Podcast Moda Pé no Chão EP 12: Maternidade e estilo pessoal

Muitas e muitas mulheres enfrentam desafios após se tornarem mães, e um deles é o de não se reconhecerem mais em suas roupas. Com tantas mudanças acompanhadas de um turbilhão de emoções e hormônios, é bem comum abrirem seus armários e observarem que o conteúdo não reflete mais esse novo estilo de vida, que precisa ser mais prático, funcional e confortável. Mas como entender agora o que vestir? Como perceber esse ajuste no estilo, sem perder sua identidade, ainda mantendo o que gosta?

Convidei duas companheiras queridíssimas de internet nesse episódio: a jornalista Fernanda Alves, mãe da Ana Elis e do Caetano, e a psicóloga e empresária Pri Josefick, mãe do Valentim, (que gravou conosco de São Paulo!) para discutirmos esse assunto com propriedade! Que honra que foi conversar com elas. Que honra!

moda-pe-no-chao-maternidade
Pri, Fernanda e eu, felizes e emocionadas!

A conversa se estendeu para empreendedorismo materno, como se reconhecer no seu estilo, mudança de carreira, feminismo e muito mais! Um dos papos mais lindos e emocionantes que já tivemos por aqui. 🙂


Visualizar esta foto no Instagram.

Aqui em casa, vez ou outra, a gente tem o costume de brincar: “filha, sabia de uma coisa?” E completar com “você é linda”, ou “eu te amo”. _ Eis que dia desses, enquanto me ajudava na cozinha, Ana Elis fez o mesmo comigo. “Eu te amo, mamãe”. E eu, ao ouvir e me derreter com a declaração, fui além: “por quê, filha?”. “Porque você é divertida. Você brinca comigo”. E eu, que nunca fui uma pessoa paciente; eu, que não gosto muito de brincar; eu, que ultimamente só vejo os meus defeitos como mãe dessa menina, levei essa sacudida. _ “Você acha, filha? Eu não grito muito?” “Só às vezes”. _ E nessa hora eu me dei conta que, gritando muito ou de vez em quando, brincando sempre ou pouco, eu sou a única mãe que a Ana Elis conhece. Mais do que isso: eu sou a única mãe que ela tem! E isso me dá um poder e uma responsabilidade incríveis. Como criança, ela me vê, me perdoa e me aceita do jeito que eu sou. Pq eu não posso me perdoar também? _ #anaelis4

Uma publicação compartilhada por Fernanda Alves (@aquelafernanda_) em


Visualizar esta foto no Instagram.

Café da manhã no sofá 🖤

Uma publicação compartilhada por Priscila Josefick (@prijosefick) em

Para quem não sabe, podcasts são conteúdos em audio, transmitidos pela internet através de apps. Aqui no Brasil ainda estamos nos iniciando nessa forma de comunicar conteúdo, que têm várias categorias, de humor a notícias. O meu é um dos poucos sobre moda, já que é uma mídia mais difícil de passar um tipo de informação que se apoia muito em imagens.

Dá pra ouvir na academia, enquanto amamenta, lava a louca, a caminho do trabalho, durante uma viagem. Pausar, ouvir mais tarde, re-ouvir algum trecho. 🙂

O Moda pé no chão trará periodicamente temas práticos para quem quer ser feliz com o que tem sem gastar muito, com convidados para discutirmos assuntos pertinentes sobre consumo consciente para todos os tamanhos, bolsos e idades. Para quem quer vestir-se de si mesma sem complicação, com ideias simples, dicas certeiras, críticas e opiniões sempre muito sinceras.

O episódio já está disponível nos aplicativos de podcast pra IOS e Android, como Spotify, Soundcloud, Itunes, Castbox, Overcast, We Cast e muito mais.

Aqui já tem o link direto para ouvir todos os episódios e baixar!

 

PARA OUVIR OS OUTROS EPISÓDIOS, BASTA OUVIR NO PLAYER QUE TEMOS AQUI NO BLOG, AÍ DO LADO! 🙂

Compartilhe nas redes sociais
pinterest: pinterest
tumblr:
google plus:

Comente pelo Facebook

Comentários pelo blog

2 comentários

  1. Bruna Bortolatto Rizzieri comentou:

    Ana, Fernanda e Pri:

    Fui uma criança que sempre teve liberdade para se vestir. Em váaarias ocasiões eu escolhia umas combinações bem duvidosas e engraçadas. Lembro que as pessoas comentavam e eu sempre bancava (e meus pais também) kkkk Isso se estendeu na adolescência e hoje vejo como essa liberdade de experimentação foi positiva para que me tornasse uma pessoa que se observa e tem consciência sobre o próprio estilo. O que mais escuto das pessoas é: “acho lindo tal coisa em você, mas se eu usar vou ficar ridícula” e o que sempre tento colocar para as pessoas é: – Você já experimentou? Tenta usar!” Quem dera esse incentivo fosse promovido já na infância. Seria mais fácil ser a gente mesmo <3 Obrigada pelo podcast!

  2. Beatriz Rodrigues comentou:

    Olá, preciso falar sobre um assunto que ouvi durante esse podcast, sobre a mom jeans. Realmente, para quem não entendeu a origem do nome dessa calça, dá para problematizar falando que a calça mom tem esse nome porque é largada, e as mães são largadas e tal. Mas não! A calça se chama Mom porque remete à calça da mamãe, que nossas mães (ou até mesmo algumas de nós) usavam nos anos 80/90. E que na verdade, usavam quando eram jovens e não necessariamente é uma calça ‘só de Mãe!’ Se caracteriza por ter cintura alta, modelagem reta, lavanderia média/clara com carinha retrô.
    Só senti necessidade de esclarecer para quem possa interessar. Beijooo!