Organizando para 2019: como tenho feito

Fiquei de mostrar aqui o desapego da sapateira, mas acho que ainda falta muita coisa para apresentar algo bacana pra vocês. Mas tem sido muito bom compartilhar como estou nesse processo de aliar comprar menos + desapegar mais.
Hoje mesmo me mandaram uma mensagem no instagram pedindo que eu desse a dica de ouro para que todos os excessos sumissem, como num passe de mágica; a pessoa tinha sido consumista por anos e anos, e agora, por mais que se desfaça de muita coisa, ainda tem um moooooonte de roupas e sapatos acumulados, o que tem deixado ela agoniada. Cara, não tem o que fazer, as coisas não apareceram lá da noite pro dia e acho até o processo de tirar tudo de uma vez um pouco desastroso e precipitado.
A não ser que a criatura vire nômade e faça um bazar vendendo geral, num exercício de desapego louvável, acho tenso sair se livrando de tanta coisa em pouco tempo, porque é transferir o problema para outros lugares. É melhor estudar para onde as roupas sem uso irão, entender que existem consequências de assumirmos levarmos algo pra casa. Eu mesma estou nessa luta há anos, mas estou bem satisfeita com o saldo de 2018.
Eu já cheguei a gastar mais de R$2 mil em um brechó, há dois anos. Tudo bem que trouxe muita roupa boa e incrível comigo, mas outras foram muito desnecessárias. Aliás, eu achava que precisava SEMPRE garimpar todo mês alguma coisa incrível. Por isso comprar em brechós, apesar de sustentável, pode ser um desastre se não tivermos autocontrole.
sapatos-ana-soares
Voltando ao tema, a Rafa Duarte, minha organizadora profissional, vai vir aqui em casa depois das festas para encontrarmos uma solução pra sapateira que, alie parte estética com aproveitamento de espaço e conservação – porque quando empilhamos os sapatos, acabamos estragando mais eles e sujando também. Vamos investir em produtos organizadores, mas, antes, quero tirar mais pares dali, reduzindo em 40% o volume.
O problema é que muitos pares eu usei, usei, usei, mas nunca se acabavam. Aí eu ficava com dó de me desfazer. 🙁

Separei os sapatos que dei, assim:

– Os pares gastos, mas que ainda eram usáveis, assim como aqueles que ainda estão em ótimo estado ou novinhos, foram para entidades que ajudam população de rua;
– Os em péssimo estado, eu, sinceramente, não sei o que fazer. Existe algum descarte de sapatos? Normalmente eu contrato os serviços da Ecoassist, empresa que você paga para recolherem e descartaram corretamente lixo e objetos.

Os sapatos que ficaram eu fiz assim:

– Separei os que precisavam limpar ou levar na lavanderia para este serviço;
– Separei os que precisavam de conserto para o sapateiro;
– Os que não usei mas quero tentar ainda, ficarão em prateleiras superiores para que sejam lembrados;
– Também aproveitei para hidratar o couro deles
– Observei quais não uso há muito tempo. Assim, se continuarem sem uso, sairão do armário. Dá para montar uma planilha com essas informações, se você for muito organizada.
 
Me comprometi a não comprar sapatos novos durante esse processo de organização da sapateira. Mesmo que eu traga um e tire outro, vou continuar com a mesma quantidade de sapatos, e eu não quero isso.

Para o armário

Vou mostrar pra vocês como tem sido para o guarda roupa. Eu engordei, então não estou cabendo em boa parte do armário, por incrível que pareça. Ainda tenho bastante coisa, mas, tirando meu acervo de peças que uso em editoriais, tenho redescoberto outras que estão me ajudando muito nessa fase, como as peças de elástico, que não apertam a minha barriga.
– As que estão longe de servir, mas eu uso e gosto, separei em packs para que não fiquem ocupando espaço;
– Tirei MUITA camisa de poliéster. Ainda tenho e gosto de roupas nesse material, mas camisas de botão não fazem mais tanto o meu estilo, por isso manterei poucas e boas;
– Separei uma bolsa só com as roupas que tenho que levar para ajustar ou pregar um botão;
– Observei com afinco as roupas que estão guardadas há muito tempo para lavá-las (é bom para manter a fibra) ou mandá-las para lavanderia;
– Retirei do armário todas as que não tem mais a ver com meu estilo, em definitivo.
– Uma dica boa de uma leitora é organizar mais a parte de verão nessa época, para não tirar no impulso alguma peça que você vá usar depois. Eu só tirei as que eu não usei MESMO, em anos.
Essa revisão é maravilhosa e necessária ser feita de tempos em tempos. Estive em SP para dar um workshop e levei uma sandália que acabou arrebentando, uma calça cujo botão soltou e uma blusa de tricô que estava manchada e eu não vi.

Vestidos problemáticos

Ainda vou compartilhar mais desse processo, mas preciso dizer que, mais do que nunca, estou em crise com meus vestidos. Tem vários que não amo e não uso, mas na hora de tirar de lá de dentro, eu titubeio. Vou mostrar para vocês essa semana o que concluí dessa parte.

É, ter muita roupa dá trabalho. Antigamente o pessoal até dedicava muito tempo para, mas nos tempos de hoje, é muito surreal escrever sobre, porque me dá a real noção do TEMPO e DINHEIRO gastos não só na compra, mas na manutenção e organização de tanta coisa. BI-ZAR-RO.

Compartilhe nas redes sociais
pinterest: pinterest
tumblr:
google plus:

Comente pelo Facebook

Comentários pelo blog

14 comentários

  1. anne comentou:

    vestidos são muito difíceis! eu sempre penso: será que se eu doar, realmente alguém vai usar? penso que geralmente quem precisa de roupas, precisa de mais peças para usar no dia-a-dia e não um vestido, seja de festa, ou curto, com brilho etc. mas tava lendo os comentários do post anterior e uma das meninas comentou de doar essas peças também – afinal, quem não tem dinheiro pra comprar roupas pro dia-a-dia também não vai ter pra essas outras peças, né? boa reflexão mesmo, vale um post! voltando nos sapatos, concordo que seria bacana achar um lugar que fizesse o reaproveitamento ou descarte correto. porque tem sapatos que já estão tão gastos que não dá pra doar, e aí onde eles vão parar, né? enfim, só tenho mesmo que concordar: quanto mais roupa, mais trabalho pra administrar essas roupas vc tem, por isso a gente tem que refletir muito antes de comprar, sobre o tempo que vai demandar ter aquela peça, ajustar, se for necessário, e depois como descartar corretamente.

  2. anne comentou:

    vestidos são muito difíceis! eu sempre penso: será que se eu doar, realmente alguém vai usar? penso que geralmente quem precisa de roupas, precisa de mais peças para usar no dia-a-dia e não um vestido, seja de festa, ou curto, com brilho etc. mas tava lendo os comentários do post anterior e uma das meninas comentou de doar essas peças também – afinal, quem não tem dinheiro pra comprar roupas pro dia-a-dia também não vai ter pra essas outras peças, né? boa reflexão mesmo, vale um post! voltando nos sapatos, concordo que seria bacana achar um lugar que fizesse o reaproveitamento ou descarte correto. porque tem sapatos que já estão tão gastos que não dá pra doar, e aí onde eles vão parar, né? enfim, só tenho mesmo que concordar: quanto mais roupa, mais trabalho pra administrar essas roupas vc tem, por isso a gente tem que refletir muito antes de comprar, sobre o tempo que vai demandar ter aquela peça, ajustar, se for necessário, e depois como descartar corretamente.

  3. Ana Carolina comentou:

    Estou com o mesmo dilema. Preciso organizar meu guarda-roupas/sapateira urgentemente para diminuir a quantidade. O fato de ter muita roupa me dá um imenso trabalho na hora de arrumar uma mala de viagem, por exemplo. Pois quero levar tudo o que tenho de bonito e fico indecisa, o que me ocupa bastante tempo decidindo. Meu sonho é arrumar uma mala de viagem rapidamente ou decidir rapidamente o que vestir para trabalhar.

  4. Ana Carolina comentou:

    Estou com o mesmo dilema. Preciso organizar meu guarda-roupas/sapateira urgentemente para diminuir a quantidade. O fato de ter muita roupa me dá um imenso trabalho na hora de arrumar uma mala de viagem, por exemplo. Pois quero levar tudo o que tenho de bonito e fico indecisa, o que me ocupa bastante tempo decidindo. Meu sonho é arrumar uma mala de viagem rapidamente ou decidir rapidamente o que vestir para trabalhar.

  5. Ana Carolina comentou:

    Eu também tinha alguns vestidos de estimação, mas que não usava e não queria passar para frente… aí um dia peguei eles (quase 10) e levei na minha costureira para virarem saias! Acho que só uma não ficou muito bacana, mas deu para renovar um pouquinho o guarda-roupa e aproveitar aqueles tecidos que adoro 🙂

  6. Ana Carolina comentou:

    Eu também tinha alguns vestidos de estimação, mas que não usava e não queria passar para frente… aí um dia peguei eles (quase 10) e levei na minha costureira para virarem saias! Acho que só uma não ficou muito bacana, mas deu para renovar um pouquinho o guarda-roupa e aproveitar aqueles tecidos que adoro 🙂

  7. Fernanda comentou:

    Impressionante como cada uma tem um processo.
    Fiz 40 esse ano e após muita investigação sobre o q eu gosto de usar ( e não só o q eu achei lindo na foto ou na vitrine) percebi q meu estilo finalmente se definiu. AMO alfaiataria, amo tecidos naturais, amo cores lisas e quentes ( outono total..rsrs), cintura marcada, conforto e minimalismo mas tb gosto de bordados e brilhos em uma peça ou outra.
    E depois q finalmente percebi como sou e as minha informações de moda, simplesmente fiz o que Marie Kondo diz e só fiquei com 30% do meu guarda roupa. Gosto mais assim, de ao invés de separar o q doar, separar só o q vc realmente gosta pra manter. Pra mim, deu muito resultado e o destralhe é bem mais fácil…rsrs

    1. Eve respondeu Fernanda

      Verdade, faz mais sentido separar o que gostamos e queremos manter. Depois o que sobrar tiramos do armário.

  8. Fernanda comentou:

    Impressionante como cada uma tem um processo.
    Fiz 40 esse ano e após muita investigação sobre o q eu gosto de usar ( e não só o q eu achei lindo na foto ou na vitrine) percebi q meu estilo finalmente se definiu. AMO alfaiataria, amo tecidos naturais, amo cores lisas e quentes ( outono total..rsrs), cintura marcada, conforto e minimalismo mas tb gosto de bordados e brilhos em uma peça ou outra.
    E depois q finalmente percebi como sou e as minha informações de moda, simplesmente fiz o que Marie Kondo diz e só fiquei com 30% do meu guarda roupa. Gosto mais assim, de ao invés de separar o q doar, separar só o q vc realmente gosta pra manter. Pra mim, deu muito resultado e o destralhe é bem mais fácil…rsrs

    1. Eve respondeu Fernanda

      Verdade, faz mais sentido separar o que gostamos e queremos manter. Depois o que sobrar tiramos do armário.

  9. Ericka Moderno Rocha comentou:

    Ana, eu também estou em crise com os meus vestidos! Muita coisa super romântica, que eu amava, com cortes nada interessantes… E eu não consigo desapegar! hahahahahaha!

  10. Ericka Moderno Rocha comentou:

    Ana, eu também estou em crise com os meus vestidos! Muita coisa super romântica, que eu amava, com cortes nada interessantes… E eu não consigo desapegar! hahahahahaha!

  11. Letícia Garcia comentou:

    Sem contar o tempo que se levou para comprar…

  12. Letícia Garcia comentou:

    Sem contar o tempo que se levou para comprar…