Estampas que eu não consigo gostar!

Se tem uma coisa muito boa com o passar dos anos, haha, é entender bem o que você NÃO GOSTA! Depois de tanto tempo provando várias estampas, cores e estilos de roupas, mesmo às vezes com dúvida ou forçando a barra para usar algo, eu fui sacando bem mais o que, definitivamente, não faz a minha cabeça.

Quando falei aqui da definição do meu estilo pessoal, e até falei sobre a estética minimalista ter me ajudado a consumir menos, beeem menos, isso ajudou a definir de forma clara minhas preferências de tecidos, texturas, modelagens e estampas. Vou falar hoje sobre as estampas que muita gente ama e eu não consigo gostar!

Não gosto de estampa xadrez!

Não tem santo que me faça gostar de xadrez, hahaha! Quer dizer, eu até tenho DUAS peças xadrezes no armário, uma saia azul e uma outra preta, mas com uma estampa tão discreta que nem consigo ler como um xadrez xadrezzzz.

Essa camisa eu comprei na época porque custava 19,90 e tinha corações. Usei algumas vezes, mas só com jeans e short preto. Ou seja, não era uma peça versátil pra mim, porque eu não conseguia pensar em looks com outras opções que não essas, mais por conta da minha trava com a estampa.

Definitivamente, é algo que evito comprar, mesmo que todas as tendências do mundo apontem pra ela.

Não uso estampas fofas

Assim, não que eu não goste de estampas de corações, hehe, mas usei essa foto antiga pra ilustrar um tipo de estampa que não enche mais meus olhos hoje, apesar dessa ser até bem gráfica. Mas no geral eu não passo nem perto das fofas demais, tipo ursinhos, corujinhas, passarinhos, mini florais, robozinhos, etc.

Não que eu ache feio, mas tem a ver com escolhas pessoais, que não condizem com minhas características físicas, não consigo enganar ninguém sendo fofolete demais hahaha!

Vocês têm alguma estampa que não usam nem amarradas? Conseguem perceber aquelas que vocês usam bem menos e, talvez por isso, estejam encalhadas no armário?

Podcast Moda Pé no chão: eps sobre autoestima e inspiração x opressão!

Saíram dois eps do meu Podcast moda Pé no Chão, mas não de uma vez, claro, hahaha! Estou só atualizando aqui, vamos lá:

Ep 26 sobre Autoestima

Segundo um estudo realizado pela UFRGS, 82% das crianças de 8 a 10 anos desejavam uma silhueta diferente da sua. Achei isso extremamente chocante e triste. Estamos num momento em que ouvimos muito sobre auto cuidado, auto aceitação e como melhorar nossa autoestima, mas esse processo de descobertas pessoais pode ser particularmente doloroso e representar a ruptura de uma série de padrões sociais. Convidei Liana Rangel, uma das integrantes da Rede Tear, para conversarmos nesse primeiro episódio sobre autoestima.

Ep 27 sobre Inspiração x Opressão

Você se sente inspirada ou oprimida acompanhando moda? Repetição, baixa qualidade, tamanhos minúsculos? A facilidade de se produzir trouxe um problema quando se deixa de ver roupa como apenas vestir, mas como forma de se expressar. Nós não estamos prontos como consumidores e quem produz não está pronto pra esse novo cenário. Acho que precisamos insistir em criar um estilo, em nos apegar ao nosso guarda-roupa, conhecer o que tem lá dentro, o que funciona para não caírmos em desejos de compras que não sejam nossos. Se nossa postura como consumidoras mudar, talvez o mercado também mude.

Obrigada aos nossos apoiadores do Catarse, que possibilitaram a gravação e edição desse ep! Saiba mais e apoie aqui: catarse.me/modapenochao

O Moda pé no chão traz periodicamente temas práticos para quem quer ser feliz com o que tem sem gastar muito, com convidados para discutirmos assuntos pertinentes sobre consumo consciente para todos os tamanhos, bolsos e idades. Para quem quer vestir-se de si mesma sem complicação, com ideias simples, dicas certeiras, críticas e opiniões sempre muito sinceras.

O episódio já está disponível nos aplicativos de podcast pra IOS e Android, como Spotify, Soundcloud, Apple Itunes, Castbox, Overcast, We Cast e muito mais! Procure no seu app de Podcasts ou de áudio!

Quem segue e compartilha está sempre sabendo quando sai ep novo e ainda dá força pra blogueira aqui!

 

Aqui já tem o link direto para ouvir todos os episódios e baixar!

O GG que não cabe

Compartilhei há pouco um video (toque aqui no link para ver, está hospedado no facebook) da criadora de conteúdo Letticia Munniz, que entrou numa loja que oferecia grade de tamanhos até o GG e ficou com uma parte de baixo presa, sem passar do quadril – detalhe, ela veste tamanho 46!

Letticia é conhecida por tratar temas relacionados ao feminismo com muito humor e nesse episódio não se fez de rogada: xingou DEMAIS a marca nos stories do seu instagram!

“Vou puxar esse short até ele entrar, se rasgar, dane-se! Cansei de passar raiva, eu quero vestir roupas legais, como pode um GG não caber numa mulher 46?”

A falta de padronização dos tamanhos, intensificado por uma indústria que não quer pessoas gordas/fora do padrão imposto frequentando suas lojas, é assunto cada vez mais recorrente em grupos e eu acho o máximo a galera não se fazer de rogada e xingar muito. Ainda sou a favor de expor a marca, vocês sabem.

O mercado plus size está avançando (o Pop Plus, precursor do segmento e o maior do Brasil, vai ter em breve inclusive uma versão mais popular, na periferia de SP), já avistamos inclusão de tamanhos maiores em algumas marcas, mas a mudança ainda caminha lentamente e de forma cada vez mais excludente – vide o recente escândalo da loja Três, que desenvolveu uma coleção para tamanhos maiores mas mandavam esconder os manequins gordos nas lojas.

Tá, Ana, e o que podemos fazer? COBRAR. Não adianta só comentar no vídeo da Lettícia. É colocar pressão, entrar nas lojas já questionando porque a grade é reduzida e a modelagem é pequena, mesmo que você não vista G, GG ou XXG, não interessa. A ideia é deixar as marcas sentirem que não faz mais sentido não oferecerem opções para todas. Pode parecer uma pressão que não vai fazer cócegas, mas, acreditem, elas sentem sim.

Particularmente eu nem frequento mais ou evito ao máximo marcas que dizem ter a grade ampla mas não conseguem nem vestir mulheres 44/46.

Como combinar melhor roupas coloridas!

Nesse post vou mostrar a diferença que faz usarmos sobre cores isoladas X cores coordenadas com mais cores!

Nada de errado e longe de mim usar regras, no! Mas só para mostrar como às vezes podemos ter oportunidades incríveis de usar mais o potencial do nosso armário com poucos elementos, deixar nossos looks mais legais ainda, e como esse receio de combinar mais que uma cor no look não tem fundamento!

Quando temos uma peça de roupa colorida, achamos que já tem muuuuita cor, né? Aí combinamos com calça preta ou com blusa branca, sapato de cor nada também e pronto. Só que aí o destaque maior fica só nessa peça colorida, o destaque é maior! Quando coordenamos cor com mais cores, e distribuímos essa informação ao longo do look, isso gera um visual mais harmônico como um todo, e não só um ponto isolado!

As coordenações das roupas coloridas com peças neutras em preto e branco deixam essa impressão de só um pedaço do look aparecendo, parecendo um bando de fandangos e uvas flutuantes, hahahaha! Quando colocamos informação de cores (complementares e análogas) mesmo que em menor proporção, ou suavizamos usando marinho no lugar do preto, conseguimos observar o look completo, de cima a baixo, sendo mais agradável visualmente.

Olha só na prática:

No look 1, a blusa parece um Barney flutuando em tanto preto, hahahaha! Quando suavizo com calça marinho e uso a cor complementar do roxo, o verde, nos acessórios, bingo! Olhar passeando sem quebras abruptas pelo meu look completo.

ana-soares-como-combinar-roupas-coloridas-1
A blusa fica isolada do look

ana-soares-como-combinar-roupas-coloridas
Informação de cor distribuída!

Look 2, mesma coisa: a pantalona vira um fandangos flutuando; com azul complementar na jaqueta e no sapato, além de vermelho análogo ao amarelo no colar, o look fica chuchu beleza, redondinho, como se nada faltasse!

ana-soares-como-combinar-roupas-coloridas
Só consigo olhar pra calça!

ana-soares-como-combinar-roupas-coloridas
Cor com cor: olho pro look todo

Treinem com seus looks na próxima vez que ficarem tentadas a misturar colorido com…preto e branco. Cor combina com cor, apenasmente isso, amores 💙