair sem sutiã de casa e desde então não consigo mais usar sutiã.. foi como uma libertação! Hoje, ouvindo seu podcast me senti ainda mais feliz e resolvida com essa decisão… e com muitas outras reflexões sobre as roupas que eu uso e principalmente as que eu não uso. Obrigada <3

  6. Lívia Boaventura comentou:

    Oi Ana! Todo bom? Ainda não terminei de ouvir seus podcast (entrei recente nessa onda) mas estou adorando. Estão me fazendo refletir muito sobre uma série de comportamentos, hábitos e escolhas.
    Muito obrigada por compartilhar seu tempo e conhecimento de uma maneira tão feliz!
    Vou dar uma sugestão de tema para um próximo futuro: como comprar roupas na internet. Como vc mesma fala, comprar roupas não deve ser fácil: avaliar cor, tecido, qualidade, forma que foi feita, tudo mais. Como fazer isso na internet mulher? Kkkk
    Beijos!!