O que foi barato e o que é caro

Sempre que apresento meu blog a uma pessoa que não conhece, eu falo de moda acessível e possível – que é bem diferente do objetivo inicial dele. Como eu digo hoje em dia nas palestras e aqui, o foco amadureceu, foi para um lado em que comprar quantidade só pelo preço nem sempre é uma boa escolha, que aquisições podem ser investimentos

Mas já ouvi muito as pessoas responderem assim: “Ah, essa é a moça do blog que só usa fast fashion, que só usa roupas bem baratinhas”.

Não estou dizendo que isso é ofensivo, muito pelo contrário, mas tento mostrar que foi por água abaixo associar moda possível exclusivamente com fast fashion, ou alguém aqui tem dinheiro pra pagar o que estão pedindo nessas coleções? Tá osso! hahaha. Até onde eu tinha dinheiro pra comprar está cada vez mais distante!

Tudo se resume a encontrar o caminho do meio na vida e aplicar isso ao vestir e não dar bola para julgamentos, porque eles vão existir. Às vezes vejo as pessoas presas nesses conceitos, muito em parte por acreditarem que elas não ~merecem~ melhor que aquilo, ou que não faz parte do seu universo. Ninguém tem que fazer aloka e entrar na Chanel, hahahaha, mas sabem aquela história de não ter medo de entrar nas lojas? O processo começa dentro da gente, quando conhecemos mais outras possibilidades, podemos fazer escolhas mais flexíveis, tangibilizarmos investimentos, comprar aquilo que representa quem nós somos!

calca-estampada-2

Usei esse look de hoje na segunda para encontrar amigas para um café e percebi que eu estava vestida de marcas que estão há quilômetros da realidade do meu bolso e – olha que coisa boa! – paguei bem barato por elas. Na verdade, eu procuro vestir apenas o que me representa, o que diz muito de quem eu sou de dentro pra fora. Senão você vira um cabide de labels vazias, cópias descaradas de um desejo que não pertence a você.

Este blog é uma prova de que, com olhar atento, coração e mente abertos e muita paciência, conseguimos aos poucos perceber nossas possibilidades e adequar os desejos. E isso diz respeito a quem nós somos e que evoluímos naturalmente ao longo das nossas vidas.

E foi assim com esse look de hoje: estou vestindo marcas que não cabem no meu bolso, hehe, mas que custaram mais barato que o torra-torra do meu bairro, hahaha! Brincadeira, mas eu não imaginava pagar  nem 60 reais por uma calça toda de linho da Richards. Ou ter uma bolsa de couro sem deixar um rim em troca. Ou arrematar uma jaqueta jeans Levi’s sem fazer dívida no cartão.

Tudo veio ao seu tempo, no momento em que abri meu armário e desapeguei de mais e mais peças que não me preenchiam, escolhas equivocadas ou que já tinham tido seu tempo comigo. Não me deixei levar pelos desejos e aquisições dos outros, mas sim pelo que eu, Ana, gosto e quero pra mim!

Essas escolhas independem de marcas, de etiquetas presas na roupa ou no super valor que colocam em algumas coisas. Isso vai de encontro à você essencialmente.

Diz mais sobre a coragem de ter um olhar generoso sobre si mesmo e isso se refletir nas suas roupas. Que moda possível nem sempre é o caminho mais fácil (ou não é moleza entrar na loja, pedir a roupa do lookbook completa e passar o cartão?), mas fala muito sobre vencer barreiras, pequenas e valiosas conquistas pessoais e um processo de respeito e autoconhecimento. 🙂

calca-estampada-6

calca-estampada-5

Dedinhos rosa-porquinho, rs!
calca-estampada-3

calca-estampada

T-shirt Zara no Enjoei – 22 reais
Calça de linho Richards no Top Fashion Bazar – 58,00
Jaqueta Levi’s no Mercado Livre – 85,00
Rasteira AD no Top fashion Bazar – 69,00
Bolsa Osklen comprada no bazar da marca – 300,00 em 3X
óculos ZeroUV – 9,90 dólares
Colar Lita Raies – 90,00

fotos: Isabella Mello (clique nelas para ver os detalhes)

Ah, e sobre o look: uma mistureba de estilos que deu certo e me deixou confortável pra sentar e papear um dia inteiro. 🙂

Compartilhe nas redes sociais
pinterest: pinterest
tumblr:
google plus:

Comente pelo Facebook

Comentários pelo blog

10 comentários

  1. Camila Oliveira comentou:

    Tu e esses textos de reflexão maravilhosos! 🙂
    Desde que entrei e conheci o HVAO aprendi tanta coisa contigo e tu deve tá cansada de ler isso quando escrevo.
    É tão bom saber que nosso estilo independe de peças caras e marcas, de peças baratas ou compras na liqui, como bem disse é olhar com amor pra cada peça e saber se ela combina com o seu estilo ou não e transpareça que és.
    Esse look tá maravilhoso e essa calça é amor puro.
    Vai poder abusar pra chuchu agora no verão \õ/ 😀

    Beijocas

  2. Flavinha Nobre comentou:

    Oi Ana,
    Eu te acompanho há séculos, desde sei lá quando (risos) e você foi uma das fontes que mudou a minha maneira de me vestir. Quando te descobri, eu vivia na feirinha, nos bazares (Babilonia, O Mercado…) e tinha muito preconceito com as Fast Fashions. Assim, conforme fui te acompanhando fui perdendo o preconceito e virei mega fã, com o que venho aprendendo com você, hoje em dia toda vez que eu saio ouço um elogio de uma amiga. E estou evoluindo com você e com seu gosto.

    Assim, como aconteceu com você, com escolhas erradas, também acontece comigo. E, da mesma maneira, a mudança de pensamento também. Não tenho mais tremeliques só porque a etiqueta está vermelha ou laranja. Claro que continuo sendo “A Rainha dos Achadinhos” dentre minhas amigas (mérito da Mestra, Ana Soares!), mas hoje entendo melhor o valor de uma boa peça e prefiro pagar mais para ter algo de qualidade . Esse “a mais” nem é tão maior assim, pois apendi com meus desapegos de armário que essas “roupinhas baratinhas” saem caro pois quase não as uso e logo elas vão para doação.

    E, para mim, antes de looks do dia e fashionismos fabricados, aqui eu acho que a gente aprende a andar com as próprias pernas. Você nos mune de conhecimento para que consigamos pensar por nós mesmas. E creio que assim como eu, várias outras meninas que te seguem desde o início vêm aprendendo junto com você.

    Então, saiba que a variação no foco do blog vem acompanhando a evolução de suas leitoras. Somos o reflexo do que aprendemos aqui. E sabemos que você “é gente como a gente” e que não traz nada de irreal , de algo que a gente nunca vai alcançar.

    Esse, para mim é o grande valor do Hoje vou Assim Off e é o que há anos me faz entrar aqui diariamente.

    E já ia me esquecendo. Outro ponto positivo seu: Você não tem medo de críticas. Prova disto é que os comentários não dependem de aprovação. Isso é coragem, desprendimento e, acima de tudo, confiança nas suas leitoras. Mais um ponto para você!!

    Em tempo: AMEI esse look! Acho calça estampada assim o máximo! Sua mistura de cores está muito motivante! E assim que der, vou comprar uma jaqueta destas pra mim! rs rs rsrs

    Em tempo 2: Um dia vamos combinar com a Dany uma cervejinha lá na Vila dela! Estou doida para te conhecer pessoalmente! ahahahhahahahahahahah

    Bjão

  3. Marcella comentou:

    Como eh dificil desapegar das escolhas erradas, ne? Tenho tanta coisa que devia sair mas e a coragem de revirar tudo? Acho que devia te contratar de novo……rs
    Adorei o texto! Amei o colar!! 🙂 bjao,

  4. Cynthia de Sozua comentou:

    Sou dessas que tem receio de entrar em algumas lojas devido ao olhar fulminante das vendedoras. Primeiro porque parecem não precisar vender devido a postura tão arrogante que adotam. Segundo pelo pouco caso com quem não aparece na loja grifada da cabeça aos pés. Não gosto mesmo.
    Adorei seu texto.

  5. Fernanda comentou:

    Ana, você é incrível. Nao tenho muito oque falar, mas nao tem ideia do quanto me ajuda com essa percepção e esse tato de me fazer entender oque me fará bem e feliz sem acabar com o cartão de credito. Isso me inspira! Parabéns.

  6. Natany comentou:

    Amei o look, Ana. Como sempre vc arrasa. Confesso que amo essa nova fase do blog de compra consciente, – quantidade + qualidade. Mas também preciso confessar que tenho um bloqueio ENORME para entrar em lojas de marca. Sempre acho que vão lançar aquele olhar pra mim de: Filha, vc não tem dinheiro p/ comprar aqui nem a pau! rsrsrs
    Quem sabe um dia perco o medo! Bjs

    1. Ana Carolina respondeu Natany

      hahaha, que nada, eu Não tenho grana e entro! Respondo com um sorriso sempre, isso desarma 🙂

  7. Ramps comentou:

    Adoro seus achados e suas misturas “high low”. Procurando dá para encontrar itens bons com preços acessíveis. Pensei muito nesse fds quando fui no Outlet de Campinas (na verdade não é em Campinas, acho que é em Vinhedo, fica em frente ao Hopi Hari). Algumas coisas valeram MUITO a pena, outras nem tanto. Não sei se para quem mora no Rio compensa, mas quando tiver que atravessar a Dutra vale a visita.
    beijos!!

  8. Rose comentou:

    Ana, estou avisando: se você passar por mim com essa calça, vai ficar pelada no Conde de Bonfim,rs.

    1. Ana Carolina respondeu Rose

      hahahahaha, vou ficar esperta, rs