Semana 10 anos: análise dos looks 2008-2011

Não tinha como não começar a série de postagens sem escrever da principal mudança ao longo dessa década: meu estilo. Aliás, não gosto de dizer mudança, porque parece que eu transformei completamente meu vestir. Prefiro dizer que aperfeiçoei, que identifiquei o que realmente fazia parte da minha personalidade e características físicas, além do estilo de vida, para replicar essas informações em forma de cores, estampas e formas, na minha identidade visual. 🙂
São quase mil looks (!!!!!), então não deu pra catar todos, nem lembro de todos, na real, haha! Mas tentei ao máximo pontuar alguns para mostrar essa evolução e como podemos pescar mais de quem nós somos, essencialmente. 🙂

Contextualizando a época:

A Ana de 28/29 anos não tinha, definitivamente, o olhar estético da Ana de 39 – e aí viva a maturidade, o autoconhecimento e a evolução das referências – hoje temos muito mais variedade de mulheres mostrando seus estilos nas redes e mais canais de inspiração.
Eu já identificava muita coisa boa em moda, sempre fui bem abusada e entrava nas lojas de roupas bacanas atrás da parte OFF, observando qualidade e acabamento. Foi nessa época que fui morar sozinha, pegava muitos freelas de design e, assim, comecei a gastar mais meu dinheiro com roupas.
O que eu ainda não compreendia bem é que eu não precisava ter tanto e nem mais do mesmo. Também era viciadinha em comprar coisas baratinhas para mostrar no blog e também pra achar que estava me dando bem: ficava ainda muito presa ao conceito do achadinho do que do custo x benefício. Era um momento em que a moda também andava bebem fofucha, estilinho romântico e vintage, com cores pastel, rendas, manguinhas bufantes, vestidinhos godê, saia rodada, estampas miudinhas, oxfords com detalhes ultra femininos…nada a ver comigo, mas né, a gente via, queria usar também.
Eu também fazia umas poses doidas e era bem caricata, pintava o cabelo com casting da farmácia e cada hora ele estava com uma cor, hahaha!
E como recordar é viver – e também é morrer de rir, hahaha – vamos a alguns looks retrôs!
Esse vestido no look de 2011 nem era dos piores porque pelo menos o fundo dele era escuro, menos fofinho – mas eu não tinha nada a ver com essa estampa liberty e esses acessórios delicados.
070720104
Em 2009, quando eu ainda fotografava da minha casa antiga, haha, bem no improviso, e eu nem usava maquiagem. A saia tinha uma estrutura e eu usaria de novo, mas obviamente não com esse conjunto de salto vermelho e regata.
190120112
Essa saia também ganhei, isso em 2010, e, mais uma vez, nada a ver comigo essa estampa miúda de inspiração romântica. Ainda tentei uma mistura de estampas, mas a blusa também tinha esse franzido nas mangas, mais romantismo + colar fofo. A sapatilha salvava com seu bico mais afinada e tachas, mais na pegada do meu estilo mesmo.
05112010
Também adorava algo diferentão, queria impactar mas não entendia ainda como. Aí inventava umas misturas loucas, hahaha, comprava peças até interessantes, mas que, na real, ficavam soltas no meu armário, porque a base do guarda roupa ainda estava muito distante do que eu precisava mesmo.

ana-antiga
Menina demais, cores lavadas demais

Usava MUITO o que me davam, tentava adaptar ao meu estilo, mas não rolava. Também pegava muita roupa doada da família, o que deixava o armário lotado, mas lotado de peças meio nada a ver, como vestidos de malha longos com estampas aleatórias, rs.

