O custo X o benefício na hora das compras

Sempre soube que roupa cara é aquela que fica parada no nosso guarda-roupa. Por mais que tenha sido uma pechincha, como não suspirar de tristeza toda vez que se abre o armário e encontra aquela roupa encostada? Sempre penso que poderia ter usado o dinheiro gasto nela comprando algo realmente usável, ou de qualidade melhor ou economizado mesmo.

Uma praticante da filosofia OFF (hahaha, aloka) não é aquela que faz mil achados por dia e gasta os tubos na liquidação. Certamente é quem age de forma racional na hora do impulso, pensa na versatilidade daquela peça que está levando, com quantas roupas ela vai combinar, se ela “conversa” com os outros itens do seu guarda-roupa, se ela vai ser fácil de lavar/passar, se não é igual a outra que já se tem…pois é, por mais que eu ame de paixão, se não combinar com o restante das minhas roupas, não tenho porque comprar.

Tenho que exercitar mais esse pensamento, principalmente com as roupas-que-estão-super-mega-na-moda-meu-deus-tem-que-ter. Normalmente deixo a moda passar e, se eu ainda assim continuar querendo, compro e uso até mesmo quando a moda já passou. Comprar só porque está na moda e depois deixar a peça esquecida num canto é demais para o meu pobre bolso de proletária…

Compra por impulso: amei a camisa preta, por que não levar a rosa?

Uma das coisas que tenho feito na maioria das vezes é pensar bem antes de sacar o cartão. Se eu percebo que a vendedora está em cima, eu peço a ela pra se afastar e me deixar pensar. Sério, fico mentalizando meu guarda-roupa e pensando no número de combinações com aquela peça. O post de ontem foi uma demonstração de uma compra minha por impulso, com a camisa de caveiras rosa da coleção Andrea Marques para C&A! A maioria deu a ideia de combiná-la com jeans escuro. Mas poxa, vou ter sempre que usá-la com jeans escuro então? Essa coordenação é a mais básica de todas, e eu quero uma peça que me permita ser versátil, porque eu gosto de experimentações, de testar novas propostas. Amo jeans, mas não quero me limitar só a ele, sabem? De qualquer maneira, de todas as peças dessa coleção da C&A que levei, essa foi a única que me arrependi #evolução

Claro que isso não é uma fórmula, não tem como ser racional todas as vezes e não comprar mais nada por impulso. Mas certamente diminui e muito os gastos desnecessários e a gente aprende a ser mais seletivo e a deixar de levar só pelo preço. Se somar a quantidade de peças baratinhas e sem uso que muitas de nós devemos ter, daria pra comprar uma de qualidade superior que dure mais tempo ou que possibilitasse mais coordenações nos looks. Isso sim seria uma compra inteligente. 🙂

Daí eu estava folheando um livro que ganhei no curso, Personal Stylist – Guia para consultores de imagem, da Titta Aguiar, e, para minha surpresa, tinha uma fórmula para aplicarmos nessas horas de dúvida fashion! Confesso que nunca a coloquei em prática, mas achei curioso dispo-la aqui no blog para saber a opinião de vocês sobre a sua eficiência.

Vamos supor: você está na dúvida se aquela peça de roupa será um bom investimento. Ela custa 200 reais, vamos supor que seja um vestido. Aí você faz estimativas do tempo que você gostaria que ela durasse, levando em conta qualidade do material e modismos. A outra pergunta a ser feita é de quantas vezes você acredita que irá usá-la por mês ou por semana. Uma calça jeans normalmente tem mais vezes de uso que um vestido estampado. Através do cálculo do custo versus benefício, a fórmula mostra o valor real da peça, pelo número de vezes que irá usá-la. Quanto mais se usa, mais o valor do investimento se dilui.

