Ideias de looks grávida no calor!

Algumas leitoras pediram no instagram para eu dar dicas de looks para quem está buchuda que nem eu, hehe, para se vestir no verão sem tanto desespero, até porque o calor que sentimos na gravidez, misericórdia. Bom, agora na pele de quem passa por uma transformação do corpo quase que semanalmente, eu realmente sofro às vezes para ter algo que acomoda bem a barriga e não me deixe com a silhueta ampla demais.

Vou fazer mais posts desses porque não dei conta de fotografar tudo em um dia. Eu já deixei meio que separadas as peças que viraram as curingas nesse processo (e que espero não criar muito ranço delas depois de parir, hahaha) que eu já tinha no guarda roupa. Não que eu esteja evitando comprar roupa, mas não gostei até agora de nada, fato. Na ausência de peças legais, vou com as minhas mesmo.

Outra coisa que preciso ressaltar é que existem os extensores de calças, saias e shorts, vende na Agora sou mãe e outros sites, mas nenhuma calça, saia e short meu estão passando do meu quadril no momento. Uma alternativa também são as calças de gestantes, mas no verão não consigo nem pensar em usar, fora aquele elástico na minha pança, ui!

Tecidos

Atenção, a mesma dica de sempre: prefira tecidos de fibras naturais como algodão e linho (ou viscose + linho) e seda, por darem mais conforto térmico, não esquentarem tanto! Se não der, prefira os artificiais, que são feitos em laboratório a partir da celulosa, ou seja, mais frescos também, como viscose e lyocel (esse eu gosto muito, é mais resistente!).

Também atente que malhas muito finas marcam, prefira um tecido com toque intermediário ou tecido plano com modelagem ampla. A malha é mais adaptável ao corpo, mais confortável; o tecido plano é elegante, mas não estica.

Sobreposições

Olha, essa dica depende do dia e da região. Por exemplo, aqui no Rio, no alto verão, faz mais de 40 graus fácil, então eu nem consigo imaginar essa sobreposição nesses dias. MASSSSSS, se você sai pra trabalhar e fica o dia todo no ar condicionado ou em dias que o calor deu uma trégua, você pode tentar, sim, de repente com peças mais leves que essas minhas, uma blusa de malha de linho ou algodão bem levinha, um vestido que seja de uma malha menos grossa (mas não muito fina, para não marcar demais).

O que eu gosto nessa sobreposição é a possibilidade de mudar a cara do vestido, que é uma peça chata pra versatilizar. Dá pra fazer isso com macacões também! O legal é que elas ganham uma cara de peça de baixo, saia ou calça, e dá pra variar nas cores das blusas e arrematar com um nózinho, como eu fiz, e ainda incrementar com um broche. 🙂

Ainda brincando com as cores, esse vestido é em uma cor clara, bem mais a cara de dias quentes, então fui de blusa em tom neutro claro também, nesse cinza, para ficar mais suave. Mas dá pra brincar com cores mais fortes e estampas!

Acho fofo que esse truque faz uma marcação linda na barriga 🙂

Vestido que já era meu, de bazar da Osklen
Blusa Leeloo antigaaaaaaa
Sapatilha Studio NhNh
Bolsa comprada em BH, no Mercado Novo

Acessórios

Essa dica é a mesma para não-grávidas, hehe! No verão é dificílimo variar tanto os looks por conta do calor intenso. Então eu gosto de usar acessórios bacanudos para incrementar.

Quem mora em cidades de calor peguento, ainda mais região norte e nordeste, eu aconselho mais brincos que colares, ainda mais de metal – trocaria por colares de tecido ou corda (que grudam menos no corpo melado de suor). Uma bolsa assim, artesanal, com valorização do feito a mão, é uma coisa linda, por exemplo!

Modelo envelope

Saias e calças modelo envelope, que é aquele que fecha cruzando, são maravilhosos! Eles se adaptam facilmente ao crescimento da barriga, não apertam e por isso são mais confortáveis. Essa calça que estou usando nem é de gestante, por exemplo, e vai render ainda muito na minha gravidez!

E o melhor, tecido leve, de fibra natural, 100% linho!

Blusa Reptilia (Curitiba)
Calça papel Craft
Sapatilha Studio NHNH
Colar Karamello

Repararam que viciei em cinza + branco ou offwhite? Na verdade é coincidência mesmo, fruto da falta de opções, HAHAHAHAHA!

Modelagens diferentes

A blusa da foto acima tem uma modelagem diferentona, além do tecido ser aquele liganete, geladinho! Mas só esse detalhe já ajuda, com pouco, a deixar o look descolado.

