Guia de marcas mais conscientes

Tudo começou quando a Julia Codogno, formada em Gestão de Moda, percebeu que as amigas sempre pediam a ela indicação de marcas conscientes, seja de vestuário, seja de cosméticos. Ela foi ampliando a quantidade de indicações até sacar que ela poderia transformar isso num guia gratuito para beneficiar mais pessoas que estivesse interessadas no tema, mas não soubessem onde buscar de uma forma mais centralizada. E foi assim que ela desenvolveu um guia de marcas mais conscientes para poder compartilhar profissionais e marcas que estão fazendo um trabalho com mais responsabilidade nesse Brasil.

GUIA-

A Ju mandou pra mim esse guia, que teve seu lançamento durante a semana do Fashion Revolution São Paulo, há alguns dias, e eu fiquei maravilhada com a sua catalogação e precisão de informações. Eu SEMPRE recebo mensagens também pedindo indicação de marcas legais, que sejam sustentáveis, mais alinhadas com comércio justo e muitas outras causas, como veganismo, feminismo e inclusão social. Preciso dizer que eu conheço várias, mas nunca pensei em catalogar, achava que seria impossível. Olha aí que oportunidade boa, gente!

O Guia é dividido em vestuário, moda infantil, cosméticos, market place, acessórios, lingerie, moda praia, sapatos e bolsas, além de textos introdutórios sobre consumo consciente, meios de produção justos, descarte ecológico e política de retorno de resíduos. Tudo bem conciso e fácil de consultar.

2019_N01_Guia-de-marcas-mais-conscientes---por-Julia-Codogno_MBV-11

A Julia contou em seu blog o critério para as marcas entrarem no Guia:

Preferência por marcas brasileiras. Mas também foram incluídas algumas marcas de outros países. Levando em conta a quantidade de pontos de venda por aqui e a facilidade de compra;

Que possuam produção local – feitos no Brasil – atendendo as regiões onde foram originadas – e dando oportunidade de trabalho, capacitação e desenvolvimento;

Que se responsabilizam por sua matéria prima. Usando materiais como: composições naturais ou biodegradáveis, vindas de reuso, de descarte e que impactem o meio ambiente da menor forma possível;

Com responsabilidade e transparência em saber quem são seus fornecedores – de onde vem matéria prima utilizada;

Com responsabilidade e transparência em saber como a sua produção é feita – se é realizada de forma legal – dentro das leis vigentes que amparam a profissão e o setor;

Que incentivem e/ou realizem serviços sociais e ambientais;

Produzam de forma consciente. Se atentando a uma produção em menor escala. Com menos estímulo ao consumo e aquele famosos “comprar por comprar”;

Responsabilidade com as embalagens utilizadas para a comercialização dos produtos. *Várias possuem o Selo EuReciclo;

Possuem algum tipo de logística reversa? Ou se preocupam em discutir sobre isso? Sendo transparentes quanto ao descarte daquele produto após o tempo de uso;

Indicação das boas e o faço com muito gosto! Obrigada e parabéns, Ju!

Para baixar seu guia, clique aqui! É gratuito!

Compartilhe nas redes sociais
pinterest: pinterest
tumblr:
google plus:

Comente pelo Facebook

Comentários pelo blog