Achei interessante, mas não sei se consigo colocar em prática. Acho que hoje em dia eu avalio o investimento apenas pensando na versatilidade da peça, em quantas combinações ela me permite (de acordo com esse post da Oficina de Estilo, cada peça no nosso armário tem que render pelo menos três looks diferentes). Se você for usar mais, vale gastar mais, se for usar menos, gaste menos. Vale a pena comprar a peça da temporada para atualizar o armário e variar as combinações, claro. Mas tendo em mente que ninguém precisa de todas as novidades da semana no guarda-roupa, mas aquela peça que vai fazer a diferença na hora do look, ou vai ajudar a compor várias coordenações bacanas. Por isso nada mais feliz do que comprar  algo que você queria tanto, que amou no corpo e usa sempre que precisa arrasar por aí. 🙂

Compartilhe nas redes sociais
pinterest: pinterest
tumblr:
google plus:

Comente pelo Facebook

Comentários pelo blog

46 comentários

  1. Flavia Mello comentou:

    Ana, acho que essa camisa ficará linda com branco, então aproveita que a primavera chegou (fora esse frio fora de época que baixou por aqui), e use e abuse: calças, saias, shorts. tudo bem, é só mais uma cor, o branco, mas acho que fica lindo e chic. Beijos

    1. Milca respondeu Flavia Mello

      Quando estava lendo o post e a Ana falou que só a combinaria com jeans escuro pensei o mesmo que você: essa camisa vai ficar linda com branco!!!
      Usa, Ana!
      😉

  2. Erica comentou:

    Ana, amei essa camisa. Se desapegar dela, me avisa! Investimento certo!!! rs

  3. Eu faço este tipo de calculo, mas de uma forma diferente. Vou falar no srta…. rs

    Mas é uma boa para quem não sabe se vale ou nao comprar uma peça.

  4. Lore Poleto comentou:

    Ana, o que mais gosto no teu blog é que tu és gente como a gente e quando diz que usou tal peça a exaustão é pq usou mesmo até enjoar. Acho engraçado como a fama repentina mudou a cabeça de algumas blogueiras que até a pouco tempo reclamavam do preço das peças na Marisa (nada contra, sou pobre tbm hehe) e hoje usam a peça três vezes e dizem: USEI MUUUUUITO! è subestimar a inteligência da leitora ou querer pagar de rica? Acho que um guarda roupa ideal deve ter variedade sim, mas é a variedade que tu defende, de investir nos clássicos, em peças boas e que combinem entre si, não tão parecidas. Isso é saber vestir-se! Um beijo! Adorei o post! =D

    1. Mônica respondeu Lore Poleto

      Sábias palavras Lore Poleto.

  5. Oiii

    Eu faço isso sempre… não bem com esses cálculos, mas na minha ideia qto tempo essa peça vai durar? Quantas vezes vou usar, aliás uso com o marido qdo ele quer comprar algo mas acha caro.. sempre acabo convencendo ele.
    Também gosto de pensar no que vou usar com aquela peça…e muitas vezes saio e vou embora sem comprar, se a peça me fizer ficar pensando nela, aí sei que quero mesmo. Com isso fiquei 9 meses sem comprar roupas e 1 ano sem sapatos.
    Eu adorei essa sua camisa, e acho que dá pra usar também com saias…uma saia longa preta, ela mais fechada com um maxi colar por fora..ia ficar muito legal tbm.
    Até um look mais casual com bermudinha e ela mais soltinha.
    Eu sempre passo aqui raramente comento, mas gostei muito do post não dava pra deixar de comentar.

    Beijos

    1. Naiara Costa respondeu Gê Simões

      Também uso essa tática do voltar pra comprar depois só se a peça me fizer ficar pensando nela! Também uso a linha de raciocinio do “Se tiver que ser minha, vai ser” hahaha Pro caso de quando eu fico desesperada pra comprar só por que acho que vai acabar. Se num tiver mais quando eu voltar, é por que num era pra ser mesmo.
      Parece bobagem, mas essas filosofias de boteco ajudam na hora de controlar a compra por impulso, que é o que mais acontece hoje em dia.
      🙂

  6. Ana, adoro quando você toca nesse assunto, além de servir pra todas, pega logo na minha ferida. hahahah.. Tenho várias roupas encalhadas, por inúmeros motivos e simplesmente não sei que rumo dar à elas. A que tá doendo no meu coração dessa vez, é um vestido da Maria Filó (custou R$249,90 e tava off), longo, tecido fino que comprei pra ir a um casamento e já sei que se usá-lo mais uma vez que seja, será muito. Lindo, porém está sendo inútil no momento. hahaha Não sei se tô viajando, mas será que você poderia dar uma mãozinha pra nós leitoras, realizarmos um bazar (por que, assim, tudo é muito relativo, às vezes, o que eu “nunca mais” usaria, uma outra leitora e até você mesma, talvez aproveitasse melhor) ou ainda criar uma tag tipo “encalhadinhos das leitoras” onde mandaríamos fotos da peça encalhada e as outras leitoras e você dessem opiniões sobre como usar a peça? Não quero me intrometer e nem te dar mais trabalho, por que sei que isso aqui é uma paixão sua, uma coisa que você faz por prazer, só tô dando uma dica, que a meu ver, seria sensacional. Obrigada por ler! =)

    1. Keity respondeu Victória Tavares

      Adorei a ideia. Mas imagino mesmo que seja dificil para fazer com pouco tempo. Mas Ana, vc podia conversar com as leitoras sobre isso.
      Eu sempre fui compradora conciente… as vezes relaxada mesmo, esperava um calçado (o único que usava no período) furar para ir comprar outro. E graças a Deus não era por nao poder comprar outro, era por nao gostar mesmo, principalmente de gastar (mao de vaca total)
      Depois prometi q compraria calçados… pra nao ter q sair correndo atras de um novo qdo o velho tava furado. Comprei, mas usar? esqueci de pensar na versatilidade. Ou nem isso, eu usava muito salto por amar salto mesmo. Depois me apaixonei por sapatilhas e os sapatos estão la, empoeirando. Nao tenho coragem de doa-los, tem algum que nunca usei. Poderiamos ajudar pra por no teu bazar ou fazer outro bazar, ou ou ou.
      São idéias.

      bjos

    2. Mônica respondeu Victória Tavares

      Ótima idéia. Um bazar coletivo, poderia até estipular um valor de comissão pra quem administrasse o site do bazar.

  7. Viviane Moreira comentou:

    Lendo seu texto, excelente, pensei na minha situação financeira, explico, eu adoro moda, mas não gosto de andar na última moda, tipo gosto de usar quando ninguém mais estiver usando! E pelo simples fato de não ser mais uma a usar e também porque você vê todo mundo usando que enjoa, simples assim!
    Outra coisa, como você e diria como todo mundo, já me peguei comprando por impulso (o tal quem nunca?), mas nos últimos meses (anos?) me vi em uma situação financeira que me impossibilita comprar tudo que eu vejo e desejo. Pra mim a matemática é certa e brutal! Recebo X, tenho contas fixas Y, o que sobrar, se sobrar, compro algo pra mim. Em meio a tudo isso rebolo pra sobrar pra empoeirada poupança.(e confesso que não anda sobrando…)
    Sem dúvida que na hora de comprar pesa muito o custo x benefício! É por causa dele que minha paixão por sapatos de salto foi controlada, amo! Mas cade que uso? Tenho dois na caixa novos esperando a “saída” para verem a cor do asfalto! rs
    E estou com as meninas do Oficina! A melhor roupa é a que te possibilita maiores combinações!
    Aprendo muito com você Aninha e sem dúvida com elas, da Oficina.
    Texto pra ler e reler sempre!
    Bjss
    Vi

    1. Mônica respondeu Viviane Moreira

      Viviane, me identifiquei. Já tive surtos de comprar e gastar mais do que ganho e no meu caso ainda é pior porque eu não tenho um trabalho com salário fixo então quando torrei foi o dinheiro do maridão, que pacientemente esperou a tempestade das dívidas acabar, o que me deixou com mais remorso ainda mas serviu como uma sacudida pra mim, o dinheiro nunca pode mandar na gente, não podemos ser escravas da moda, temos que usar a moda a nosso favor. Comprar sem precisar leva a culpa e a descapitalização, o que é extremamente ruim, porque você nunca tem um dinheiro sobrando já que gasta tudo que sobra. Se comprarmos tudo que queremos, nunca teremos o que realmente precisamos. Teremos um guarda roupa abarrotado de peças da estação que não se coordenam entre si.

    2. Keity respondeu Viviane Moreira

      Amei isso:
      “Se comprarmos tudo que queremos, nunca teremos o que realmente precisamos.”
      Preciso tatuar isso no cérebro.

      1. Mônica respondeu Keity

        Rs… Também preciso Keity.

  8. Comentei com meu marido sobre essa regra de custo x benefício por peça na semana passada. Ele me deu uma olhada de rabo de olho, como se estivesse pensando “isso é uma estratégia para gastar mais em alguma peça”. Mas no fundo faz muito sentido. R$30,00 nunca peça que nunca vai ser usada é caro, porque jogamos dinheiro fora. Já R$200,00 em uma peça que vai ser usada toda semana, por um certo período, vale muito mais a pena.
    Super post, Aninha. =)
    Beijo.
    http://www.coisasdadeinhah.com.br

  9. Marina Conti comentou:

    Oi Ana!!
    Gosto muito da sua forma de encarar o consumo. Vc é mto pé no chão e na minha opinião, sabe aproveitar mto bem as peças que tem! Isso vc já tá cansada de saber, né? Todo mundo deve falar isso, mas enfim.

    Eu passei mesmo pra te dar uma sugestão sobre essa camisa. Eu gosto muito da combinação desse rosinha da camisa com marrom. Além do mais, essas caveirinhas alaranjadas vão ornar super com o marrom!! Vc deve ter uma calça, shorts ou saia marrom pra testar, não tem? Eu adoraria ver!!

    Beijo, com carinho.

  10. Paula comentou:

    Ana, essa camisa ia ficar linda com um short branco que vc tem (olha a loca que conhece seu guarda roupa todo!hahahaha)! Mesmo tendo sido por impulso, gostei muito dela!

    Amei tudo que vc falou sobre custo-benefício! É exatamente oq tenho pensado….

    Outro dia uma amiga achou super caro eu pagar 200 reais em um vestido de verão (que tenho certeza que vou usar um milhão de vezes), e que eu fui pão dura em não pagar 180 numa bolsinha super chique de festa, mas que eu ia usar uma vez por ano, e olhe lá…

    Há um tempo atrás teria pensado como ela, mas agora que tenho analisado mais o custo benefício, sinto que tenho andada mais arrumada e sem gastar mais…

  11. Thais comentou:

    Gostei muito Ana. Tive uma fase de comprar muitas coisas em promoção porque não podia deixar a peça para trás com aquele preço. Resultado: peças encalhadas em casa. Já doei peças com etiqueta!Olha quanto pesou no meu bolso!!Estou tentando consumir menos e deixar no meu armário aquilo que combina comigo e com meu dia a dia e vou usar muito essa fórmula nas próximas compras!!Obrigada!

    1. Keity respondeu Vivs

      Amei o terceiro e o quarto

      1. Mônica respondeu Keity

        Eu também! Rs.

    2. Ana Carolina respondeu Vivs

      Vivs, que amor da sua parte! Nossa, amei suas sugestões…como eu faço pra inserir a imagem da camisa no polyvore? 😀

      Um beijão, já salvei todas as ideias, obrigada!!!

