Em poucas linhas, sobre a Zara.

Então. Algumas meninas mandaram email e pediram minha opinião no caso Zara terceirizando fábricas que usam mão-de-obra escrava. Eu  estava com a cabeça zonza de tanto trabalho/projeto/etcs burocráticas que precisava resolver e não conseguia sentar para falar sobre. Pra ser sincera, nem queria ficar dissertando longos textos, porque muita gente já falou e é só ler as notícias: já teve Marisa, Pernambucanas, Nike e muitas outras sendo acusadas do mesmo.

Mas sobre a Zara, só quero dizer que: não acho que aquilo lá seja fast fashion, acho caro pra burro, na liquidação só vejo xepa e camisetas muito das safadas, sempre que vou experimentar algo o ziper tá descosturado ou veste mal, todas as vezes que vou lá tomo um susto com uma blusinha custando 170 reais, blá blá blá.

Ou seja: uma loja que eu tenho apenas dois itens porque eu gostei e achei o preço deles ok. Então quero que a Zara responda sim sobre esse processo do ministério público, que as marcas sejam mais rigorosas ao contratarem seus fornecedores, que repudio veementemente o posicionamento da Zara de lavar as mãos para essa questão tão grave e que a gente vá pra costureira mandar fazer nossas roupas ou pros brechós garimpar que é mais jogo.

E para denúncias de tráfico de pessoas, escravidão e para contribuir no enfrentamento de qualquer outra nojeira desse tipo, acesse o site do Projeto Trama.

Compartilhe nas redes sociais
pinterest: pinterest
tumblr:
google plus:

Comente pelo Facebook

Comentários pelo blog

36 comentários

  1. Lala Bsb comentou:

    MUITO BEM!!!
    Concordo contigo, plenamente!
    Evito essa loja pq sempre achei cara e pouco justa, agora então, ainda mais.
    Que providências sejam tomadas para que essa barbaridade de trabalho escravo e infantil seja banido da face da terra.
    VERGONHOSA a posição da Zara.
    Abç

  2. Até porque não vai ser simplesmente deixar de comprar que a situação vai se resolver.

    até mando as roupas pra costureira, mas tô preferindo investir em um curso de corte e costura (pois como são poucas boas costureiras hj em dia, elas cobram caro também!).

    Beijos

  3. Então…

    Assino embaixo!

    Há alguns anos que só tenho comprado roupa em brechós ou mandado fazer em costureira. Na verdade, meu grande sonho é aprender a fazer minhas próprias roupas tb. Coisa nova, só lingerie e sapatos! rs

    Isso não é um radicalismo, do tipo: para sempre! Mas tenho achado os preços muito absurdos, levando-se em conta a renda média da brasileira, e quando se encontra lojas com preços mais razoáveis, a qualidade deixa a desejar.

    beijão!

  4. Jenifer Barros comentou:

    Caraca, mandou – caro pra burro!

  5. Danielle Mafra comentou:

    É EXATAMENTE o que eu acho!

  6. Marina comentou:

    Adorei!!
    Costureiras já!
    E se tiver uma boa me avisa!
    Bjo!

  7. Giselle comentou:

    Nossa, em poucas linhas você disse tudo! Não tenho nada da Zara (ops, tenho um arco de penas que me custou 29, 90) e procuro comprar sempre em brechós, catar roupa da tia, namorado, comprar em feirinha. Fiz um post no meu blog: http://www.meuoxfordpurpura.blogspot.com
    Parabéns pelo post!

  8. Ísis comentou:

    Oi Ana, leio seu blog td dia a mais de ano mas nunca comentei.
    Entendi seu ponto.
    Mas acho que uma coisa dessas – escravidão – merecia algo mais elaborado (ou não se toca no assunto).
    Como assim vc ta se lixando pra Zara e fala no paragrafo anterior q é caro.
    Eu sei que vc nao kis dizer isso, mas da pra entender assim: “como eu nao compro na Zara pq é caro, que se lixe de onde vem as roupas de lá”.
    Acho q seu post merecia um paragrafo a mais expondo sua opinião melhor.
    Tá ambiguo… e depõem contra vc!
    É só uma dica, não quero q vc seja mal interpretada…
    Bjs

    1. Ana Carolina respondeu Ísis

      obrigada, Ísis. O “se lixe” foi no sentido de se darem mal e responderem processo, mas entendi a ambiguidade. Eu realmente tenho uma opinião curta e grossa sobre o assunto, não me sinto inteligente no momento (haha) para dissertar mais. Mas entendi o q vc escreveu, tá certa e agradeço o carinho do alerta. Vou esclarecer. bjs

  9. Danielle comentou:

    Aninha,
    Eu sempre gostei da Zara o que não significa que sempre compro lá. Há coisas que realmente, são mega sem vergonhas, qualidade ruim, mal feitas, mal acabadas mas há algumas coisas, básiquinhas, que confesso que compro lá…e tenho algumas !!!
    Como em qualquer loja, tem coisas que são caras pelo que são, não valem nem metade do preço mas acho que isso existe em todas as lojas, não é exclusividade da Zara.
    Acho que o lance do trabalho escravo deve ser visto com a gravidade que merece. Seja Zara, C&A, Renner enfim, as condições de trabalho (na verdade, ausência de condições ne) são absurdas e chocantes. Não consigo ter uma opinião sobre “continuar comprando lá ou não”.
    É isso !
    Beijosss

  10. Falou e disse! Zara pra mim não é nem nunca foi fast fashion… Temos que ficar ligadas e nos interessar por tudo que se relaciona com as marcas que consumimos, Zara ou não… Enfim, tema complexo…
    Bjs!

  11. Ana, como eu fui uma das que pediu a sua opinião, tenho que comentar rsrsrs
    Bem, assim como a Zara, várias outras grifes têm fechado os olhos para esta situação e se aproveitam disto!!!! Lucram infinitamente muuuuito mais!!!! A minha opinião é a seguinte: Não é porque alguém aceita viver e trabalhar em situações desumanas (independente do motivo) que isto passa a ser o certo!

    Se eu vou comprar algo na Zara agora? Não!!!!!! Assim como eu não compro na Marisa, nem nas Pernambucanas… se eu sentir alguma mudança posso voltar a comprar tranqüilamente. Se vai fazer diferença pra eles? Talvez não… mas pra minha consciência fará!

    bjs

    brechoparaquemechic@bol.com.br

  12. Poliana comentou:

    Simples, clara e objetiva.

    Até que enfim alguém dizendo que a Zara não tem nada de moda barata!!!!

    Bjkss

    1. pri respondeu Poliana

      eu concordo com a amiga acima!
      em genero, numero e grau…
      pri

    2. Eliane respondeu Poliana

      Estou muito feliz em participar pela primeira vez deste blog ainda mais a respeito da Zara. Até que enfim alguém disse algo verdadeiro e útil sobre essa loja. Nunca entendi a fascinação que as blogueiras e consumidoras demonstram por ela. Pelo menos aqui em Londres, os preços são salgados, roupas de gosto duvidoso, tecidos ruins e peças extremamente mal acabadas. Ser fashion victim inclui repetir que adora isso ou aquilo só porque alguém de renome já disse. Pobreza intelectual e gosto questionável. Parabéns a todas. Sem falar nessa questão de trabalho escravo: absolutamente podre.

  13. pri comentou:

    \o/, acho q vc ta certa ana.
    a zara tem mesmo q se lixar e se f*der pra deixar de ser besta!
    assim como as muitas outras marcas q fazem trabalho escravo no Brasil…
    tinha q ser tudo preso! arrancar ate as cuecas desse povo pra eles verem qnto é bom pra tosse!
    perdão, mas hj merece um #prontofalei
    bjo qrida!
    pri

    1. Ana Carolina respondeu pri

      Tb acho. Cambada de ridículos. E essa gente que sofreu costurando, q vida eles vão ter? Serão indenizados?

  14. Paula comentou:

    Muito bom Ana… ando vendo vários e vários blogs falando que vão continuar comprando na Zara sim, que toda loja faz isso e não dá pra boicotar tudo, ou seja, todo mundo sentadinho com sua roupinha da moda adotando a postura mais CONFORTÁVEL e conveniente (pra não falar conivente)…
    Aliás, sendo totalmente preconceituosa aqui, mas vou falar, não me surpreendo que pessoas que gastam centenas e centenas de reais numa roupinha tenham essa opinião.

  15. malu comentou:

    Ana, eu gosto da Zara, assim como gosto da C&A, Collins, Marisa, e tantas outras que estão ou já estiveram envolvidas com trabalho escravo.
    Infelizmente, o trabalho escravo existe sim! E não é só em terras brasileiras…
    Agora, a última notícia: “Análises em amostras de roupa de marcas como Adidas, Uniqlo, Calvin Klein, H&M, Abercrombie & Fitch, Lacoste, Converse e Ralph Lauren evidenciaram a utilização de produtos químicos conhecidos como nonilfenóis-etoxilados em sua fabricação”.
    Produtos esses, muito perigosos!
    Assim, fica difícil, né?
    bjs!

    1. Ana Carolina respondeu malu

      Pois é, Malu. A solução vais er nós mesmas fazermos nossas roupas, sabe? Fogo!!!

  16. Michelle comentou:

    Concordo totalmente com você Ana.
    Bjs

  17. Eliane MGS comentou:

    Eu não vou dizer que dessa água não beberei…mas farei o possível para não ser conivente com essas empresas que simplesmente adquirem suas mercadorias e repassam para nós “desconhecendo” a procedência. Mas a mídia também não pode baixar guarda pois levantam a poeira e depois deixam dissipar. Tem que ter marcação cerrada. Até agora como ficou a Marisa e outras que foram denunciadas pelo mesmo motivo?

  18. Daniela comentou:

    Concordo muito!! Nada contra quem compra lá, mas a Zara é fast fashion de rico! Os preços são absurdos, e na liquidação só tem lixo mesmo…

    1. Ana Carolina respondeu Daniela

      Claro! Nada contra ninguém que faz o que quiser com o seu dinheiro! É minha opinião: toda vez q vou lá acho caro demais pro que dizem ser!

      beijos

  19. Flavia Mello comentou:

    Concordo. Na empresa onde presto serviço eles verificam se o fornecedor recolhe todos os impostos direitinho. Eles são responsáveis também!! Espero que eles sejam sempre fiscalizados e punidos, pra ver se passam a fazer as coisas dentro da lei.

  20. Patricia comentou:

    Adorei a sua opinião é a mesma que a minha. Beijos, Patricia.

  21. Ana, é bem isso. Muito já se falou sobre diversas redes e marcas que vendem roupas fabricadas por trabalho escravo. Mas tudo parece que morre nesse país e daqui um tempo ninguém lembra de nada. Tem que haver fiscalização, educação, cultura, é um somatório de coisas para que as isso comece a mudar.
    Só li em uma das reportagens uma coisa que me chamou muito a atenção: diziam que uma costureira recebia dois reais por peça, que tinham que costurar 50 peças por dia, etc, etc. Não estou entrando aqui nos méritos do modo como esse trabalho é executado, mas gente, quanto as pessoas pensam que uma costureira ganha por peça pra costurar para as fábricas e marcas? Tenho duas tias que vivem da costura e elas nunca receberam mais que três reais a peça. Ou seja, se elas quiserem ter um ganho que possa ser chamado de decente, tem que costurar muitas horas por dia, muitas peças por dia. Ou seja, tá tudo errado…
    Bjs, tá lindo o blog!
    Cris

  22. Carla comentou:

    Também nunca entendi o fascínio que a Zara exerce sobre blogueiras, acho as roupas muito fuleiras, de acabamento ruim. São roupas no estilo da Renner, mas de pior qualidade e muito mais caras! O “encanto” talvez seja devidoà loja ter uma decoração mais bonita, que dá uma cara de glamour a camisetinhas bem chinfrim. Já comprei lá, tenho 3 peças que achei legais e a um preço decente, mas foi uma odisséia achar algo que não estivesse com a costura torta…
    Como pessoa ciente do meu poder de consumidora, entre outras tantas marcas com atitudes desumanas visando lucro, a Zara nunca mais vai ver a cor do meu dinheirinho suado!
    Cabe também prestar atenção aos produtos feitos na China/Índia, no geral à custa da escravidão até de crianças e adolescentes.

    Bjos

  23. jota c. comentou:

    Adoraria parar de comprar uma roupa por saber que a mesma usa mão de obra escrava,mas isso seria impossível porque todas as marcas ou a maioria exploram a mão de obra.Minha mãe é costureira e por muitos anos trabalhou em casa ,sem carteira asssinada,sem 13 ,sem finais de semana ,sem domingoooo!,sem férias ,se acidentou levando uma sacola de roupas de mais de 40 kilos para fábrica,quebrou fraturou a perna e ficou meses em casa sem receber nada!As marcas contratam facções e essas facções contratam costureiras externas ,pagando preços miseráeis ,as vezes menos de 1 real ,sem dar a essa pessoas seus direitos trabalhistas ,direitos humanos.Entre elas podemos citar C&A ,Osklen ,Cantão …é o sistema delas ,faturar em cima da exploração do povo.Infelizmente caminhamos para uma era sem costureira,pois nenhuma menina quer trabalhar mais nisso ,é um serviço arduo ,ganha pouco e não tem direitos!Quem sofrerá com isso somos nós consumidores porque as roupas ficarão cada vez mais caras!
    Abrçs!

  24. giselemoraze comentou:

    Olá,

    Concordo plenamente! Que bom ver que tem gente não alienada no mundo da moda! 🙂
    Aliás, estou apaixonada pelo site/blog!

    Um bjo,
    Gisele.

  25. Martina comentou:

    A Zara não é barata. A Zara não é chique. A Zara não é fast fashion.

    1) R$ 170, 00 não é promoção para mim. Concordo³ contigo mil vezes.
    2) Trabalho escravo é tão chique para mim quanto matar um animal silvestre e em extinção para ostentar um pelerine. Ou seja: uuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuó.
    3) Fast Fashion para mim é loja que vende roupas da moda por menos que R$ 50,00. Ou seja: genuinamente, podemos contar nos dedos! hahaha

    E é isso. Sabe o que é ser chique? Ser autêntica e se vestir bem, bonita e o mais barato possível. Touchè! Ponto para ti, novamente. Big beijo!

    1. Martina respondeu Martina

      E mil desculpas porque eu estraguei o layout do site! ‘-‘

  26. gil sóter comentou:

    e quanto a CeA e Marisa que tb foram acusadas?
    diante de um caso desses, é cômodo dizer que “ah, eu nem gosto mesmo dessa marca…”. só que esse episódio deve nos faze refletir sobre nossa responsabilidade como consumidores. não dá para continuar comprando e ignorando todo o funcionamento inescrupuloso, por vezes, que move essas indústrias poderosas.
    CeA e Marisa também estão envolvidas nesse caso, e este site, assim como tantas milhares e milhares e brasileiras, adoram essas lojas. e agora, josé? dá para fazer de conta que isso também não nos atinge, que não temos nada a ver isso?
    Confiram: http://www.reporterbrasil.com.br/exibe.php?id=1714

    1. Ana Carolina respondeu gil sóter

      Ué, eu tanto sei que escrevi Marisa no post, vc leu? E não estou falando de comodidade e nem de ignorar nada. O lance é sério sim, mas me diga uma coisa: e vc, o que está fazendo para mudar isso? Seria bacana dividir com as leitoras, assim todas nós poderemos fazer algo a mais! bjs