Looks mais próximos do meu estilo atual

As próximas fotos já mostram mais o estilo que tenta equilibrar essas fofices com algum peso, seja num tecido mais estruturado, seja numa outra peça menos levinha ou de cores mais fortes, coordenada com o restante do look, sem tantas firulas.
Em 2010, com um short da coleção da maria bonita extra para a C&A e eu já misturava as cores de forma bacana, viva o olhar de designer! hahaha!
hva off
Em 2011, com peças já mais próximas do meu estilo, mais dramáticas/arquitetônicas/geométricas. Só que eu evito malha porque é um tecido mais “desabadinho”, o que me deixa meio desmilinguida, sem ombros, hahaha!
ana 4
Esse é outro look que não desgosto, usei muito esse vestido que, apesar de ter renda, era mais diferentão. Eu adorava também esse blazer curtinho da coleção da maria bonita extra para C&A, mas gente, ainda tô muito romântica nos detalhes, como no colar, ombros bufantes, sapatilha rosê e de bico redondo.
ana hvaoff
Olhem aí mais exemplos com o mesmo vestido, só que com uma jaqueta metalizada, mais atitude! O mesmo blazerzito tentando salvar a saia que comprei numa promoção e não conseguia usar de jeito nenhum, hahaha! Essas fotos são de 2011 e eu tirava no trabalho, por isso essas tinham esse paredão de concreto, bem no prédio da Prefeitura do Rio, o famoso Piranhão. 🙂
ana-soares-retro
Nesses looks com o mesmo short, da Isabela Capeto, comprado num bazar. Nessas, eu gosto muito dos das blusas cinza e amarelo – com este eu fui num dos meus primeiros Fashion Rio, aliás! Só trocaria as bolsas e os acessórios. As fotos são de 2011.
IMG_9266
Esses também são de 2011 e eu usaria todos  os dois exatamente assim hoje em dia! Ainda tenho a camisa branca, a bota e o trench coat da coleção da Stella McCartney para C&A. Em ambos o contraste alto do preto e branco valoriza o meu contraste pessoal, além de serem cores da minha cartela.
Também já trazem mais desse peso e estrutura que eu tanto busco nas peças que eu amo e uso agora.
ana-2011
Esse é de 2009 e, sinceramente, não acho tão ruim. Não usaria de novo, mas gosto da pegada mais roqueirinha, com atitude mais forte, cores que me favorecem e mix de texturas.
ana-soares-2009
Ainda em 2009, OLHEM ESSA ANA BEBÊ HAHAHAHAHAHAHAHAH
Além de magricelinha (prefiro bem mais meu manequim hoje), eu estava com essas luzes douradas e equivocadas no cabelo, me deixando apagada, rs! Mas vamos focar no look: eu gosto, heim? Usaria, acho que só trocaria essa meia calça e sapatilha por um tênis. Adoro as cores, o grafismo da saia, a proposta com a camiseta. 🙂
28-07-20093
Look de 2008, minha gente, logo após o nascimento do blog!
Eu adorava esse vestido de elanca, se não me engano era da Sandpiper. Já bem mais no estilo minimalista, formas limpas e mais armadas! Só trocaria todos os acessórios, deixando sem cinto, acrescentaria um brincão e qualquer outro sapato e bolsa menos caretas, hehe!
ana_carolina 2 copy
Look de 2010 e 2011, respectivamente: mais uma vez, estrutura com acessórios mais contemporâneos – olha meu scarpin de peixe ali! Ainda tenho os sapatos, a calça e a blusa, acreditam? hahaha!
ana-2011-2
Looks de 2011, com o mesmo conceito. Usaria ambos da mesma forma, ainda tenho as sapatilhas (!!!!!!), a camisa e a calça! E eu AMAVA essa jaqueta, pena que ela já se desfez :,(
ana-2011-3
Nos próximos posts eu vou falar dessa percepção de 2012-2015!

Posts em que falo sobre a minha evolução do estilo pessoal

Nesses posts eu relato mais como foi chegar até o estilo que abracei hoje, de como me identifico muito mais com meu guarda roupa, cessando, assim, a necessidade de comprar e de lotar o armário com peças nada a ver. Tem mais fotos neles e análises bem bacanas!
Ideias para descobrir nosso estilo pessoal
Limpezas nas ideias, no armário e no estilo de vida
A estética minimalista me salvou do consumismo
Ainda na estética minimalista

Compartilhe nas redes sociais
pinterest: pinterest
tumblr:
google plus:

Comente pelo Facebook

Comentários pelo blog

18 comentários

  1. Ana Paula Monteiro comentou:

    Você sempre foi estilosérrima, mesmo quando fora do seu estilo verdadeiro e atual rsrs preciso dizer que seu cabelo contribui muito para isso! O seu cabelo sozinho faz verão!

  2. Ana Paula Monteiro comentou:

    Você sempre foi estilosérrima, mesmo quando fora do seu estilo verdadeiro e atual rsrs preciso dizer que seu cabelo contribui muito para isso! O seu cabelo sozinho faz verão!

  3. Ana comentou:

    Oi, Ana. Gostei muito desse post. Estou passando por um período de descoberta também sobre o que me veste melhor. Tenho muita coisa, e muita coisa que talvez já nem me serve mais, porém não consigo desapegar (mas estou no processo para conseguir). Esse apego talvez seja porque saí da casa dos 20 anos e cheguei na casa dos 30 anos… talvez eu inconscientemente não tenha assimilado isso ainda… é um desabafo, como se eu não quisesse largar a menina de 20 anos que fui… eu sei que estou errada. Mas não tem sido fácil essa aceitação. Como se guardando essas roupas eu fosse segurar quem fui um dia. Eu quero aceitar minha nova idade, meu novo corpo, pois já não sou mais tão magrinha, mas também sou bonita ainda, porque me dizem isso, eu que não consegui aceitar ainda. Fico nessa contradição, mas quero melhorar e ficar bonita como sou hoje, com o cabelo de hoje, o corpo de hoje, as roupas que me favorecem. E esse blog me ajuda.

    1. Shamya respondeu Ana

      Oie… meu bem, eu tenho 45 anos e foi bem difícil sair dos 30 para os 40. Morria de medo de vestir roupas que as pessoas julgassem não ser da minha idade.Não tava me entendendo… sei saber ao certo: mulheres de 40 vestem isso mesmo? Pode??
      Com o tempo a gente vai se entendendo melhor… toda passagem de idade, falando das décadas, é complicado mesmo. Você não está sozinha nessa. Vai passar… logo você vai se ver melhor nessa nova fase e vai encontrar a melhor forma de se sentir a vontade dentro dessa nova você.
      Tamu junta, parça!!!!
      Bjão

      1. Ana respondeu Shamya

        Obrigada pelo apoio. Vou me encontrar!!

      2. Ana Carolina respondeu Shamya

        Estamos juntas! <3 Mas quando a gente finalmente se encontra...é lindo!

  4. Ana comentou:

    Oi, Ana. Gostei muito desse post. Estou passando por um período de descoberta também sobre o que me veste melhor. Tenho muita coisa, e muita coisa que talvez já nem me serve mais, porém não consigo desapegar (mas estou no processo para conseguir). Esse apego talvez seja porque saí da casa dos 20 anos e cheguei na casa dos 30 anos… talvez eu inconscientemente não tenha assimilado isso ainda… é um desabafo, como se eu não quisesse largar a menina de 20 anos que fui… eu sei que estou errada. Mas não tem sido fácil essa aceitação. Como se guardando essas roupas eu fosse segurar quem fui um dia. Eu quero aceitar minha nova idade, meu novo corpo, pois já não sou mais tão magrinha, mas também sou bonita ainda, porque me dizem isso, eu que não consegui aceitar ainda. Fico nessa contradição, mas quero melhorar e ficar bonita como sou hoje, com o cabelo de hoje, o corpo de hoje, as roupas que me favorecem. E esse blog me ajuda.

    1. Shamya respondeu Ana

      Oie… meu bem, eu tenho 45 anos e foi bem difícil sair dos 30 para os 40. Morria de medo de vestir roupas que as pessoas julgassem não ser da minha idade.Não tava me entendendo… sei saber ao certo: mulheres de 40 vestem isso mesmo? Pode??
      Com o tempo a gente vai se entendendo melhor… toda passagem de idade, falando das décadas, é complicado mesmo. Você não está sozinha nessa. Vai passar… logo você vai se ver melhor nessa nova fase e vai encontrar a melhor forma de se sentir a vontade dentro dessa nova você.
      Tamu junta, parça!!!!
      Bjão

      1. Ana respondeu Shamya

        Obrigada pelo apoio. Vou me encontrar!!

      2. Ana Carolina respondeu Shamya

        Estamos juntas! <3 Mas quando a gente finalmente se encontra...é lindo!

  5. Natália comentou:

    A Ana roqueira de 2009 é a própria Natasha da Vagabanda!

    1. Bruna respondeu Natália

      Hahahahah morri com essa. Parece mesmo!

  6. Natália comentou:

    A Ana roqueira de 2009 é a própria Natasha da Vagabanda!

    1. Bruna respondeu Natália

      Hahahahah morri com essa. Parece mesmo!

  7. Carolina comentou:

    Ana, pode parecer meio maluco, mas caiu minha ficha do que preciso mudar no meu estilo ao ler seu post! Antes eu AMAVA coisas retrô, mas agora eu tou me identificando com roupas mais estruturadas e sóbrias. Com certeza essa leitura me deu uma luz sobre o que eu preciso mudar no meu guarda-roupa. Muito obrigada por compartilhar seu olhar com outras pessoas – inclusive comigo! ♥

  8. Carolina comentou:

    Ana, pode parecer meio maluco, mas caiu minha ficha do que preciso mudar no meu estilo ao ler seu post! Antes eu AMAVA coisas retrô, mas agora eu tou me identificando com roupas mais estruturadas e sóbrias. Com certeza essa leitura me deu uma luz sobre o que eu preciso mudar no meu guarda-roupa. Muito obrigada por compartilhar seu olhar com outras pessoas – inclusive comigo! ♥

  9. Bianca Pires comentou:

    Acompanho você faz tempo, mas não desde esse mega primórdio. Que interessante te ver com esses looks românticos – e como realmente não enxergo a Ana ali! Realmente, é só com muita reflexão e auto conhecimento que a gente vai se descobrindo. E, claro, ajuda de pessoas como você que já estão alguns passos na frente nessa caminhada, nos servindo de inspiração! Eu adoro ler o que você escreve, são reflexões muito ricas.
    Eu vi no seu Stories sobre essa pegada de posts especiais dos 10 anos e sobre prestigiar esse veiculo aqui, onde você gasta seu tempo pensando em como transmitir sua mensagem pra gente pelas palavras. Não é fácil escrever. Eu hoje trabalho no marketing na empresa onde trabalho, e muitas vezes me vejo perdendo horas para fazer um e-mail caprichado, por exemplo.
    Por isso aquele apelo mexeu comigo.
    Hoje com esse vicio da imagem e do stories a gente não quer mais “perder tempo lendo”.
    Por isso que vim aqui, ler, interagir e repetir que celebrar seu trabalho é um prazer!

  10. Bianca Pires comentou:

    Acompanho você faz tempo, mas não desde esse mega primórdio. Que interessante te ver com esses looks românticos – e como realmente não enxergo a Ana ali! Realmente, é só com muita reflexão e auto conhecimento que a gente vai se descobrindo. E, claro, ajuda de pessoas como você que já estão alguns passos na frente nessa caminhada, nos servindo de inspiração! Eu adoro ler o que você escreve, são reflexões muito ricas.
    Eu vi no seu Stories sobre essa pegada de posts especiais dos 10 anos e sobre prestigiar esse veiculo aqui, onde você gasta seu tempo pensando em como transmitir sua mensagem pra gente pelas palavras. Não é fácil escrever. Eu hoje trabalho no marketing na empresa onde trabalho, e muitas vezes me vejo perdendo horas para fazer um e-mail caprichado, por exemplo.
    Por isso aquele apelo mexeu comigo.
    Hoje com esse vicio da imagem e do stories a gente não quer mais “perder tempo lendo”.
    Por isso que vim aqui, ler, interagir e repetir que celebrar seu trabalho é um prazer!