Vale a pena fazer contas dos gastos?

Já que estamos conversando sobre contas e organização, uma que considero importantíssima e, confesso, sou uma negação, é a organização financeira. Tanto é que foi minha mãe, secretária executiva e capricorniana, quem assumiu essa parte da minha empresa e dos cursos, senão eu já teria enlouquecido, além do acúmulo de funções.

Não lembro onde foi (agora com esse tanto de redes, eu me perco mesmo), mas uma leitora comentou que organizou suas roupas em planilhas para saber o que tinha no armário e, além disso, ainda lançou quanto havia gasto em cada uma das peças.

Resultado: ficou em choque. Pelo valor, teria viajado para a Europa muitas e muitas vezes.

Há quem seja a favor do choque de realidade, mas eu gosto de entender primeiro qual é da pessoa, porque também o que ela vai fazer agora? Vender tudo que nem louca pra reaver o dinheiro de alguma maneira? Se açoitar em punição pelo leite derramado?

voce-e-linda-linda-igual-uman-fatura-de-cartao-de-8290598

Se você for mais direta e precisar desses tapas na cara, é isso aí. Se for como eu, mais sentimental, prefiro entender que não há nada que possa ser feito com o que já foi. Que errar faz parte dos ensinamentos para que não erremos novamente. Agora é olhar pra frente e compreender o que fazer a partir de agora!

Minhas estratégias para controlar gastos:

  1. Se tem alguma roupa que eu queira muito e acredite que vou usar várias vezes após fazer uma análise minuciosa, eu compro. Se não for assim nada que mude meu guarda roupa, espero liquidar.
  2. Faço uma previsão do que posso gastar, a partir da análise dessas necessidades, para separar o dinheiro para isso. Mesmo assim, não tenho colocado compras em roupa como prioridade: as minhas, no momento, são a casa e viagens.
  3. Pago no débito. Parece coisa de rica, mas isso acontece lá fora, onde não existe a opção de parcelamento! Se eu me planejei para aquela compra, eu tenho dinheiro para ela. Se não tiver, nada feito.
  4. Se eu precisar parcelar, uso um cartão que me permita ver os próximos lançamentos, porque senão eu esqueço daquele gasto. O meu é o Nubank e eu acompanho tudo pelo app. Aliás, apps de gastos são ótimos!
  5. Evito usar cartões de lojas de departamento, porque quando eu usava, esquecia de pagar e perdia mais grana com os juros, além de não ser um lugar concentrado para todos os gastos nesse quesito. A não ser que você seja super organizada e coloque tudo na agenda – o bom é que pagar online tá bem fácil!
  6. Na hora das compras, a análise do custo x benefício é essencial para saber diferenciar a compra só porque é de ocasião e está baratinha, da que realmente vale a pena.
  7. Evito passear aleatoriamente em lojas, sem objetivo e sempre sempre sempre fico pensando horas nos tipos de combinação com aquela peça. Se eu estiver na dúvida, deixo na loja e volto outro dia. Outra estratégia é comprar online e experimentar em casa para ter a opção de devolver em até 7 dias úteis.

app

Eu gosto de salvar numa pasta meus objetos de desejo, mas evito passear também em sites de lojas, para não cair em tentação. Mudei o foco para ler outras coisas e seguir outros perfis no instagram – mesmo que eu fique com a sensação de que posso estar perdendo alguma novidade, mas, acredite, isso passa!

Comecei também a prestar mais atenção nos gastos “inocentes” em cada viagem minha, justificando estar trabalhando demais ou, quando eu voltaria lá. Ok, algumas valeram demais, mas outras foram só fogo de palha mesmo. Quando eu olhava meu saldo, o susto: milhares de reais, se somarmos uma coisinha aqui e outra ali (alô povo de humanas!) e esse montante é algo que o débito mostra muito mais do que o crédito.

Eu estava gastando muito além do que poderia, mais por não lembrar de todas as compras e, principalmente, pela desorganização com meu suado dinheirinho.

E vocês, como fazem? Controlam esses gastos ou são do time que chora quando chega a fatura do cartão? Kkkkkkkkkkk (cada k é uma lágrima)!

Compartilhe nas redes sociais
pinterest: pinterest
tumblr:
google plus:

Comente pelo Facebook

Comentários pelo blog

15 comentários

  1. Marina comentou:

    Antes de casar eu amava carnê e gastava todo o meu salário, 100%, com minhas compras. Nunca fui de me endividar, mas tb não sabia o que era sobrar um real. Depois que me casei, meu marido, muito organizado e certinho com as contas, foi mudando minha mentalidade. Ao invés de dividir em 4X, esperava ter o dinheiro para comprar. Assim, o débito passou a fazer parte da minha vida e mudei minha visão nesse sentido, graças a Deus. Por anos, nem cartão de crédito tivemos. Agora temos o nubank, mas limite bem baixo, e parcelamos algumas compras maiores, mas em umas 3X no máximo… rs. É um aprendizado que tem que ser constante, mas que vale mto a pena pela tranquilidade. Ainda faço umas compras no impulso. Aliás, roupas e sapatos ainda são o meu fraco, mas hoje não compro porque tenho que comprar, pq entrei em uma loja e não posso sair sem. Eu penso, só compro se realmente gostei. As compras mais impulsivas são as que ficam de lado. Beijos

    1. Ana Carolina respondeu Marina

      Marina, meu ex era administrador e me ensinou uma coisa que ajudou muito: tem desconto à vista? Compro no débito ou dinheiro. Não tem? parcelo. O bom do Nubank é esse limite baixo e o controle, coisa que meu antigo cartão não oferecia!

  2. Leticia comentou:

    Oi Ana. Sou super controlada financeiramente. Mas nem sempre fui assim. Quando era solteira gastava muito mais do que hoje em roupas.
    Ter esse controle me permitiu realizar muitos sonhos. Hoje a minha prioridade é investir na minha casa e em viagens.
    Pesquiso muito antes de comprar roupas, garimpo no Enjoei e em brechós. Estou aprendendo a costurar sozinha com os moldes da revista Burda. É um processo, escolher o modelo, o tecido, ajustar o molde, cortar, costurar… mas estou super feliz com o resultado e orgulhosa por fazer a minha própria roupa. Hoje tenho modelitos exclusivos com tecidos de qualidade.

    1. Ana Carolina respondeu Leticia

      Uma colega minha de internet trabalhava na Burda! O máximo aprender a fazer suas roupas e valorizar o seu dinheiro!

  3. Anne comentou:

    Eu gastava mais com roupas e sapatos antes. Via em algum lugar, achava bonito e procurava até encontrar parecido. Não pensava se ia me atender ou não, só comprava, mas apesar disso, eu tinha uma lógica: não comprava algo que não combinasse com outras coisas que já tinha, então acabavam sendo peças que eram meu estilo, só que às vezes não eram muito funcionais pra mim. Por isso, gastava mas também não era nada absurdo, conseguia controlar as contas e não extrapolar.
    Hoje acho mais fácil colocar tudo no crédito, também uso Nubank, e acaba sendo prático por pagar tudo ali, apesar de isso ajudar a gente a ir parcelando e sentir menos a dor do dinheiro indo embora haha mas sinto que tô melhorando a cada dia, também tento dividir em poucas vezes no cartão, no máximo 3x, e compro realmente só o que eu vou usar, usando alguns critérios, e isso ajuda muito a ser mais seletiva, comprar menos por impulso, e consequentemente, gastar menos. Estabelecer um valor pra gastar por mês também acho uma ideia legal, se quiser uma peça mais cara, esperar juntar o valor e só então comprar.

    1. Ana Carolina respondeu Anne

      Eu também era assim, Anne! Via algo bonito, desejava e não media esforços até encontrar. Sentia até prazer nisso.

  4. BIANCA BEATRICE NOBREGA MANCIO comentou:

    Aqui em casa temos planilha de orçamento anual e mensal (marido engenheiro haha) ou como ele gosta de falar BUDGET.
    Temos metas para cada gasto dentro do mês e, se passamos, o mês seguinte tem que compensar.
    Só assim conseguimos nos livrar das dívidas e começar a juntar dinheiro.
    Sempre que vou comprar algo eu penso muitooooo e estou numa fase de investir na minha casa pq passei mto tempo gastando em roupas e já se foram, q estão paradas e minha casa ficou em segundo (terceiro, décimos, vigésimo) plano.
    Hj fico mto mais feliz qnd compro coisas pra casa do que roupas.

    1. Ana Carolina respondeu BIANCA BEATRICE NOBREGA MANCIO

      Hahaha, é isso mesmo! É impressionante como dinheiro na mão realmente é vendaval!

  5. Silvana Aparecida da Silva comentou:

    Oi Ana! Amei este texto!
    Bom, vou falar da minha experiência com gastos em compras. Bom, pra começar, a alguns anos atrás me endividei feio com o cartão. Precisei renegociar a divida com o banco e fiquei meses pagando, isso fez com que eu me conscientizasse e não quisesse mais parcelar nada no cartão.
    Neste período, conheci o minimalismo e me desfiz de muita roupa e sapatos que não me deixavam feliz, porém fiquei super mão de vaca comigo mesma. Sou mãe e me deixei de lado e só focava no meu filho, em compras pra ele. Mas, até hoje, faço um planejamento do que falta pra ele e do que preciso comprar e separo um valor para gastar, tipo uns R$300,00.
    Estou viciada (em recuperação) em sites de lojas (AMARO e Zattini), todos os dias entrava e ficava namorando várias coisas… porém, nas ultimas 02 compras que fiz, desta vez pra mim mesma, não fui feliz, o que me faz pensar que não devo mais comprar roupas online. Sei coisas que preciso e que farão diferença no meu armário, então, vou separar o mesmo valor de R$300,00 e vou até as lojas comprar aquilo que procuro. O minimalismo, me ajudou a ser focada, não compro por modismo e nem algo que não esteja precisando. Acho também que não acessar site de lojas, só pra dar uma olhadinha nas novidades, vai me fazer ficar menos ansiosa e desejando comprar coisas impulsivamente. Não sei se ficou confuso meu depoimento, espero que não. Acredito de coração, que em se tratando do nosso dinheirinho, é melhor mesmo saber o que falta para compor nosso estilo, listar tudo e separar um valor para esses gastos. Assim, ficamos felizes com os mimos adquiridos e com nossa conta bancária em dia também.
    Beijos!

    1. Ana Carolina respondeu Silvana Aparecida da Silva

      Oi Silvana, obrigada por dividir sua experiência conosco e boa sorte pra nós nesse aprendizado constante <3

  6. Monica comentou:

    Bom, eu sou do time :”meu dinheiro é pra viajar”. Não lembro a última vez que comprei alguma peça de roupa pra mim, acho que foi em abril numa viagem de férias! Mas também não sofro não… eu “namoro” muito as peças antes de comprar, penso se combina com o que eu já tenho, se eu vou usar bastante e quando eu decido compro sem pena! Beijão

  7. Letícia Garcia comentou:

    Qual o nome desse aplicativo de controle de gastos?

    1. Rafaela respondeu Letícia Garcia

      Ai, também quero saber!!
      Vim nos comentários para ver se alguém sabia rsrs

      1. Bruna respondeu Rafaela

        Eu também rsrsrs

  8. Lúcia comentou:

    Ainda sofro com as contas, mas consegui reduzir as compras por impulso depois que instalei um app de gastos… fiquei chocada com o valor gasto com coisas que nem gostei tanto assim… reduzi muito as compras de sapatos, acessórios e makes , mas as roupas ainda tá difícil… contudo reconheço que evoluí, comprei melhor, mesmo que ainda precise comprar menos!