Diário do grisalho: fim da transição

Chegamos ao final da minha transição do cabelo tingido ao cabelo de fios grisalhos! Foram 3 meses mais ou menos, desde que optei parar de pintar os cabelos. Para ser um processo menos agressivo, optamos, eu e minha colorista, por cortar o cabelo – como faço a manutenção do curtinho todo mês, foi tranquilo.

Preciso dizer que estou MUITO satisfeita! O cabelo prateado trouxe uma suavidade para o meu visual, iluminou mais ainda o meu rosto. No início eu comecei a estranhar várias roupas e optei por manter um contraste alto (já que o cabelo estava nesse meio do caminho) com as roupas mais preto e branco, mais em tons escuros. Mas depois que a parte mais escura do cabelo saiu completamente e ele ficou todo com essas nuances claras, quase como um trabalho de luzes, acreditem: estou amando looks mais claros!

Olhaí as fotos de como está hoje e, recapitulando, o antes, início de tudo!

ana-grisalho

ana-soares-grisalha-moda-pe-no-chao
Quando comecei a transição

Respondendo aqui algumas perguntas que fizeram pelos stories do Instagram:

– Não sinto falta do cabelo tingido. Talvez um dia mas, agora, nenhuma. Significou economia de tempo das idas e vindas do salão, do tempo de espera da tinta; dinheiro na economia de transporte e do serviço em si; e, principalmente, liberdade! Sem contar aquela sensação horrível de tinta intoxicando.

– A textura está diferente, mas sinto que pra melhor, já que é o cabelo virgem! Está mais macio, apesar dos fios brancos serem mais porosos e grossinhos, tá suave.

– Não tenho feito nenhum tratamento para desamarelar (ainda não estamos no verão, né), nem hidratação ou umectação, mas sinto que em breve precisarei. Estou usando meus xampus e cremes de sempre.

– Ninguém questiona meu cabelo. Acho que todo mundo pensa que eu pintei de cinza propositalmente, HAHAHAHAHA!

– Aliás, eu recebo elogios diariamente e deliberadamente! É espontâneo demais, acho muito maneiro.

– Não acho que pareço mais velha com ele, pelo contrário, acho que suavizou meu semblante, logo, rejuvenesceu! Mas sinceramente, acho que devemos parar com esse medo de parecermos mais velhas, isso só contribui para colocarmos as mulheres maduras à margem de tudo, envelhecer é natural, é inexorável. Não acho justo com elas, nem conosco.

Por fim, acho que combinou muito com meu estilo, com a minha nova fase de vida, mais segura, mais dona de mim. Trouxe a leveza necessária também! Que saibamos respeitar as escolhas de todas, seja pintando o cabelo ou não. O importante é se sentir você com suas escolhas, e não refém de um sistema.

ana-grisalho-2

fotos: Lucas Oliveira

Compartilhe nas redes sociais
pinterest: pinterest
tumblr:
google plus:

Comente pelo Facebook

Comentários pelo blog

4 comentários

  1. Eliana comentou:

    👏👏👏👏
    Parabéns Ana!
    Eu estou há seis meses sem pintar.
    Como uso cabelos compridos, ainda estou na transição.
    Mas também não troco a liberdade adquirida e a economia de tempo e dinheiro pelos cabelos tingidos.
    Penso também que o envelhecer se tornou mais leve e natural, mais alegre até, desde que tomei essa decisão.
    Enxergando a própria beleza, a beleza de quem é, e não de quem idealiza ser… (Marlena de Blasi- 1000 dias na Toscana)
    😘😘

    1. Maria José tavares respondeu Eliana

      Acho máximo ter coragem de assumir os cabelos brancos,pq não e fácil as críticas vem sempre de dentro de casa e um assumir o cabelo branco há dois anos e estou muito feliz.

  2. karla dani comentou:

    ficou linda!

  3. Sueli comentou:

    Faz seis meses que não faço coloração cortei curtíssimo ficou lindo estou adorando ainda não faço nada não amarelou como dizem só lavo e hidrato no começo foi difícil quase desisti mas valeu apena já me perguntaram como fiz pra esse pratiado respondi foi a natureza o natural dos meus cabelos KKK