Organizando para 2019: sapateira!

Para esse final de ano eu resolvi realmente abraçar o destralhamento e acúmulo de tudo que guardei sem necessidade. Quero adotar de vez uma postura mais simples, acho que a virada pros 40 anos está me deixando cada vez mais irrequieta hahahaha!

Por isso vou começar essa série de posts do antes e, no dia seguinte, do depois, para vocês verem em tempo real o que estou conseguindo realizar desse projeto de desapego e organização!

Vocês lembram que escrevi esse post que tenho sapatos demais e do meu desejo por uma sapateira? Desde então eu realmente não tenho comprado quase nada de sapato. Esse ano foi maravilhoso, porque só comprei um (uhuuuuuuuuu!!), mas ganhei dez pares (lembrem que faço publicidade e etc e algumas marcas me mandam), e, desses todos, fiquei com dois. Acontece que os sapatos antigos não se desfizeram completamente, hahaha!

Pois bem, comprei esse ano o bendito móvel, que só serve para deixar claro como continuo tendo sapatos demais e como ela não organiza NA-DA.

Eu acabo tendo mais roupas e sapatos do que gostaria por conta dos editoriais que faço pro blog e instagram, para tentar abranger mais ideias. Mas, sinceramente, estou revendo essa proposta também. Não estou mais dando conta de abrir o móvel e me deparar com isso:

sapateira-ana-soares

Eu já tinha separado alguns sapatos para limpar/lavar, aí a moça que limpa aqui em casa atochou tudo de volta no armário. O que estava organizado pela organizer, terminou virando esse caos 🙁

Eu ficava ainda num apego bobo de querer manter os que estavam em bom estado, sem saber que destino dar a eles. Nesse final de semana eu tirei DEZ pares e doei todos para minha prima, que calça o mesmo número que eu, e ficou mega feliz. Ainda assim, sobrou isso tudo, vish.

Mas quero mostrar amanhã aqui pra vocês o resultado do novo desapego que farei hoje e o saldo da organização. Vamos torcer pra dar certo, serei implacável!

Vamos juntas? Quem mais vai tirar sapatos sem uso junto comigo? hehehehe!

Me contem também o que vocês têm feito ou mudado nos hábitos para não acumular mais assim e nem deixar tudo desorganizado!

Compartilhe nas redes sociais
pinterest: pinterest
tumblr:
google plus:

Viajando com mala de mão pra Portugal – parte 1

Depois de um ano denso e intenso como esse 2018, onde comecei pra valer minha nova fase na vida, ralei, viajei e aprendi e aperfeiçoei um tanto de coisa, me dei de presente de 40 anos uma viagem pra Portugal – Lisboa e Porto!

Como não tenho dindin sobrando, fui na passagem mais promocional que consegui, só que ela tem um porém: não permite despacho! Ou seja, irei passar 10 dias só com mala de mão e mochila. Se fosse em outra época, eu entraria em desespero. Mas depois de tanto tempo viajando pra lá e pra cá esse ano a trabalho, dividindo espaço na mala com roupas do curso e material de trabalho, acho que fiquei escolada no assunto. Eu quero é praticidade!

mala-mao-portugal-moda-pe-no-chao
Mala de mão azul feroz que vai viajar comigo

Sei que nessa época o clima será mais chuvoso e de frio. Não de frio intenso como os que passei quando estive em Praga (-9 graus), por isso não sei se esse casaco térmico, que comprei na capital da República Checa, será um exagero. Mesmo assim, é certo que viajarei com o casaco de maior volume na mão, e levarei apenas um, porque já vi na prática que não adianta levar mais de um casaco em viagens no inverno.

casaco-portugal-moda-pe-no-chao
Meu casaco térmico, comprei na Mango e custou 500 reais