O vestido abaixo eu ganhei de uma amiga, que desapegou e me deu – ela nem estava grávida quando usou! Pena que não tirei foto em pé (depois posto!), mas dá pra perceber que ele é de tecido mais plano, algodão, com costas nuas, o que o deixa mais fresco.

Ele tem detalhes em cordas, um decote diferente e cruzado nas costas, é longo, acho elegante. O bom é que ele também pode ser usado para amamentar, hehe!

Vestido Xsite
Sandália Virginia Barros

fotos: Stella Ribeiro

Nas próximas postagens tentarei usar mais cores – foi total sem querer, haha –, mas é que quando falamos em verão, penso logo nos tons mais claros.

Ganhei uns vestidos de desapego de outras pessoas e vou postar também com mais peças minhas, com mais cores, prometo, além de mais dicas de looks festa. Deem desconto porque tenho cansado muito fazendo as fotos, hehehe!

Quem acrescenta mais dicas ou sugestões? 

H&M quer lançar seu guarda roupa compartilhado

A H&M, fast fashion responsável por aquecer o setor de moda descartável, que já foi acusada de queimar 12 toneladas de roupas novas ao ano, revelou um novo projeto: uma coleção disponível apenas para aluguel, de acordo com esta matéria do FFW, mas disponível inicialmente na flagship em Estocolmo.

Além da conta das vendas não estar fechando – vide aí a matéria que mostra os caras incinerando roupas novas –, estão querendo surfar bonito em algo que não é tendência, mas uma mudança de postura por parte dos consumidores, de não lotar mais os armários com roupas sem uso e recorrer aos guarda roupas compartilhados para suprirem suas necessidades e desejos.

Os guarda roupas compartilhados funcionam no esquema de aluguel de roupas, a partir de uma assinatura mensal você pode escolher um número de peças para usar por mês, sendo que pode inclusive trocar de peças (mantendo o mesmo número), a cada dia ou semana. Esse segmento visa reduzir  desperdício e a utilização de recursos, além de ser uma solução mais sustentável e econômica.

A H&M lançou uma coleção limitada com cerca de 50 vestidos e saias vindos das coleções Conscious Exclusive entre 2012 e 2019 – as peças giram em torno de US$ 36. E uma vez que os ítens voltam para a loja, são lavados a seco. “De acordo com a empresa de pesquisa Mintel, um em cada cinco consumidores de roupas do Reino Unido admite esse comportamento. Isso pode explicar as taxas de retorno dos varejistas on-line, que podem chegar a 50% de tudo o que é vendido. Nos EUA, o mercado de aluguel de roupas pode atingir US $ 4,4 bilhões até 2028, de acordo com a GlobalData.”

O que vocês acharam desse projeto? Estou ainda digerindo a informação, mas penso que grandes varejistas não estão aí pra perder. Prefiro mil vezes recorrer ao sistema de pequenas empreendedoras do que sucumbir a uma grande corporação que mantém ainda o ritmo como fast fashion. Por outro lado, a adesão da empresa pode ajudar a impulsionar esses projetos. Eita.

Guarda roupas compartilhados no Brasil

Aqui no Brasil já temos iniciativas incríveis, já usei duas delas inclusive e eu recomendo para todo mundo! É uma excelente oportunidade para reduzir custos, não lotar o armário e ainda ter a chance de testar looks e peças que você não teria coragem de comprar.

SP

Roupateca

BLIMO (entregam também em todo o Brasil)

Goiânia

Lucid Bag

RJ e Niterói

Nosso Closet Clube 

MagMov Armário Compartilhado

Florianópolis

Store Be Strendy – Guarda-Roupa Compartilhado 

Curitiba

Amiga, Me Empresta? 

Look grávida poderosa!

Depois de dois meses completamente transtornada de enjoo, hahaha, sem conseguir raciocinar sobre looks, o segundo trimestre trouxe um ânimo maior e energia para olhar o armário com mais carinho. Estava sentindo falta de me vestir com gosto, de me reconhecer nas roupas, sabem?

A questão é que eu já perdi a maior parte das minhas roupas já no primeiro mês! Estou de 19 semanas e a barriga está grandinha, fora o quadril, então definitivamente não posso contar com nenhuma parte de baixo que já tenho. Dei uma olhada em algumas lojas, experimentei, já propuseram doação pra mim (obrigada!), mas desisti de calças por ora, já que estamos chegando no verão e o calor vem insano, e resolvi me virar com o que tenho mesmo.

Alguns vestidos de malha estão funcionando bem com a barriguinha marcando, mesmo que esgarcem e eu não consiga usar tanto eles depois de parir, tudo bem, cumpriram os seus papéis de me fazer sentir eu mesma, com a minha identidade visual, durante o período gravídico! 🙂 Me senti poderosa hahaha!

Vestido Pat Pat para C&A
Colete Zara
Óculos Livo
Sapato Josefina Rosacor

Eu não usava mais esse vestido porque estava acima do peso pra ele e agora que eu quero mesmo botar a pança pro jogo, tcharammmm! Me senti confortável e estilosa nesse look, com peças que eu tenho há uns bons anos e nunca havia usado juntas! Olha aí como isso prova o tanto que o armário ainda pode render, só fazer um esforço extra.

Foi importantíssimo esse resgate da minha imagem, já que no período inicial eu me desesperei sem minhas opções curingas de sempre. Mas não tem jeito, hahaha, a barriga vai crescer e cada vez mais terei menos. Uma amiga querida doou um vestido que ficou incrível e vou fotografar pra vocês, que vai servir até o fim da gestação, e, se for o caso, comprarei algo para continuar me sentindo bem.

Por enquanto estamos confiantes aqui que dá pra sair mais alguns looks com o que tenho. O grande desafio será o verão, aí o bicho pega!

Deixei de seguir todas as marcas no instagram

Já tem algum tempo que venho compartilhando com vocês do meu processo de deixar de comprar por comprar. Já gravei um ep do meu podcast sobre o assunto (que teve bastante audiência!), já escrevi aqui, já falei demais no Instagram, mas achei importante atualizá-las desse assunto, ainda mais depois de ter decidido deixar de seguir todas as marcas no instagram.

Eu comecei a perceber a furada de querer me atualizar dos estilos quanto consultora de estilo/blogueira. Leio até hoje comentários de leitoras que sentem falta da época que eu postava mais achadinhos, provadores de lojas, garimpos, e eu entendo elas, eu também sinto falta desse conteúdo que era ir na loja e colocar algumas roupas à prova. Aprendi muito assim, compartilhei muita dica boa, mas fato é que eu MUDEI, gente. E isso não quer dizer que é melhor ou pior, eu simplesmente não sou mais essa pessoa que acompanha as tendências e vai nas lojas atrás de desejos de consumo.

(imagem daqui)

Não que eu tenha enriquecido (risos) e agora só compro em marca cara, que deixei de garimpar e comprar na liquidação, nada disso. Eu só tenho outro estilo de vida agora, outras necessidades, acredito que quem me acompanhava também foi ganhando outras percepções e é assim que a vida segue. Estou há uns dois anos focada em reposicionar meu nome, focar mais no meu trabalho dos cursos. Antes eu trabalhava fora, circulava mais fácil em shoppings e passava por lojas e centros comerciais, hoje em dia eu raramente quero ir nesses locais.

Mas aí as mesmas marcas continuavam seu bombardeio de informação via redes sociais. Vejam bem, não tem nada de mal nisso, se atualizar das novidades através do feed do insta, eu mesma nem era afetada pelas promoções e, sendo sincera, nem sentia mais anseios como antes. Só quando lia BAZAR, hahahah!

Manter um conteúdo assim é garantia de ter pauta todos os dias, mas o que mudou principalmente aqui, foi compreender que existem OUTRAS MANEIRAS de trazer informação para as pessoas, de ajudá-las nas suas descobertas pessoais, de questionar muita coisa do sistema, de valorizarem seu rico dinheirinho sem gastá-lo à toa, de observarem outros potenciais nelas. Não adianta falar de roupa quando observamos ainda muitas mulheres abaladas com sua auto estima, sem terem opções de manequins nas lojas, e por aí vai.

Por isso estou dando unfollow nas marcas. Não porque eu tenha deixado de admirar o trabalho delas (ainda sigo poucas que eu considero com um perfil mais inspirador ou de amigas minhas), nem deixado de pegar referências importantes para o meu trabalho (para isso uso a opção salvar do instagram), mas estava sempre com a sensação de estar perdendo algo, de me sentir tentada a comprar algo novo vez ou outra.

Já criei minha lista de referências, que quando quero saber de alguma novidade (porque é legal, vai, ver de repente ideias boas pra você atualizar seus looks), eu salvo e deixo lá para futuras consultas. Mas minha mente pisciana me faz até esquecer isso, hahaha!

Hoje quando eu quero saber o que a marca X tá fazendo de bacana, eu vou no perfil ou site dela. Devo perder com certeza alguma oferta boa, mas ainda mais agora, com um neném a caminho, o armário cheio de roupas, eu certamente não preciso de mais alguma novidade do momento no armário. Prioridades.

Ainda quero continuar a limpeza de quem eu acompanho e deixar só quem traz realmente sensações boas, não só ansiedade e estímulos (já gravei também um podcast sobre esse assunto).

Vocês têm feito como? 🙂 Ajudou de alguma maneira deixar de seguir?