      1. Vivs respondeu Ana Carolina

        Acho que não tem como, eu usei o Photoshop mesmo, que é mais rapidinho… Mas não tenho certeza, nunca tinha usado o Polyvore antes, só sabia o que fazia. 🙂

        E de nada, só queria dar umas ideias pra levantar um pouco o apreço pela coitadinha, porque, na minha opinião, ela é bem mais legal que a preta.
        Camisa preta de caveira tá cheio por ai, agora uma rosa com laranja é bem mais divertida de combinar e rende uns looks bem menos óbvios.

        Bjs!

  12. Ana Lucia comentou:

    Adorei Vivs!!!! Também tenho dificuldade com esta blusa. Vou aproveitar todas as suas idéias e testá-las. Grande inspiração. Valeu!!!!! ANA

  13. tatiana gonzalez comentou:

    Oi, Ana e colegas de leitura!

    Muito boa a fórmula, já tinha pensado em algo assim anos atrás quando comprei um casacão pelo joelho de lã verdadeira preto (algo básico como uma camiseta branca aqui no sul): custava 600 reais (mais que o triplo das peças mais caras de roupa que já comprei na vida), mas era absolutamente perfeito no tamanho, no caimento, na qualidade. Ficou ótimo com jeans e all star no dia que comprei e mais ainda sobre um vestidinho de festa, meia e salto alto nas formaturas de meio de ano. Minha mãe me disse que ele duraria uns 20 anos e eu acho que pode durar mais (desde que eu não engorde!). Uso com cuidado, jamais fico muito tempo (ou nenhum) sentada sobre o casado e – por exemplo – este ano, nem o usei, já que mal fez frio. Mas ele segue valendo cada um dos 600 dinheiros só pela elegância que dá em qualquer situação sob o minuano do sul.

    Por outro lado, gastei 350 reais numa zibeline francesa rosa (zibeline tem reflexo preto) para o vestido da minha formatura da faculdade. Nunca mais usei o vestido e duvido que encontre situação para usar algo tão chamativo e – pior – com corte princesa. Na formatura foi o máximo. Mas é investimento demais por uma só noite. (Será que encontraria coragem para vende-lo? Foi minha mãe quem costurou…)

    Minha regra é: quanto mais básica a peça, mais ela pode custar. Quanto mais modinha passageira ou “lá vem a tati com aquele vestido rosa”, menor é o limite.

    1. Ana Carolina respondeu tatiana gonzalez

      Tati, veja com sua mãe se tem como transformar o vestido! De repente em um outro vestido, uma saia ou blusa…

      Fiquei curiosa pra ver o casacão! Se fosse no Rio de Janeiro, HAHAHA, seria dinheiro jogado fora, rs!

      Beijão!

  14. Bia Maia comentou:

    Ana, concordo demais com vc, ainda faço compras por impulso (quem não?) mas tenho pensado cada vez mais pra não deixar roupas encostadas! Além de pensar se eu vou usar muito, eu tenho a técnica da voltinha. Provo a peça e amo, mas fico um pouco em dúvida. Aí saio pra dar uma voltinha. Se na hora de ir embora eu ainda tiver encanada pensando que não posso mais viver sem aquilo, volto e compro sem dó. Se já tiver empolgada com qualquer outra coisa, ou começar a duvidar muito, deixo passar. Na boca do caixa, com a vendedora oferecendo parcelar em mil vezes, eu acho difícil tomar decisões difíceis! rs
    Mas as vezes eu acho legal ter uma peça incrível no armário pra usar só quando vc quer arrasar. Aquela peça cara, que não combina com tudo e eu vou usar pouco, mas quando eu tiver uma ocasião em que queira estar confiante, tiro ela do armário e vou feliz porque ainda não enjoei.
    A reflexão fez sucesso, né, adorei!
    Beijos!

  15. Bruna comentou:

    Ana, suas considerações neste post foram perfeitas. Temos que fazer este exercício diário de avaliar cada uma de nossas aquisições, porque se não perde todo o sentido essa coisa da ‘filosofia off’. De que adianta nos declararmos off se saímos por aí comprando um bocado de bobagens que nem chegamos a usar, não é mesmo?

    Você, mais uma vez, muito coerente. Parabéns, querida, sou sua fã!

    Ah, sobre a camisa de caveiras, fiquei desapontada pq não achei mais na loja aqui, então, se for colocar no bazar, estou na fila.

    Beijos.

  16. Aline Jesus comentou:

    Oi, Ana! Comprei essa blusa também e fiquei na mesma dúvida. Já usei ela com jeans, branco e borgonha. Com vermelho também fica bacana…

    Bjo

    Aline

  17. solange comentou:

    …tb prefiro uma peça de melhor qualidade do que várias de qualidade inferior…mas a gente só aprende com o tempo…parando pra pensar, como vc tem feito ultimamente…mas claaroooo…caindo em tentação de tempos em tempos…hehehe…

    …quanto a fórmula…chamo isso de diluir o preço da peça…quanto mais vc usa,mai barato ela é…

    bjs.

    ..ahhhh…a camisa é uma graça…bora colocar em prática as sugestões das meninas…

  18. Roberta Ribeiro comentou:

    Ana, me identifiquei mt com seu post. Eu queria tanto a preta e nao consegui que acabei comprando a rosa…
    Usei um dia mas nao amei a blusa… E me sito completamente arrependida de ter comprado… Vejo q poderia ter levado outra peca, tipo a blusa laranja q nem dei nada por ela mas eu vi vc com ela um dia desses e pensei “Putz, devia ter levado essa ao invés da maldita caveira rosa…”

    Enfim, sinto q ela vai ficar encostada… Dinheiro jogado fora!

    Bjss

    Gostei mt do seu post!!!

    1. Ana Carolina respondeu Roberta Ribeiro

      Roberta, se quiser vender a sua, anuncia aqui nos comentários! Quem sabe alguma menina que queira muito ela, vista seu número, compre? Não fique triste, tenho certeza que próximas coleções virão e vc fará excelentes compras, a gente aprende! 🙂

      1. Naiara Costa respondeu Ana Carolina

        Se quiser vender eu comprooo 🙂

        1. Roberta Ribeiro respondeu Naiara Costa

          Ana, obrigada pela ajuda!! Acho que já achei uma compradora!! heheheeh

          Naiara, a blusa é 42. Me manda o seu email ou me manda um email… [email protected]

        2. Roberta Ribeiro respondeu Naiara Costa

          Bjss

  19. Marilia comentou:

    Ana, eu tenho a fórmula dos dez reais! Cada vez que eu usar algo, conto que vale dez reais. Acho que pra determinadas peças, isso é até baixo, mas acaba ocorrendo um balanço com outras peças.

    Então quando compro uma roupa e ela custa 100 reais, tenho de usá-la pelo menos 10 vezes.

    Meu marido já usa essa regra até pra outras coisas, como eletrônicos. Meu computador, por exemplo, já se pagou até mesmo usando essa regra (ele custou mais de 3000 reais, pra vc ver).

    É delicioso usar uma roupa depois que ela “se pagou”. =D

  20. Luci comentou:

    Muito linda essa blusa. Comigo ela renderia 1000 looks, porque meu guarda roupa e cheio de peças com cores terrosas ou cores claras. Não comprei ela porque ficou muiiito larga. A minha melhor peça de roupa é uma jaqueta de couro marrom muito escuro. Custou +/- 200 Reais e já usei mais de 20 vezes.

  21. Thais comentou:

    ótimo texto, Ana. Também estou tentando gastar menos com roupas, às vezes entro em alguma loja, principalmente as mais populares, e dá vontade de levar tudo. As blusinhas básicas são uma tentação. Eu tinha mania de comprar vestidos coloridos, soltinhos, mas percebi que eu não usava muito, até porque meu trabalho exige um figurino mais sério. Os milhares de vestidinhos estão lá no armário…E olha, a gente gasta muito por impulso. Minha ultima mania foi maxi colar, compre uns 5. Até hoje só usei um! A gente tem que pensar muito mesmo antes de comprar, o dinheiro gasto em roupa pode ser investido em outra coisa, faz falta mesmo. Difícil é resistir às tentações, mas a gente tenta!

    beijos

  22. camila chiariello comentou:

    Ana, estou indo para os EUA mês que vem e pensando em levar o seu texto como um mantra a ser seguido, rs!!

    As vezes ficamos tão “emocionadas” com uma liqui ou com um achado, que sequer pensamos se aquela peça vai ser usada ou se combina com algo que temos. E por vezes, ainda temos que comprar outra peça para combinar com aquela primeira, o que torna o preço – que antes era convidativo – bem mais caro.

    Valeu a reflexão. Ah, e eu amei a sua roupa de hoje, rs!!

    Bj!!!

  23. Teresa comentou:

    Ana,

    Vejo tantas possibilidades com essa camisa! Você pode usar com peças jeans, brancas, azuis (calças, saias, shorts), laranja (sem a blusinha laranja por baixo), preto, marrom, não sei vejo muitas possibilidades…

    Tente fazer o exercício que vc sempre faz antes de se arrepender! Ela é tão linda! Claro que não conheço o seu armário todo, mas tenho certeza que existem outras possibilidades que vc ainda não viu… 😉

    Beijos!

    1. Ana Carolina respondeu Teresa

      Obrigada pelas ideias, Teresa! Vou testar, com certeza 🙂

  24. Mônica comentou:

    Ana eu ainda tô me acostumando a pensar assim na hora de comprar e este post só me inspirou mais ainda a dar mais valor ao meu dinheirinho suado. Sempre gostei de me vestir bem mas quando meu filho mais novo nasceu eu esqueci totalmente de mim e passei a me vestir pra sair como se estivesse acabado de fazer uma faxina, rs. À pouco tempo atrás uma amiga fez aniversário, festa surpresa, enquanto aguardávamos a aniversariante chegar uma outra amiga me disse, _Vai se arrumar antes que ela chegue!

    Rs, pois é, eu achava que já estava arrumada, rs. Mas isso me deu um clique e eu enxerguei o quanto eu tinha me largado, voltei a querer me arrumar, mas parecia que eu tinha perdido a mão sabe, achava que estar arrumada era um jeans e uma regatinha, na base do tentativa e erro fui me aprumando, comecei a usar maquiagem, a cuidar mais dos cabelos, mas na vestimenta a coisa parecia que não fluia. Era como se eu estivesse me vestindo para o meu corpo de sete anos atrás, rs. Não conseguia mais me achar elegante e/ou estilosa. Aos poucos fui melhorando e o HVAO me ajudou bastante. O exercício da compra consciente ainda é novo pra mim, de vez em quando gasto mais do que posso e posts como esse me incentivam demais a continuar buscando não comprar o que não preciso. Bjs Ana e obrigada mais uma vez.

  25. clauky boom comentou:

    é fato que a camisa preta com caveirinhas é mais vistosa e versátil, mas a vermelhinha é liiiiiiiinda. e não precis ser só com calça escura, penso eu. Acho que pode ficar boa com uma peça vermelha, como calça ou saia. Também imagino um cinza chumbo, enfim, acho que ela tb pode ser versátil 🙂

  26. mariana comentou:

    Curti o post Ana. Também tenho tentado avaliar melhor na hora da compra e ser menos impulsiva. Uma coisa que tenho prestado muita atenção – e que antes não prestava atenção alguma – é aos tecidos. tenho investido mais em tecidos nobres e naturais e deixado o po´liéster de lado. Também penso no quanto a peça transita entre lazer e trabalho. se circula bem entre esses dois ambientes, eu levo. se fica restrita só ao lazer, penso um pouco mais, pra evitar ficar com o armário cheio de paêtes e shortinhos e nada pra vestir durante a semana.
    Acho que a camisa rosa da maria filó pode ser bem versátil. Já tentou usá-la com uma calça bege modelo chino que vc tem? acho que ficaria lindo!