Eu tenho também esse sobretudo de lã da coleção da Stella McCartney para C&A que comprei de segunda mão, mas ele está justinho nas mangas, então acho que precisaria estar com uma blusa de malha mais fina por baixo. Além do que, por conta das chuvas acredito que seja mais jogo levar um casaco que seja impermeável, coisa que não tenho, hahahaha! Precisarei pegar emprestado.

casaco-1-portugal-moda-pe-no-chao

As malhas que eu penso em levar são essas e ambas também vieram dessa viagem: a cinza é SUPER quentinha e protege bem o pescoço, veio da H&M. A azul é meu amor, minha paixão! De lã, esquenta horrores e é linda, além de macia. Foi uma compra certeira na COS! Por desencargo, vou colocar também duas camisetas/camisas na mala, para usar por baixo delas, quando entrarmos em lugares com calefação.

blusas-frio-portugal-moda-pe-no-chao

Ainda não defini a mala, mas já estou agitando as opções. Já sei que vou levar uma legging de lã azul, bem quentinha, vou viajar com uma calça preta de elastano para colocar calça térmica por baixo, talvez uma saia de malha com uma meia calça mais grossa por baixo e uma bota para dar conta dos períodos chuvosos.

Possível mala (a ser estudada)

– Casaco quente e impermeável

– Três camisetas/camisas

– Uma saia

– Uma calça com elastano

– Uma legging de lã

– Duas malhas, uma cinza e uma azul

– Uma saia reta

– Segunda pele

– Pashiminas

– Acessórios

– Uma bota

– Calcinhas

– Vou comprar shampoo, condicionador e creme quando chegar

E SÓ, gente! Não quero levar mais nada, além de alguns lenços, acessórios, batons coloridos e pashiminas, que são leves e ocupam pouco espaço. Vou tentar arranjar o casaco impermeável, mas não teremos mais novidades que essas.

Ainda vou montar e fotografar os looks e mostro aqui para vocês. Estou animada com esse desafio minimalista! 😀

Quem tem mais dicas para viajar com pouco volume? E quem tem dicas da temperatura nas cidades (Porto e Lisboa) e do clima nessa época? 🙂

Aliás, estou com inscrições abertas pro Workshop Conheça suas Cores em Lisboa, indica para as amigas que moram na terrinha!

Compartilhe nas redes sociais
pinterest: pinterest
tumblr:
google plus:

Agenda Conheça suas Cores Rio, SP, BsB e Lisboa – início 2019

Já fechamos algumas datas para o Workshop Conheça suas Cores em algumas cidades, apesar de ainda ficarmos devendo algumas (como Fortaleza, Natal e Juiz de Fora, que estamos pesquisando passagens e dinâmica), estão aí as datas iniciais com pré-vendas das inscrições para quem já quiser garantir seu presente de natal! 🙂

Todas as outras cidades sem previsão, já que diminuirei as viagens de início do ano para finalizar meu livro.

A grande novidade é que o curso vai além mar e chegaremos em Lisboa, Portugal, em fevereiro! Estou MUITO animada com a oportunidade de levar tantas cores para a terrinha! =D Já batemos o martelo com a data para 17 de fevereiro (passagens compradas, YAY!) e estamos só definindo essa semana o espaço, mas as inscrições já estão abertas. Em breve escreverei um post bem detalhado, mas quem quiser já pode mandar e-mail com as dúvidas.

São 4h30 de duração – se alguma turma extrapolar, abriremos turma extra.

Fizemos um video institucional para apresentar o workshop para vocês, o conteúdo e também alguns depoimentos de quem passou pelo processo! Deem o play que está lindo demais! 🙂

Atenção! Mães de bebês pequenos e crianças, que não têm com quem deixar os filhos, são bem-vindas!

AGENDA WORKSHOP CONHEÇA SUAS CORES 2019

26 DE JANEIRO – RIO DE JANEIRO/RJ

Local: Lapa
Horário: das 10h às 14h30, com intervalo pro café
Valor: R$500

LOTADO em breve divulgo nova data
Quem quiser se inscrever por depósito ou transferência, basta pedir os dados bancários por email: [email protected] Por favor, só peça os dados se tiver certeza da sua inscrição

 

17 DE FEVEREIRO – LISBOA/PORTUGAL

Local: Alvalade
Horário: das 9h às 13h30, com intervalo pro café
Valor: R$750

Ou então solicite link para transferência internacional com custos mais baixos pelo TransferWise

Quem preferir pelo Paypal, por favor, mande email para [email protected] solicitando o link para pagamento. 
Quem quiser se inscrever por depósito ou transferência, basta pedir os dados bancários por email: [email protected] Por favor, só peça os dados se tiver certeza da sua inscrição

16 DE MARÇO – SÃO PAULO/SP

Local: Vila Romana
Horário: das 10h às 14h30, com intervalo pro café
Valor: R$550

Inscrições aqui!
Quem quiser se inscrever por depósito ou transferência, basta pedir os dados bancários por email: [email protected] Por favor, só peça os dados se tiver certeza da sua inscrição

30 DE MARÇO ADIADO PARA 13 de ABRIL – BRASÍLIA/DF

Local: Co Piloto
Horário: das 9h30 às 14h, com intervalo pro café
Valor: R$550

Inscrições aqui!
Quem quiser se inscrever por depósito ou transferência, basta pedir os dados bancários por email: [email protected] Por favor, só peça os dados se tiver certeza da sua inscrição

PARA QUEM É O WORKSHOP?

É direcionado para quem ainda não “encontrou” seu estilo pessoal e se perde na quantidade de informações que recebe todos os dias, para quem tem dúvidas na hora de se vestir ou fazer compras e não sabe por onde começar ao montar um guarda- roupa versátil, consciente e atemporal.

Entender sobre suas melhores cores ajuda nesse filtro na hora das compras, a perceber como podemos ser nossa versão mais incrível em várias ocasiões, abre um leque de possibilidades no seu guarda-roupa, estimula a criatividade e ajuda a sairmos da mesmice!

Ajuda também na decisão de desentulharmos o armário, tirando aquela roupa da dúvida, essa que você nunca consegue usar e que, talvez, a culpa seja da cor, hehe.

Atenção: não é um curso para consultoras de estilo e nem para ensinar sobre análise cromática.

BP.anasoares.workshop.280418.093

CONTEÚDO:

– Cada participante vai passar por uma análise cromática e descobrir a cartela de cores que mais te favorece, e como ela nos liberta para escolhas melhores e para abrirmos um mundo de possibilidades no nosso vestir, ó que beleza!

– Vamos conversar sobre círculo cromático, coordenações de cores dentro das cartelas, contraste pessoal, coordenações de neutros, misturar estampas;

– As mensagens das cores <3

– Vamos falar sobre processo criativo na hora de montar os looks e colocarmos algumas ideias em prática com acessórios;

– Se você só usa preto, branco e cinza, eu juro que não vou querer te jogar um balde de arco-íris, mas certamente vamos abrir seu leque de possibilidades para sair um pouquinho da zona de conforto e explorarmos outras cores em potencial – mesmo que sejam variações dos próprios neutros, só que mais…coloridos! hehe!

– Se você usa todas as cores possíveis, também vamos ajudá-los a entender mais sobre as cores da sua cartela, os seus tons mais específicos;

– Como aumentar o número de combinações com o que se tem no armário e trazendo mais impacto nas produções só com coordenações cromáticas, em truques de estilo atemporais;

– Teste dos batons e maquiagem de acordo com cada cartela de cores;

– Tentar dar uma força pra perder o medo de combiná-las, até porque, roupa não morde ;P

– Vamos aprender principalmente a quebrar regras, porque essa é a graça toda do negócio, usar o que te faz bem <3

BP.anasoares.workshop.280418.290

E ainda, bônussssss:

– Cartela digital para cada participante

– Material em PDF sobre sua cartela e como usar suas cores

INSCRIÇÃO E PAGAMENTO

Para fazer inscrição você pode clicar no botão do PagSeguro referente ao curso que você quer fazer. O pagamento é em ambiente seguro e você pode pagar através de transferência eletrônica ou de cartão de crédito (com opção de parcelamento). Depois, basta enviar email para [email protected]

O email é respondido em até 24 horas com a confirmação da inscrição. O PagSeguro avisa quando o pagamento foi feito e se está tudo ok. Não há garantia de vaga sem o pagamento efetuado.

POLÍTICA DE CANCELAMENTO

Atenção! Se houver necessidade de cancelamento de até 7 dias antes da data do workshop, o valor total do curso é reembolsado. A partir daí, nenhuma solicitação de cancelamento será reembolsada — mas é possível indicar outra pessoa para ir no seu lugar aproveitando a mesma inscrição. Desistências de última hora dificultam novas ofertas para participantes com interesse, por isso não dá pra efetuar devolução.

Se a turma não atingir o número mínimo de 6 pessoas, o valor pago pelos outros inscritos será devolvido.

Compartilhe nas redes sociais
pinterest: pinterest
tumblr:
google plus:

Roupas e ansiedade

Ansiedade. Tá todo mundo ansioso, tem um pá de gente se entorpecendo pra esquecer que é ansioso. Tem muita gente justificando um tanto de coisa por ser ansioso, tem outro tanto deixando de lado as suas coisas por culpa dela.

Falando do vestir, a ansiedade se configura nesse desejo veemente e impaciente, que nos paralisa e causa essa agitação. Os fake feelings causados pelas redes sociais (fotos perfeitas de vidas perfeitas em looks perfeitos e sorrisos mais perfeitos ainda) causa essa sensação constante que tá todo mundo bem resolvido menos a gente.

Ontem mesmo, passei o dia ausente atendendo cliente de consultoria, cheguei em casa e tive que fazer pagamentos, resolver problema de banco, tudo muito estressante, além do trânsito e calor inerentes a dezembro. E, mesmo tendo feito coisa pra chuchu, abri o twitter e o instagram e acreditei que eu não tinha feito nada, só porque não tive forças pra escrever no blog e no instagram.

A mesma coisa têm acontecido cada vez mais com o nosso vestir. Roupa antigamente era um bem, enxoval montado, herdar o vestido de alguém, até pouco tempo (uns 36 anos, vai) era minha vó quem costurava as minhas roupas, assim como ela costurava as das suas filhas. E não venha com essa de que ela tinha mais tempo livre do que eu, mulher contemporânea, porque minha vó na verdade era tão ou mais incrível, já que criava duas filhas sozinha, trabalhava de dia e cantava à noite e ainda bancou casa, colégio e mais um trem de coisas por conta própria, sem ajuda de homem.

Mas, anos depois, vovó sucumbiu a produção em massa e comprava roupa como se não houvesse amanhã. Ficava ansiosa em ir ao shopping e voltar com sacolinhas e mais sacolinhas. Não provava as roupas e, muitas vezes, repassava o que não funcionava pra ela.

Ontem mesmo, minha cliente linda e maravilhosa, cheia de roupa legal no armário, proferiu que precisava comprar roupa pra passar o final de ano na praia. Eu olhei, incrédula, o armário abarrotado de roupas – mesmo após ter tirado muita coisa de lá – e fui pegando os itens mais frescos e estampadinhos para formar um monte de combinação colorida e com cara de praia. Montei looks para um mês de viagem, muito menos tempo que ela ia passar na Bahia.

black-friday-nova-america-11

Eu não sou melhor só porque pude observar isso, mas, através do meu ofício, eu identifico como trabalham a nossa cabeça para gerar essa sensação de que não temos o suficiente, que repetir roupa sempre é errado, que novidade que é legal, que não temos tempo de olhar para as nossas próprias coisas e experimentar, já que é muito mais “fácil” ir ao shopping e comprar uma blusinha.

