Mais sobre a adequação do meu estilo

O combo cabelos grisalhos em transição + ter engordado, tem dificultado mais as escolhas do meu vestir. Como enordei, muitas peças que gosto não estão cabendo, então minhas escolhas se reduziram às que me sufocam menos. Com os branquinhos aparentes, tenho sentido essa necessidade natural de usar mais peças poderosas, apesar disso não ser regra, é só como tenho me sentido mesmo à adaptação.

Essa semana estive em Fortaleza a trabalho e, por conta do calor, levei peças frescas e que me permitissem até um mergulhinho no mar, haha! Usei body e um maiô, o que conferiram elasticidade, ou seja, conforto, além de saias com elástico que estão me servindo bem. Prestei atenção no que gostei de cada look, e, sem dúvida foi a geometria do decote, aliados às saias estruturadas ou com estampas destacadas.

O que chamei de limitação algum dia, tem se mostrado na verdade um importante filtro do meu estilo. O indicador do que eu estou gostando REAL de vestir, de como me sinto nas roupas.

ana-soares-look-fortaleza-2 ana-soares-look-fortaleza

Antes ainda tinha uma variedade boa de peças, nada muito discrepante do que já sigo de estilo pessoal definido hoje, mas ainda tinha algum apego a certos formatos que não são quem eu sou hoje, na essência. Estou muito mais minimalista, principalmente nas estampas, preferindo as mais abstratas ou geométricas, gostando bem mais de peças de cores lisas e com poucos detalhes.

Esse look abaixo, por ex., foi fotografado há um mês, quando eu estava já me preparando pra transição pro grisalho. Adorei ele no dia, adoro todas as peças separadamente, mas confesso que hoje, com os brancos aparentes, não sei se amaria tanto ele. Quer dizer, usaria, ainda acho bonito, mas realmente entrei no modo mais dramático do vestir e menos fofo. Que doido isso!

A25D511F-581D-4771-88B5-5450D9CE8160

Minha cartela de cores não muda com os cabelos, mas sabendo que repetição = harmonia, repetir o estilo modernete do cabelo e seu contraste de cores têm me deixado mais confortável e feliz. Na verdade, todas essas mudanças que poderiam me deixar insegura, estão me dando mais confiança e certeza do caminho que estou percorrendo pelo autoconhecimento! 🙂

 

Compartilhe nas redes sociais
pinterest: pinterest
tumblr:
google plus:

Ajuste do meu estilo com o grisalho

Com o cabelo grisalho, tenho sentido muita necessidade de ajustar algumas coisas no meu estilo. Me senti estranha em algumas blusas fora da cartela de cores, e nessa fase inicial em que estou me acostumando com o novo visual e todo esse processo, estou testando looks mais gótica suave, hahaha, com estampas gráficas de contraste maior entre os tons, brincos geométricos, e, o mais gozado de tudo – amado preto e branco por conta disso, ahahaha, to até arriscando um batom azul escuro, gente!

Esse look me ajudou MUITO a me sentir mais eu nesse momento, a trazer mais um visual de poder e sofisticação, mas a parte chata é que não estou me identificando mais com algumas peças do meu guarda roupa. Mas é sério, como cabelo muda nossa percepção, impressionante!

ana-soares-enjoy

Blusa e saia Enjoy
Óculos Livo

Agora vou falar do meu look:

Durante todos esses anos de blog, já debatemos muito aqui sobre o tamanho das roupas, principalmente a modelagem estar de acordo com o manequim ao qual se refere. De como é comum observarmos roupas tamanho 42 mal servirem em quem é 38 – e, sim, isso parece mentira, mas todo mundo tem essa história de chutar um manequim pra cima para não correr risco.

