As roupas que sorriem

Das combinações preferidas de todas é essa a do look de hoje: vestidinho, camisa jeans e oxford. Ainda hei de descobrir casamento mais gostoso que esse no meu guarda-roupa, principalmente quando estou sem ideias. Bem como escrevi no post de hoje mais cedo, adoro misturar elementos, principalmente femininos e masculinos, sai do comum, diz muito sobre quem eu sou! 🙂

Tem roupas que nos representam completamente: é essa a minha relação com esse vestido. A forma assimétrica, o desenho e as cores da estampa, os detalhes em ~madeira~ bordados – eu revelo a minha alma quando o visto. Eu me percebo através dele, como se a alegria que insiste em ser latente saísse e fosse uma extensão do que sou por dentro. E não é papo furado, não, eu estava mal humorada nesse momento e ao ver a foto do look, eu sorri. 🙂

vestido curto assimétrico com estampas de triângulos rosas, amarelos, azuis, verde-água e fundo pêssego, oxford rosa claro, bolsa laranja e camisa jeans black

vestido-blusa

vestido-blusa-4

vestido-blusa-3

vestido-blusa-2

Vestido Cantão antigo
Camisa Miss Zaide – armário da mãe
Oxford Maria Filó – 54,00
Bolsa Osklen comprada em bazar da marca – 300,00 em 3x
Anel e brincos Sobral – 50,00 cada
Relógio Casio Vintage que ganhei da marca

fotos: mãe

É essa a relação que eu tenho com as minhas roupas: elas não estão ali para complicar, camuflar ou fazer volume. Elas transformam meu humor, exalam as bonitezas que às vezes não percebo no dia, não me protegem, mas me revelam parcial ou totalmente. Gosto desses significados em forma de tecidos e materiais, dessa riqueza de detalhes e histórias contados em bordados e padronagens.

Comunicação não-verbal da gente com o mundo que enche meus olhos! 🙂

Compartilhe nas redes sociais
pinterest: pinterest
tumblr:
google plus: