Por que normalizamos o uso de roupas e acessórios que trazem desconforto e dores?

ROUPAS QUE ACABAM COM A SAÚDE

Achei que eu fosse calorenta demais, mas era o tecido chinfrim da blusa; que era culpa minha ter os pés delicados que machucam com qualquer sapato

Não é desleixo!

Quem nunca caiu na armadilha falaciosa dessa frase, que ouvimos à exaustão desde pequenas, como justificativa para naturalizar o sofrimento?

"Mulher sofre para ficar bonita"

Ninguém é desleixada por querer vestir conforto – quantos sacrifícios fazemos para performar um padrão de feminilidade?

O fotógrafo Justin Bartels fez uma série de fotos em 2015 dedicada ao impacto que as roupas criam em nossos corpos.

"Me interessou que tantas mulheres usassem roupas amarradas ou desconfortáveis para impressionar ou atrair outros, ou para sua própria auto-estima."

Percebi o quanto usava certas roupas por convenção social e decidi abolir várias da minha vida. Essa sou em 2015, indo a um casamento de sandália rasteira!

Confortável e arrumada

Vamos conferir então quais são as peças que mais causam problemas de saúde com o uso contínuo?

As peças polêmicas

Salto alto

O seu uso excessivo pode causar joanetes, metatarsalgia (dor na região dos dedos e na face plantar), fasceíte plantar (dor no calcanhar), entorse do tornozelo, tendinite e problemas de coluna

Lingerie

Alguns tecidos sintéticos retém a umidade da região vaginal criando um ambiente perfeito para a proliferação de bactérias e fungos. Sutiãs apertados provocam dores e desconforto.

Bolsas pesadas

Dizem  que toda mulher tem que ser precavida, mas ninguém alerta dos perigos posturais de carregar uma bolsa pesada o dia todo. Escoliose, tendinite e hérnia de disco são comuns.

Roupas apertadas

Eu adorava calça skinny, mas vivia desabotoando ao sentar ou após as refeições. Aboli depois que li sobre os problemas de varizes, digestão e doenças ginecológicas ao abafar a região.

USE O QUE  VOCÊ GOSTA, POR VOCÊ

É urgente repensarmos padrões sociais e papéis de gênero o e questionarmos as estruturas que lucram com nosso adoecimento