Nesse ínterim, como consultora de estilo, um dos momentos mais difíceis dos processos de atendimento às clientes foi a parte de lojas: é um misto de empolgação e receio, mais por saber como as marcas são levianas com o tamanho real das etiquetas. Em todas, sem sombra de dúvida, eu sempre, sempre incluí a Enjoy na lista, porque lá nunca tive susto, sendo o que considero o espaço certo das modelagens tamanhos reais. Eu sei, por experiência profissional, que eles são tão comprometidos com isso, e foi uma das pioneiras aqui com grade que atende do PP ao GG, vestindo confortavelmente até uma mulher 48 – a numeração a partir dos 42 em lojas é praticamente inexistente, aliás, sendo conhecidas, infelizmente, como limbos das grades.

Eu fiquei MUITO feliz de ter sido chamada pra fazer uma série publicitária com eles, muito porque tenho escolhido bem as marcas com quem trabalho (os cursos me deram mais autonomia para isso, fora o momento em que vivemos), e por ter esses anos de boa experiências com a marca, contribuindo com maestria no guarda roupa das minhas clientes e do meu, inclusive, pincipalmente por sempre acompanhar os bazares da loja OFF deles em São Cristóvão, que fez sucesso no meu roteiro!

Por isso estou nesse post apresentando mais a história da empresa, que existe há 21 anos, e que tem se mostrado cada vez mais alinhada com valores e causas femininas, desde internamente até esse momento, em que, de forma inédita, convidaram influenciadoras digitais que estejam também consonantes com o discurso em que acreditam.

A marca tem um estilo bem contemporâneo, muito alinhado com tendências, mas sem essa de modismos – pelo contrário, outro motivo principal de levar minhas clientes sempre foi a certeza de que as peças são atemporais, confortáveis, e sem essa de grupos etários – são peças que transmitem mensagem de elegância para várias gerações. Eles têm loja online, para quem se interessar!

ana-soares-enjoy-look

Nos próximos posts eu vou falar mais desse ajuste do meu guarda roupa, e esmiuçar o que tenho curtido mais usar. Acho que o cabelo não tem mudado, mas realçado mais meu estilo!

Essa postagem teve o patrocínio da Enjoy.

Compartilhe nas redes sociais
pinterest: pinterest
tumblr:
google plus:

Minha transição para o grisalho

Tenho fios brancos – muitos – desde meus 23 anos, herança da minha mãe, grisalha desde os 18. Eu lembro do choque inicial, dentro de um provador de loja, ao me deparar no espelho com aqueles reflexos prateados. Naquela época eu tingia meus cabelos de vermelho, mais por diversão. Mas ali, depois da constatação, estava sacramentado: eu passaria a vida tingindo por obrigação.

E aí gastar tempo e dinheiro em salão foi ficando inviável, comecei então a comprar caixinha de tintura e passar em casa mesmo. Ficava uma bela bosta, kkkkkk, meu sonho era que alguma empresa me mandasse as tinturinhas de graça.

Depois voltei a pintar em salão, mas eu me sentia na tortura ao ficar algumas horas com a cabeça coçando, a ardência da amônia, além do tempo que eu poderia estar fazendo qualquer coisa que não ali.

Em 2016/2017 fiz minha especialização em visagismo e minha colorista amada, Carla Motta, fez uma parceria comigo. Foi ficando legal colorir de um jeito profissa os cabelos, primeiro com as mechas azuis, depois num trabalho de luz e sombra que trazia profundidade a cor e corte.

Estava feliz, até perceber que os grisalhos aumentavam. E eu senti vontade de me descobrir. Nesse desejo de aprofundar meu autoconhecimento, aqui estou eu, na transição para o grisalho:

ana-soares-grisalha-moda-pe-no-chao

Eu estou me sentindo mais linda do que nunca.

Estava morrendo de medo de ficar esquisito. Daí pensei que se não ficasse bom, era só colorir, oras, hahaha!

Conversei com Carlinha, que atende no Fil, em Ipanema (e estou com ela desde os tempos de salões tijucanos), e ela topou me ajudar na busca pelo grisalho estiloso. Teria que ser gradual, pois descolorir aquela tinta escura seria um problema para a saúde dos meus fios. Concluímos que era melhor esperar crescer para a tinta sair toda – calculamos uns 3 meses.

Como eu faço a manutenção do corte mensalmente, topei na hora. Conversei com o Sergio Vianna, que atende no mesmo salão, e ele disse que estava na hora de mudar de corte. Também achei. Dei sinal verde para ele deixar meu curto curtíssimo.

O corte ajudou muito nesse início, pois ficou arrojado e muito moderno, parece até que pintei esse cinza!

ana-soares-grisalho
Make pelo meu amigo Danilo de Almeida

ana-soares-grisalho-2

Cabelo grisalho não é sinônimo de envelhecimento, nem de desleixo – tanto é que meu visual rejuvenesceu. Não é que eu cansei de colorir os cabelos, mas não tinha mais sentido driblar o que é natural – fora o ganho de tempo e dinheiro.

Dá pra brincar ainda com nuances de cinzas trabalhados em salão, dá pra fazer tanta coisa! E não é sobre considerar que só cabelos naturais são sinônimo de liberdade, pelo contrário: a liberdade deveria ser poder fazer suas escolhas sem julgamento. Apenas isso.

Numa sociedade que lucra nos colocando pra baixo, enfiando imperfeições onde não existem, sendo preconceituosa, nos adoecendo e matando, eu busco cada vez mais saber quem eu sou. Como sou. Por mim. Pelas mulheres que me acompanham aqui.

Muito empolgada com a mudança de tons nos próximos meses! 😀

Compartilhe nas redes sociais
pinterest: pinterest
tumblr:
google plus:

Ep 20 Podcast Moda Pé no Chão: O vestir com variação de peso

Eu engordei 7kg e quase nenhuma roupa fecha. Quem passa por variação de peso já se massacra imediatamente com a cobrança em perder ou ganhar peso para voltar a caber nas roupas. Parece que é padrão sofrer e fazer sacrifícios para fechar o zíper da calça.

Mas o que fazer com muitas peças que eu amo, que me acompanham há anos, paradas no armário? Devo comprar tudo de novo? Guardar todas, ajustar ou já desapegar?

ana-macacao
Esse macacão veio de desapego, vou mandar ajustar porque ele está servindo bem!

Além de dicas para usar o que se tem e criar novo repertório, esse episódio quer que você se perceba com outra silhueta e fique bem com isso. Driblar cobranças de uma sociedade que exige um modelo de perfeição irreal é um ato corajoso. Mas estamos juntas para mudar esse olhar!

Dê play aqui para ouvir!

Podcasts são conteúdos em áudio, transmitidos pela internet através de apps. Aqui no Brasil já estamos ganhando mais adeptos nessa forma de comunicar conteúdo, que têm várias categorias, de humor a notícias.

Dá pra ouvir na academia, enquanto amamenta, lava a louça, a caminho do trabalho, durante uma viagem. Pausar, ouvir mais tarde, re-ouvir algum trecho. 🙂

Moda pé no chão traz periodicamente temas práticos para quem quer ser feliz com o que tem sem gastar muito, com convidados para discutirmos assuntos pertinentes sobre consumo consciente para todos os tamanhos, bolsos e idades. Para quem quer vestir-se de si mesma sem complicação, com ideias simples, dicas certeiras, críticas e opiniões sempre muito sinceras.

O episódio já está disponível nos aplicativos de podcast pra IOS e Android, como Spotify, Soundcloud, Apple Itunes, Castbox, Overcast, We Cast e muito mais! Procure no seu app de Podcasts ou de áudio!

Quem segue e compartilha está sempre sabendo quando sai ep novo e ainda dá força pra blogueira aqui!

Compartilhe nas redes sociais
pinterest: pinterest
tumblr:
google plus: