Blog fora do ar para manutenção

Oi pessoal!

Como mudamos de servidor, ainda falta finalizar o processo – 11 anos de conteúdo, demora um pouco, haha! Por isso, vamos sair do ar para manutenção até o processo ser concluído. Acredito que até o começo da semana que vem voltamos!

Até logo. Enquanto isso, me acompanhem no instagram @modapenochao!

beijos, Ana

Compartilhe nas redes sociais
pinterest: pinterest
tumblr:
google plus:

Voltamos! Mudamos de servidor!

Oi, gente!

Recado rápido por conta da semana que fiquei sem postar aqui: mudamos de servidor, não tive tempo de avisar vocês antes da mudança, perdoem. Eu tive que ficar sem postar para que tudo fluisse sem problemas.

Além disso, otimizamos muita coisa aqui para o blog ficar mais rápido. Estamos ainda testando algumas funcionalidades, por isso se alguém avistar algum link quebrado ou coisas fora do lugar e puder avisar, agradecemos!

Agora que estou de volta, vamos às postagens!

Beijos

Compartilhe nas redes sociais
pinterest: pinterest
tumblr:
google plus:

Diário do grisalho: fim da transição

Chegamos ao final da minha transição do cabelo tingido ao cabelo de fios grisalhos! Foram 3 meses mais ou menos, desde que optei parar de pintar os cabelos. Para ser um processo menos agressivo, optamos, eu e minha colorista, por cortar o cabelo – como faço a manutenção do curtinho todo mês, foi tranquilo.

Preciso dizer que estou MUITO satisfeita! O cabelo prateado trouxe uma suavidade para o meu visual, iluminou mais ainda o meu rosto. No início eu comecei a estranhar várias roupas e optei por manter um contraste alto (já que o cabelo estava nesse meio do caminho) com as roupas mais preto e branco, mais em tons escuros. Mas depois que a parte mais escura do cabelo saiu completamente e ele ficou todo com essas nuances claras, quase como um trabalho de luzes, acreditem: estou amando looks mais claros!
Olhaí as fotos de como está hoje e, recapitulando, o antes, início de tudo!
ana-grisalho

ana-soares-grisalha-moda-pe-no-chao
Quando comecei a transição

Respondendo aqui algumas perguntas que fizeram pelos stories do Instagram:

– Não sinto falta do cabelo tingido. Talvez um dia mas, agora, nenhuma. Significou economia de tempo das idas e vindas do salão, do tempo de espera da tinta; dinheiro na economia de transporte e do serviço em si; e, principalmente, liberdade! Sem contar aquela sensação horrível de tinta intoxicando.

– A textura está diferente, mas sinto que pra melhor, já que é o cabelo virgem! Está mais macio, apesar dos fios brancos serem mais porosos e grossinhos, tá suave.
– Não tenho feito nenhum tratamento para desamarelar (ainda não estamos no verão, né), nem hidratação ou umectação, mas sinto que em breve precisarei. Estou usando meus xampus e cremes de sempre.

– Ninguém questiona meu cabelo. Acho que todo mundo pensa que eu pintei de cinza propositalmente, HAHAHAHAHA!
– Aliás, eu recebo elogios diariamente e deliberadamente! É espontâneo demais, acho muito maneiro.
– Não acho que pareço mais velha com ele, pelo contrário, acho que suavizou meu semblante, logo, rejuvenesceu! Mas sinceramente, acho que devemos parar com esse medo de parecermos mais velhas, isso só contribui para colocarmos as mulheres maduras à margem de tudo, envelhecer é natural, é inexorável. Não acho justo com elas, nem conosco.

Por fim, acho que combinou muito com meu estilo, com a minha nova fase de vida, mais segura, mais dona de mim. Trouxe a leveza necessária também! Que saibamos respeitar as escolhas de todas, seja pintando o cabelo ou não. O importante é se sentir você com suas escolhas, e não refém de um sistema.

ana-grisalho-2
fotos: Lucas Oliveira

Compartilhe nas redes sociais
pinterest: pinterest
tumblr:
google plus:

O que vestir quando se está pra baixo?

Essa semana era pra eu estar animadíssima, mas uma virose tirou minha alegria na sexta-feira – pelo menos tentou. Perdi a voz durante meu curso, fiquei rouca, com mal estar e até zumbido no ouvido. Continuei as aulas na raça, mas aquela moleza de mal estar deixa qualquer pessoa bem borocoxô.
Escolher roupa assim é um martírio. Fico olhando pro armário desejando apenas de me enfiar de pijama debaixo das cobertas, já que a última coisa que eu quero pensar é em roupas.
Para isso eu tenho algumas fórmulas que costumam funcionar nesses dias quando estamos pra baixo ou passando por algum momento difícil:

– Repita um look que gostou muito

Quando estou em dias assim, recorro aos looks que funcionaram anteriormente, principalmente aqueles que me senti bem ou fui elogiada. Nem sempre me sinto bem neles de novo, depende de como estou, mas pelo menos é um caminho e não exige que eu precise pensar em algo do zero.

ana-jeans
Look antigo, mas é uma fórmula que amo repetir!

– Use alguma peça colorida ou clara

Parece crendice, mas não é: roupa preta ou escura demais fecha mais as nossas energias. É uma maneira de resguardo, mas também dá aquela sensação de mais melancolia e deprê. Prefiro pelo menos escolher algum acessório colorido ou uma peça próxima ao rosto. Ajuda a dar outro astral, te dá até um gás a mais, vai por mim.
anaroxo

– Peças fáceis e com poucos detalhes

Nesse momento meu estilo minimalista grita, vou pras formas simples e até pro básico! Prefiro algo que é só enfiar a cabeça, como um vestido, do que saia com amarração ou blusa de abotoamento complicado.

– Deixe tudo separado previamente

Se você não está 100% e tem eventos ao longo da semana, tente pegar as dicas acima e já deixar tudo separado de alguma forma, para não ser mais uma carga mental dos seus dias. É só levantar, pegar a roupa, vestir e sair.

– Não se cobre: vista o que te traz conforto

Tente não se cobrar para montar uma produção bacana. Pegue inspiração de algum lugar, copie a ideia, vista aquilo que vai fazer você se sentir confortável nesse momento. Não pense que está todo mundo reparando, às vezes ninguém está, nem que está tudo péssimo! Nesses dias ruins achamos tudo também meio cinza e estranho, mas às vezes o look tá legal pra caramba e nem notamos por conta disso. Todo mundo têm seus dias ruins, ou já passou por momentos não muito bacanas, por isso procure ficar bem o máximo que conseguir, sem forçar a barra. O importante é você se sentir pelo menos reconfortada na roupa, propósito maior quando nos vestimos para viver.

Compartilhe nas redes sociais
pinterest: pinterest
tumblr:
google plus: