Você tem roupa com etiqueta no armário?

Roupa com etiqueta dentro do armário, quem nunca? Aliás, é bem raro eu encontrar algum guarda-roupa que não contenha roupa com etiqueta de loja pendurada, sinalizando ainda que não foi usada.

Alguns palpites sobre este fenômeno que assola os nossos lares:

– Compras em excesso. Aquela maniazinha de sair e comprar alguma roupinha nova com assiduidade, aproveitando aquela promoção im-per-dí-vel também ou, pior ainda, comprou porque a vendedora empurrou e você não conseguiu dizer não.

– Compras esperando ocasião. Para garantir a roupa de um futuro evento que nem sabemos se vai rolar, ou então você já garante uma que possa ser usada, mas aí você encontrou outra muito mais interessante que assumiu o posto. Você não sabe quando, mas certamente vai usá-la em algum momento, ah, vai sim, vai pintar uma oportunidade.

– Perdeu o prazo para troca/devolução. Vida corrida, cheia de afazeres, sem tempo para parar e ir à loja, ou então sem paciência mesmo para escolher outra coisa ou devolver a roupa ao site, e, pum, quando você se deu conta, já passou o período da troca/devolução e já era, entubou a roupa.

– Valorização para vendas. É quase um atestado de “nunca usei, por isso estou cobrando quase o preço que paguei na loja”.

– Coragem. É incrível, mas ainda temos medo de vestir uma peça que achamos o máximo, com medo do julgamento alheio.

roupa-etiqueta

Marie Kondo, profissional de organização, best-seller com seu livro A Mágica da Arrumação, é categórica sobre roupas com etiquetas: ela corta to-das quando faz trabalho na casa dos clientes. Não tem por que a roupa ficar ali, com etiquetas penduradas, que isso atravanca a energia e não promove nada de bom – é quase como um estímulo até para que a pessoa continue sem vesti-la!

Eu adotei essa prática e, ao menor sinal de roupa com etiqueta, eu corto. Saiu da loja, perdeu o prazo, foi, passou, é tipo carro saindo da concessionária, desvaloriza. A etiqueta afixada não é garantia de uma roupa nova-zero-bala. Roupas guardadas mancham, estragam, são roídas por traças, mofam, etc etc.

Realmente, a sensação de ter roupas com etiqueta e tags de lojas no armário é bem ruim, quase como um fracasso por não conseguir usar tudo que tem, ou o atestado de que estamos exagerando nas compras. Como adicionar mais itens no armário se você ainda está com peças sem uso nele e elas estão gritando ali, na sua cara?

Eu dou algumas dicas para as clientes superarem essa questão:

– Peça com etiqueta? Priorize para não perder o prazo de troca, separe ela para isso. Experimente com o que você já tem, teste combinações, sente, se locomova com ela, veja se atende suas necessidades. Depois disso, não rolou? Troque ou leve aos correios para devolver.

– Na troca, tente pesquisar antes o que a loja oferece, para não trocar seis por meia dúzia.

– Antes de comprar itens novos, observe o que você tem ainda sem uso e conte. Ou você vai perceber que está comprando peças que não gosta ou não tem a ver com você (o famoso comprar por comprar) ou vai entender que precisa usá-las antes de pensar em trazer algo novo.

– Tire as etiquetas! Mulher! Seu guarda roupa é show room de loja por acaso? Hahahaha! Bola pra frente, tag de loja pendurada não contribui em nada!

– Use o que você tem. Use o que você tem! Ou, na pior das hipóteses, desapegue sem dó. E tente não repetir esse ciclo.

Sobre a foto acima, a única peça que encontrei, nessa arrumação de final de ano, ainda com tag pendurada. E, detalhe: está manchada! Ganhei, usei para uma postagem e não troquei. Estou pensando o que fazer, se a uso, se dou para alguém…

E vocês, têm muita peça com tag no armário ou estão melhorando nesse quesito?

 

Compartilhe nas redes sociais
pinterest: pinterest
tumblr:
google plus:

Comente pelo Facebook

Comentários pelo blog

10 comentários

  1. Tina comentou:

    Eu entrei na onda ha um tempo atrás, aproveitando o dolar um pouco mais baixo, de criar um “acervo” de guarda roupa. Enterrei uma grana preta para comprar peças incríveis Pucci, McQueen, Dolce, e que acabaram sem uso por pena de estragarem e esperando A ocasião, sendo que por trabalhar muito quase não sou mais convidada pra nada. Enfim sou o exemplo vivo do que vc falou que não se deve fazer e agora olhar pra esse armario me dá uma tremenda frustração… mas é errando que se aprende. Obrigada por nos abrir os olhos.

    1. Ana Paula respondeu Tina

      Crie suas ocasiões especiais! Fique linda pra você mesma. <3

  2. Lúcia comentou:

    Tenho uma! Mas é desse mês, então passa, né? Kkkkk Um vestido lindo, com bolsos, VERMELHO, ainda não usei por medo de que seja over para a ocasião 🙄 , vou colocar pra jogo essa semana ainda!!

  3. Ana Paula comentou:

    Tenho duas blusinhas que ganhei no Natal e aínda não usei. Uma vai agora pro Ano Novo, a outra não consegui decidir se mantenho ou troco…

  4. Mabel comentou:

    Eu tenho algumas sim, comprei várias calças jeans porque vim morar no Canadá e sabia que aqui as modelagens não são como as nossas. Mas acabei engordando durante a faculdade e algumas calças não cabem. Reconheço que exagerei na quantidade de calças, tenho 3 com etiqueta ainda. Mas em relação a modelagem, estou passando um certo perrengue já que aqui as calças possuem cinturas bem largas e pouco espaço no quadril.

  5. Monica comentou:

    Tenho uma blusa que já vai pra jogo no Ano Novo!!! 🏆🏆🏆🏆

  6. Mari comentou:

    eu corto assim q tiro da sacola pra colocar no armário. mas isso não faz algumas roupas não ficarem encalhadas tbm, infelizmente.

  7. Renata comentou:

    Ontem cortei a etiqueta de uma blusa que comprei em outubro de 2014!!! E o pior… tentei usar pela primeira vez mas a blusa está apertada!!! Minha vontade foi de chorar… juro!

  8. Nat comentou:

    Eu piso em casa com a sacola da loja, pego peça por peça, tiro todas as etiquetas, lavo e depois guardo. Virou tão costumeiro fazer isso que agora meu marido faz também.

    1. Ana Carolina respondeu Nat

      Lavar é super importante antes de usar!