Aí chegamos no shopping, rodamos, rodamos, provamos  e não cabemos, aí acreditamos que a culpa é nossa porque comemos brigadeiro no dia anterior e não porque a modelagem da roupa tá toda cagada, aí ficamos ansiosas achando que precisamos emagrecer, rodamos mais, provamos, cansadas, antes das lojas fecharem, o décimo vestido da noite, e levamos ele mesmo porque não vai dar tempo de sair e procurar de novo e você não tem mais tempo pra isso e quer resolver logo tudo. Você olha pra sacola quando chega em casa e pensa “puxa, nem gostei tanto dele assim, mas agora tenho que levá-lo”.

Vou revelar pra vocês que, em fevereiro, vou passar dez dias na europa, mais precisamente em Portugal. Estará frio, e eu comprei uma passagem promocional que só me permite uma mala de mão.

Sim, vou atravessar o oceano com uma mala de mão apenas, metade dela, aliás, ocupada por material de análise cromática. E eu não estou nervosa, nem ansiosa, porque eu já passei pela experiência de carregar uma mala de 20kg pra Praga, cheia de casaco que não usei lá. Porque não havia necessidade de desfile de moda, só de praticidade e de não morrer de frio, hahaha!

Tenho certeza que alguém pode, nesse ínterim, exclamar “MEU DEUS VOCÊ CONSEGUE COMO, EU IA SURTAR”. E, se eu estou segura de que não há nada a ser feito, não vou me deixar contagiar pela ansiedade alheia. Eu não sei se consigo, mas vou tentar, e tudo bem, eu me viro.

Dezembro é outro mês permeado pela ansiedade. Encontrar todo mundo, comprar todos os presentes, arrumar o armário que ficou bagunçado o ano todo e te confundiu, a sapateira zoneada, os looks de natal e ano novo, a mala de viagem, socorro.

Já tem um ano que desapeguei de várias coisas inerentes a esse período, como comprar presentes por comprar (hoje em dia eu presenteio quando dá vontade), me preocupar com roupa de final de ano (eu sempre passo MUITO calor e suo horrores, então vou o mais fresca possível), já que não ligo também pra máxima ficar arrumada vendo TV na sala durante a ceia, hahaha; eu gosto de arrumar a casa antes do final de ano, mas mantive tudo no lugar boa parte de 2018, para facilitar minha vida. Não consegui sempre, mas tudo bem, não dou conta de perfeição o tempo todo.

Está tudo bem, gente, mesmo. Eu repito isso pra mim diariamente. Tá tudo bem não dar conta de arrumar o armário todos os dias, só aos sábados, está tudo bem repetir roupa, não se sentir obrigada a se arrumar pra eventos natalinos.

Está tudo bem se sentir ansiosa porque tem preocupações extras, mas imaginar também que processos deveriam fazer parte das coisas, que tudo tem o seu rumo natural. Começar numa área nova demanda tempo de prospecção e experiência, erros são comuns e até necessários para aprendizado e reflexão, que ninguém consegue montar os looks mais coloridos e estampados do mundo da noite pro dia, que isso exige treino, olhar pra si mesma com mais resiliência e amor, observar as inspirações para se sentir mais animada e não deprimida; que não precisa ter roupa nova sempre, nem estar incrível o tempo todo, que é humanamente impossível acompanhar um estilo de vida que não condiz com o seu.

Quando eu me sinto muito ansiosa e entro nessa espiral louca de cobrança e comparação, eu tento observar o que provocou aquilo e o que posso fazer para melhorar. Olho pra trás e vejo o tanto que percorri, para sentir mais orgulho de mim mesma. Não é fácil, mesmo, mas tem ajudado demais agir assim.

E para você, como tem sido?

Compartilhe nas redes sociais
pinterest: pinterest
tumblr:
google plus: